21 de dezembro, dia da memória

Mais de 200 comunidades lembraram os 7.300 sem-abrigo que morreram nas ruas dos EUA em 2023

| 27 Dez 2023

Sem abrigo deitado na rua. Foto Harrison Haines de Pexels

 “Todas as pessoas são importantes. Aqueles que morrem nas ruas são tão importantes quanto aqueles que morrem num palácio”, sublinhou a fundadora da Our Fathers Table, que se uniu à iniciativa. Foto © Harrison Haines/Pexels

 

Mais de duas centenas de comunidades realizaram no dia 21 de dezembro celebrações inter-religiosas em memória dos mais de 7.300 sem-abrigo que morreram nas ruas dos Estados Unidos ao longo do ano de 2023, noticiou o Angelus News desta quarta-feira, 27.

Só na capital Washington “num serviço de memória realizado na Igreja Episcopal da Epifania mais de 100 pessoas foram lembradas”, escreve o jornalista Sam Lucero, autor de uma extensa reportagem sobre o Dia em Memória dos Sem-Abrigo que é celebrado nos EUA a 21 de dezembro por ser esta a noite mais longa do ano. “Para os que vivem na rua, esta é uma noite que [mais do que qualquer outra] representa a dura realidade de viver nas ruas” escreve o jornalista, lembrando a razão que levou a Coligação Nacional para os Sem-Abrigo a escolher em 1990 este dia para promover todos os anos serviços religiosos em memória aqueles que morreram sem teto e assim os lembrar e homenagear.

“Parte do que estamos a fazer com o dia da memória é nomear aqueles que faleceram, mas pretendemos também ajudar as pessoas a compreender que a falta de casa é um problema que pode ser resolvido neste país”, disse DeBorah Gilbert White, diretora de educação da Coligação Nacional para os Sem-Abrigo, ao Angelus News. “É um modo de desenvolver a consciencialização e quebrar estereótipos sobre quem é sem-abrigo e porque foi parar à rua”, sublinhou Gilbert White, ela própria obrigada a deixar a sua casa em 2011, tornando-se mais uma sem-abrigo.

Em Green Bay, Wisconsin, “um serviço memorial noturno começou perto da entrada da Igreja Católica de São João Evangelista, com um serviço de oração à luz de velas e caminhada circular”, relata o jornal que recolheu o testemunho de Jesse Brunette, diretor executivo do St. John’s Ministries, que patrocinou o serviço: “Este memorial é importante porque permite que aqueles que lutam pela sobrevivência nas ruas e nos abrigos saibam que as pessoas se preocupam com eles”.

Na Diocese de Orange, a Igreja Católica de São Timóteo, em Laguna Niguel, foi palco, pelo oitavo ano, do serviço memorial anual. Pela primeira vez, mais de 500 pessoas que morreram sem abrigo no ano passado no Orange County foram lembradas, disse Gina Marie Seriel, fundadora e diretora executiva da Our Fathers Table, citada pelo Angelus News: “Todas as pessoas são importantes. Aqueles que morrem nas ruas são tão importantes quanto aqueles que morrem num palácio. Se conseguirmos que apenas uma pessoa perceba isto através do nosso serviço, isso criará um efeito cascata.”

O serviço memorial inter-religioso incluiu representantes das religiões católica, luterana, episcopal, judaica, zoroastriana e do Islão, da Igreja dos Santos dos Últimos Dias, da Igreja Assíria do Oriente, da metodista africana e dos bahá’í. O vigário episcopal da diocese, Al Baca, disse que a cerimónia “é uma noite que abre o coração humano para uma questão muito séria na nossa comunidade local: mais de 500 pessoas sem-abrigo morreram este ano. Isto é chocante.”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This