No museu do Porto

Mais de 2000 jovens acendem chama em memória das vítimas do Holocausto

| 24 Jan 2024

Jovens de todo o país acendem chama em memória das vítimas do Holocausto, no Museu do Holocausto do Porto. FOTO CIP

Os participantes serão convidados a prestar homenagem às seis milhões de vítimas judias do genocídio, acendendo uma chama na Sala Memorial do museu. Foto © CIP

 

O Museu do Holocausto do Porto vai assinalar esta sexta-feira, 26 de janeiro, o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, numa iniciativa que contará com a participação de mais de dois mil alunos de dezenas de escolas de Norte a Sul de Portugal.

Embora oficialmente o Dia Internacional seja celebrado a 27 de janeiro, este ano a data corresponde a um sábado (Shabat para a comunidade judaica), pelo que a celebração foi antecipada para o dia anterior, informa um comunicado enviado ao 7MARGENS.

Os participantes serão convidados a prestar homenagem às seis milhões de vítimas judias do genocídio, acendendo uma chama na Sala Memorial do museu, onde se encontram gravados os nomes de dezenas de milhares de pessoas que foram vítimas de assassinato durante o Holocausto.

Os alunos poderão também ver uma reprodução aproximada dos dormitórios do campo de concentração de Auschwitz e documentos e objetos de refugiados que passaram pelo Porto em fuga. Através de vídeos projetados no interior do Museu, será ainda possível a imersão em diversos cenários da tragédia.

“Anualmente, somos visitados por cerca de 50 mil adolescentes de escolas de todos o país, o que corresponde, a cada ano, a cerca de 5% do total de adolescentes portugueses. Aqui eles interagem connosco, ouvem histórias de sobreviventes ou de filhos e netos de quantos faleceram naquela tragédia”, assinala Michael Rothwell, diretor do Museu, citado no comunicado.

Para Rothwell, neto de judeus alemães assassinados em Auschwitz, “é muito importante continuar a incluir o Holocausto no plano de educação das próximas gerações”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This