Estudo da CLAR

Mais de metade das religiosas na América Latina e Caraíbas sofreram abusos de poder

| 19 Out 2022

irma liliana franco apresentacao de estudo realizado pela CLAR foto CLAR

Durante a apresentação do estudo, a irmã Liliana Franco, Presidente da CLAR (ao centro), afirmou que “esta é uma situação dolorosa, uma situação que comove profundamente”. Foto © CLAR.

 

Uma sondagem efetuada pela Confederação Latinoamericana de Religiosas e Religiosos (CLAR) concluiu que 55,2% das religiosas da América Latina e Caraíbas já experimentaram abusos de poder no âmbito da vida religiosa, exercidos na maioria dos casos pelas superioras das congregações às quais pertencem, noticiou esta terça-feira o Vatican News.

Os resultados do estudo, publicados no livro “Vulnerabilidade, abusos e cuidado na vida religiosa feminina“, revelam que os abusos de poder foram exercidos, em 51,9% dos casos, pelas superioras das congregações, seguindo-se os padres com 34,2% e as formadoras com 23,1%. Os bispos foram referidos por 10% das respostas.

Responderam ao inquérito, de forma anónima, 1.417 religiosas de 23 países, sendo que quase metade destas (48,6%) tem idades compreendidas entre os 45 e 65 anos.

Questionadas sobre o abuso sexual, 19,8% das freiras afirmaram ter sido vítimas desse comportamento. Destas, 112 afirmaram que isso afetou sua vida religiosa, 105 consideram que não, e apenas 9 delas receberam apoio terapêutico dentro da sua comunidade depois do sucedido. Este tipo de abuso foi perpetrado, em 14,3% dos casos, por um padre, seguindo-se os leigos com 9,7% e outras freiras em 8% das situações.

Perto de um terço (30%) das religiosas revelou ainda ter sido vítima de abuso espiritual, aparecendo aqui novamente as superioras como as que mais exercem este tipo de comportamento (em 25,5% dos casos). Uma percentagem superior de religiosas (39,4%) disse ter presenciado situações de abuso espiritual contra outra pessoa.

Durante a apresentação do livro, a irmã Liliana Franco, Presidente da CLAR, afirmou que “esta é uma situação dolorosa, uma situação que comove profundamente e que tem de nos levar a fazer uma opção que queremos tomar na CLAR, a de ser mão estendida, ser presença que acompanha e ajuda nestes casos de reconstrução, de reparação, de justiça no meio desta situação tão complexa a que estamos a assistir”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil

Apelo internacional

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil novidade

Com o objetivo de “aumentar a assistência humanitária às comunidades afetadas pelas devastadoras inundações no Rio Grande do Sul, no Brasil”, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) lançou um “apelo de emergência de cerca de oito milhões de euros”, anunciou a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), na última quarta-feira, 22 de maio.

A Dignidade da pessoa humana como prioridade

A Dignidade da pessoa humana como prioridade novidade

Na semana depois de Pentecostes é oportuno recordar a publicação da declaração Dignitas Infinita sobre a Dignidade Humana, elaborada durante cinco anos e divulgada pelo Dicastério para a Doutrina da Fé, pondo a tónica na dimensão universal, filosófica e antropológica, do respeito pela pessoa humana enquanto fator de salvaguarda dos direitos humanos, do primado da justiça e do reconhecimento de que todos os seres humanos como livres e iguais em dignidade e direitos.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This