Mais de metade dos catalães não se consideram religiosos

| 10 Mar 21

Barcelona Catalunha sagrada familia Foto Txllxt TxllxT_Wikimedia Commons

Catedral da Sagrada Família, em Barcelona, capital da Catalunha (Espanha). Foto © Txllxt TxllxT/Wikimedia Commons.

Na Catalunha, mais de metade da população (54,6%) não se considera religiosa, isto é, não pratica ou não professa nenhuma religião, apurou o Barómetro da Religiosidade e Gestão da sua Diversidade publicado pela Direção-Geral de Assuntos Religiosos da Generalitat, noticiou a Vida Nueva.

Apesar deste número, 71% dos catalães identifica-se com alguma religião, por razões de fé ou simplesmente culturais. Em toda a população, 53% dos cidadãos diz identificar-se com o catolicismo, 7% com o protestantismo e 4,3% com o Islão.

Entre os catalães, existe um manifesto desapego pela prática religiosa: dois terços afirmam que “nunca assistem a uma cerimónia de culto de qualquer religião” e apenas 9,7% o fazem com um ritmo semanal.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Caminhar juntos, lado a lado, na mesma direcção

Caminhar juntos, lado a lado, na mesma direcção novidade

Vem aí o Sínodo, cuja assembleia geral será em outubro de 2023, já depois da Jornada Mundial da Juventude, a realizar em Lisboa, no verão anterior. O tema é desafiante: Para uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão. O documento preparatório veio a público a 7 de setembro e lança as bases de um caminho a percorrer juntos.

Vacinas, negacionistas, aborto e uniões homossexuais – e a missão de “proximidade” dos bispos

Papa regressou da Eslováquia

Vacinas, negacionistas, aborto e uniões homossexuais – e a missão de “proximidade” dos bispos novidade

O aborto é homicídio, mas os bispos têm de ser próximos de quem defende a sua legalização; os Estados devem apoiar as uniões de pessoas do mesmo sexo, mas a Igreja continua a considerar o sacramento do matrimónio apenas entre um homem e uma mulher; e as vacinas têm uma “história de amizade” com a humanidade, não se entendem por isso os negacionismos. Palavras do Papa a bordo do avião que o levou da Eslováquia de regresso a Roma.

Ator Mel Gibson cada vez mais contra a Igreja e o Papa

Enredado em movimentos tradicionalistas

Ator Mel Gibson cada vez mais contra a Igreja e o Papa

São visíveis na Igreja Católica dos Estados Unidos da América, em especial nos últimos anos, movimentações de setores conservadores e tradicionalistas que, embora não assumindo o cisma, se comportam objetivamente como cismáticos. São numerosas as organizações que contam com o apoio de figuras de projeção mediática e que ostensivamente denigrem o Papa e uma parte dos bispos do seu país. Um nome aparece cada vez mais como elemento comum e de suporte: Carlo Maria Viganò, o arcebispo que foi núncio em Washington e que exigiu, em 2018, a demissão do Papa Francisco. Mais recentemente, outra figura de grande projeção pública que vem surgindo nestas movimentações é a do ator e realizador Mel Gibson.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This