Acampamento Regional

Mais de mil escuteiros em Santarém

| 13 Ago 2023

Escuteiros celebram Dia Nacional do Escutismo 2023, foto CNE

Escuteiros celebram Dia Nacional do Escutismo em 2023, em Fátima. Em Santarém, serão mil os que se juntarão nestes dias de acampamento. Foto © CNE

A Região escutista de Santarém, do Corpo Nacional de Escutas, realiza o seu décimo ACAREG, que decorrerá de 15 a 20 de agosto, na Herdade dos Gagos, em Fazendas de Almeirim. Dez anos depois do ultimo Acampamento Regional (ACAREG), a Região de Santarém do Corpo Nacional de Escutas (CNE) – que coincide territorialmente com a Diocese – volta a juntar escuteiros “de todas as idades para mais uma grande atividade de partilha, vivência e fortalecimento”, refere um comunicado enviado ao 7MARGENS.

O décimo ACAREG de Santarém inicia com o Rover, atividade dirigida aos caminheiros (jovens dos 18 aos 22 anos), dividida em 3 rotas que se realizarão em Salvaterra de Magos, Rio Maior e Torres Novas. A atividade continua com todos os escuteiros, de 15 a 20 de agosto, tendo como base a Herdade dos Gagos, em Fazendas de Almeirim. Estão inscritos mais de um milhar de crianças e jovens, com idades entre os 6 e 22 anos, de 27 agrupamentos dos 29 agrupamentos da Região, e, ainda, um agrupamento da Região do Porto.

O tema que congregará todos os participantes numa mesma vivência é ‘UBUNTU: Eu sou porque tu és’, o mesmo mote que serviu de base à vivência da Região de Santarém nos últimos três anos. Diana Cardoso, Chefe Regional de Santarém, garante: “Está criado o ambiente propício para uma vivência rica em dinamismo, partilha e aprendizagens, antevendo-se dias com muita alegria, muitos desafios e grande superação para todos”, pode ler-se no comunicado.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

O regresso da sombra da escravidão

O regresso da sombra da escravidão novidade

Vivemos um tempo de grande angústia e incerteza. As guerras multiplicam-se e os sinais de intolerância são cada vez mais evidentes. A fim de ser concreta também a nossa Quaresma, o primeiro passo é querer ver a realidade. O direito internacional e a dignidade humana são desprezados. [O texto de Guilherme d’Oliveira Martins]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This