Extrema-direita queima Alcorão

Manifestações violentas na Suécia

| 17 Abr 2022

Protestos na Suécia tiveram início depois de uma cópia do Corão ter sido queimada na via pública. Captura de ecrã de noticiário sueco.

Protestos na Suécia tiveram início depois de uma cópia do Corão ter sido queimada na via pública. Foto © Captura de ecrã de noticiário sueco.

 

A Semana Santa na Suécia ficou marcada por várias manifestações e confrontos violentos entre a polícia e manifestantes, em virtude dos comícios promovidos pelo partido de extrema direita Stram Kurs, cujo líder, Rasmus Paludan, queimou uma cópia do Corão na rua, numa zona fortemente habitada pela população muçulmana.

Os confrontos foram quase imediatos e têm-se espalhado por várias cidades onde o partido de extrema direita pretendia realizar o mesmo tipo de ações. Nos confrontos, vários polícias já ficaram feridos e algumas pessoas têm sido detidas por perturbação da ordem pública, sendo que uma delas foi detida por tentativa de homicídio, após tentar atropelar alguns polícias e ter batido contra um carro anti-motim da polícia.

No sábado, um responsável da polícia sueca afirmou que, apesar dos protestos, “o limite para a liberdade de expressão é elevado”, pelo que os comícios anti-islâmicos não iriam ser proibidos, apesar das situações que estavam a acontecer no terreno.

“E tu, falas com Jesus?”

“E tu, falas com Jesus?” novidade

Em matéria de teologia, tendo a sentir-me mais próxima do meu neto X, 6 anos, do que da minha neta F, de 4. Ambos vivem com os pais e uma irmã mais nova em Londres. Conto dois episódios, para perceberem onde quero chegar. Um dia, à hora de deitar, o X contou à mãe que estava “desapontado” com o seu dia. Porquê? Porque não encontrara o cromo do Viktor Gyokeres, jogador do Sporting, um dos seus ídolos do futebol; procurou por todo o lado, desaparecera. Até pedira “a Jesus” para o cromo aparecer, mas não resultou. [Texto de Ana Nunes de Almeida]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga

Decreto de extinção a marcar passo?

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga novidade

A pouco mais de três meses de se completar um ano, prazo dado pelo Vaticano para extinguir a Comunidade Loyola, um instituto de religiosas fundado por Ivanka Hosta e pelo padre Marko Rupnik, aparentemente tudo continua como no início, com as casas a funcionar normalmente. No caso da comunidade de Braga, para onde Ivanka foi ‘desterrada’ em meados de 2023, por abusos de poder e espirituais, a “irmã” tem mesmo estado a desenvolver trabalho numa paróquia urbana, incluindo como ministra extraordinária da comunhão, com a aparente cobertura da diocese.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This