Sexto mandato consecutivo

Manuel de Lemos reeleito Presidente da União das Misericórdias Portuguesas

| 7 Dez 2023

Manuel de Lemos, presidente UMP. Foto Pau Storch

Manuel de Lemos foi o escolhido com 225 votos para prosseguir no cargo que exerce desde 2007. Foto © Pau Storch

 

Manuel de Lemos acaba de ser reeleito Presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP), naquele que foi o ato eleitoral mais participado de sempre da história da instituição. Reunidas em Fátima para a sua assembleia-geral, nesta quarta-feira, 7 de dezembro, votaram 334 de 387 Misericórdias portuguesas, tendo conduzido Manuel de Lemos àquele que será o seu sexto mandato.

Pela primeira vez em 20 anos, concorreram à Presidência da UMP duas listas, algo que só tinha acontecido anteriormente em 1991 e 2003 (anos em que foi eleito Presidente o padre Vítor Melícias). António Sérgio Matias, que se candidatou este ano pela lista B, acusou a atual direção da UMP de “total inoperância”. A compra de uma viatura de serviço no valor de 116 mil euros esteve também na origem de descontentamento da parte dos provedores de diversas Misericórdias.

Mas Manuel de Lemos, que é também o presidente da Confederação Internacional das Misericórdias e da Confederação Portuguesa de Economia Social, foi o escolhido com 225 votos para prosseguir no cargo que exerce desde 2007. O Presidente assume “a sustentabilidade do setor social como o grande desafio que a sua liderança enfrenta, especialmente perante o contexto socioeconómico do país, que afeta não só a população mais vulnerável, mas também as instituições sociais”, avança o comunicado enviado pela UMP ao 7MARGENS.

“A par do compromisso de continuar a promover a melhoria do serviço que as Misericórdias prestam junto das comunidades, Manuel de Lemos assume também que o diálogo contínuo e permanente com todos os parceiros e a melhoria das condições dos trabalhadores das Misericórdias são as prioridades para a sua liderança” no quadriénio 2024/2027, destaca ainda a nota de imprensa.

 

“A homilia não deve durar mais de oito minutos, senão as pessoas adormecem… e com razão!”

Papa Francisco insiste

“A homilia não deve durar mais de oito minutos, senão as pessoas adormecem… e com razão!” novidade

Já não é a primeira vez que o Papa deixa este aviso aos padres católicos, e na catequese desta quarta-feira,12 de junho, voltou a insistir: “A homilia não deve durar mais de oito minutos, porque depois, com o tempo, perde-se a atenção e as pessoas adormecem… e com razão!”. Perante milhares de fiéis na Praça de São Pedro, Francisco explicou que o objetivo de uma homilia é “ajudar a transferir a Palavra de Deus do livro para a vida”.

Jornalista Zhang Zhan foi libertada pelas autoridades chinesas

Após quatro anos de detenção

Jornalista Zhang Zhan foi libertada pelas autoridades chinesas novidade

Após quatro anos de detenção, a jornalista Zhang Zhan foi libertada pelas autoridades chinesas. Numa mensagem divulgada esta terça-feira, 11 de junho, a Amnistia Internacional apela às autoridades chinesas que garantam que Zhang Zhan seja autorizada a circular livremente e a comunicar com pessoas dentro e fora da China, e ainda que ela e a sua família não fiquem sujeitas a vigilância ou assédio, devendo ter pleno acesso a tratamento médico após a sua experiência traumática.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Vai nascer uma “Aldeia da Esperança” nos Açores, inspirada em Taizé

Proposta pelo Conselho Pastoral Diocesano

Vai nascer uma “Aldeia da Esperança” nos Açores, inspirada em Taizé novidade

“Organizar uma `Aldeia da Esperança´, dirigida aos jovens, em formato de acampamento, seguindo o modelo de Taizé, a decorrer no verão, de preferência na ilha de São Jorge, no Santuário do Senhor Santo Cristo da Caldeira”: esta é uma das várias propostas feitas pelo Conselho Pastoral Diocesano de Angra – reunido em Ponta Delgada entre os dias 8 e 10 de junho – que irá passar do papel à prática.

Lembrar Aristides de Sousa Mendes, “seguir a voz da consciência” e também hoje “salvar vidas”

Comissão Justiça e Paz de Braga

Lembrar Aristides de Sousa Mendes, “seguir a voz da consciência” e também hoje “salvar vidas” novidade

A Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Braga associa-se à comemoração do Dia da Consciência – que se celebra anualmente a 17 de junho em homenagem a Aristides de Sousa Mendes – através de uma mensagem que assinala a importância de, tal como fez o cônsul de Portugal em Bordéus no século passado, “seguir a voz da consciência” e assim contribuir, no tempo presente, para “salvar vidas”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This