Marrocos normaliza relações com Israel a troco do reconhecimento da ocupação do Sara Ocidental pelos EUA

| 11 Dez 20

Sarauis em Tindouf (sudoeste da Argélia), numa visita do ex-enviado especial das Nações Unidas, Horst Kohler: o reconhecimentos dos Estados Unidos da ocupação do Sara Ocidental por Marrocos foi a moeda de troca para o acordo de Marrocos com Israel. Foto © Tomás Sopas Bandeira

 

O presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta quinta-feira, 10, que Marrocos vai normalizar as relações com Israel, depois de os EUA terem reconhecido a soberania marroquina sobre o Sara Ocidental. O Bahrein e os Emiratos Árabes Unidos já tinham concordado nos últimos meses em reatar as relações com Israel, e o Sudão garantiu o seu acordo de princípio para fazer o mesmo.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, descreveu o acordo como “mais um grande raio de luz para a paz” e avançou que os dois países pretendem reabrir os gabinetes de comunicações económicas, encerrados desde 2002, e trabalhar rapidamente para nomearem embaixadores e começarem a ter voos diretos entre os seus territórios, noticia a RTP.

Com a decisão de Trump, os EUA tornam-se o primeiro membro das Nações Unidas a reconhecer o Sara Ocidental como parte de Marrocos, apesar de a ONU o manter na lista dos territórios a descolonizar – e há mesmo um representante especial do secretário-geral para o Sara Ocidental.

“A séria, credível e realista proposta de autonomia é a ÚNICA base para uma solução justa e duradoura que garante a paz e a prosperidade”, afirmou Donald Trump. “Marrocos reconheceu os Estados Unidos em 1777. É, por isso, adequado que reconheçamos a sua soberania sobre o Sara Ocidental”, diz o ainda Presidente, acerca de uma realidade que, mas últimas semanas, voltou a registar focos de confronto entre a Frente Polisário, que lidera a luta pela independência do território, e o exército marroquino.

Meios de comunicação israelitas citados também na RTP dizem que o acordo foi proposto por Israel à Casa Branca no início deste ano quando, de acordo com jornais franceses, Marrocos adquiriu três drones a Israel por 48 milhões de dólares.

O primeriro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, nega, no entanto, que as questões de segurança sejam o tema do acordo, que se funda, argumenta, nos muitos israelitas de origem marroquina: “Todos conhecem os fortes laços dos reis marroquinos e do povo marroquino com a comunidade judaica em Israel. Centenas de milhares de judeus deslocaram-se de Israel para Marrocos e formam uma ponte viva entre os povos de Marrocos e de Israel. Esta base sólida é a fundação na qual construímos esta paz”, acrescentou.

 

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This