Marrocos normaliza relações com Israel a troco do reconhecimento da ocupação do Sara Ocidental pelos EUA

| 11 Dez 2020

Sarauis em Tindouf (sudoeste da Argélia), numa visita do ex-enviado especial das Nações Unidas, Horst Kohler: o reconhecimentos dos Estados Unidos da ocupação do Sara Ocidental por Marrocos foi a moeda de troca para o acordo de Marrocos com Israel. Foto © Tomás Sopas Bandeira

 

O presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta quinta-feira, 10, que Marrocos vai normalizar as relações com Israel, depois de os EUA terem reconhecido a soberania marroquina sobre o Sara Ocidental. O Bahrein e os Emiratos Árabes Unidos já tinham concordado nos últimos meses em reatar as relações com Israel, e o Sudão garantiu o seu acordo de princípio para fazer o mesmo.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, descreveu o acordo como “mais um grande raio de luz para a paz” e avançou que os dois países pretendem reabrir os gabinetes de comunicações económicas, encerrados desde 2002, e trabalhar rapidamente para nomearem embaixadores e começarem a ter voos diretos entre os seus territórios, noticia a RTP.

Com a decisão de Trump, os EUA tornam-se o primeiro membro das Nações Unidas a reconhecer o Sara Ocidental como parte de Marrocos, apesar de a ONU o manter na lista dos territórios a descolonizar – e há mesmo um representante especial do secretário-geral para o Sara Ocidental.

“A séria, credível e realista proposta de autonomia é a ÚNICA base para uma solução justa e duradoura que garante a paz e a prosperidade”, afirmou Donald Trump. “Marrocos reconheceu os Estados Unidos em 1777. É, por isso, adequado que reconheçamos a sua soberania sobre o Sara Ocidental”, diz o ainda Presidente, acerca de uma realidade que, mas últimas semanas, voltou a registar focos de confronto entre a Frente Polisário, que lidera a luta pela independência do território, e o exército marroquino.

Meios de comunicação israelitas citados também na RTP dizem que o acordo foi proposto por Israel à Casa Branca no início deste ano quando, de acordo com jornais franceses, Marrocos adquiriu três drones a Israel por 48 milhões de dólares.

O primeriro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, nega, no entanto, que as questões de segurança sejam o tema do acordo, que se funda, argumenta, nos muitos israelitas de origem marroquina: “Todos conhecem os fortes laços dos reis marroquinos e do povo marroquino com a comunidade judaica em Israel. Centenas de milhares de judeus deslocaram-se de Israel para Marrocos e formam uma ponte viva entre os povos de Marrocos e de Israel. Esta base sólida é a fundação na qual construímos esta paz”, acrescentou.

 

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver

40ª viagem apostólica

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver novidade

O Papa acaba de embarcar naquela que tem sido descrita como uma das viagens mais ousadas do seu pontificado, mas cujos riscos associados não foram motivo suficiente para que abdicasse de a fazer. Apesar dos problemas de saúde que o obrigaram a adiá-la, Francisco insistiu sempre que queria ir à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul. Mais do que uma viagem, esta é uma missão de paz. E no Congo, em particular, onde os conflitos já custaram a vida de mais de seis milhões de pessoas e cuja região leste tem sido atingida por uma violência sem precedentes, a presença do Papa será determinante para mostrar a toda a comunidade internacional aquilo que ela parece não querer ver.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana novidade

Quando ambos falamos de realização humana, talvez estejamos a referir-nos a coisas diferentes. Decerto que uma pessoa com deficiência pode ser feliz, se for amada e tiver ao seu alcance um ambiente propício à atribuição de sentido para a sua existência. No entanto, isso não exclui o facto da deficiência ser uma inegável limitação a algumas capacidades que se espera que todos os seres humanos tenham (e aqui não falo de deficiência no sentido da nossa imperfeição geral).

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This