Cardeal Parolin testa positivo

Medidas de controlo são duras, mas há vários casos de covid no Vaticano

| 18 Jan 2022

cardeal pietro parolin foto vatican news

Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano. Foto: Vatican News

 

O número dois na hierarquia vaticana, o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, tem covid-19 noticiou esta terça-feira, 18 de janeiro, o Vaticano, citado por diversas agências de notícias.

O substituto do cardeal, o arcebispo venezuelano Edgar Peña Perra, também testou positivo. Parolin tem sintomas muito ligeiros e Perra está assintomático. O Vaticano nada informou quanto à data do último contacto destes dois responsáveis com o Papa Francisco.

O Estado do Vaticano adotou a vacina da Pfizer, exigindo, desde 23 de dezembro de 2021, que  os funcionários e visitantes não entrem sem o “passe verde” completo, comprovando estarem vacinados, dada “a continuação e agravamento da atual emergência sanitária”.

O mesmo vale para o acesso aos museus do Vaticano.

Apesar destas precauções e da elevada taxa de eficácia atribuída à vacina adotada, continuam a surgir casos de pessoas infetadas, apesar de terem sido vacinadas duas ou três vezes. Para além das figuras de topo, como o cardeal Parolin e Peña Parra, soube-se no último fim-de-semana que o bispo Brian Farrell, secretário do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, também estava positivo.

Recentemente, circulou a notícia de mais de uma dezena de elementos da Guarda Suíça também positivos.

Apesar de recentemente o secretário de Estado, Pietro Parolin, ter posto de lado a possibilidade de poder vir a ser invocada uma “isenção de consciência” face à vacina por parte daqueles que a veem contaminada pelas cadeias celulares derivadas de abortos, o jornal católico britânico The Tablet referia há dias que uma teóloga do Reino Unido, Caroline Farey, tinha subscrito uma assim designada “Declaração de Belém”.

Este documento vem dos setores mais radicalmente inimigos do Papa Francisco e declaradamente antivacinas, como o arcebispo Carlo Maria Viganò. Ora aquela teóloga, especializada em catequese, integra a comissão (re)criada pelo Papa em 2019, para estudar a questão do diaconado feminino na Igreja.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“A grande substituição”

[Os dias da semana]

“A grande substituição” novidade

Outras teorias da conspiração não têm um balanço igualmente inócuo para apresentar. Uma delas defende que estamos perante uma “grande substituição”; não ornitológica, mas humana. No Ocidente, sustentam, a raça branca, cristã, está a ser substituída por asiáticos, hispânicos, negros ou muçulmanos e judeus. A ideia é velha.

Humanizar não é isolar

Humanizar não é isolar novidade

É incontestável que as circunstâncias de vida das pessoas são as mais diversas e, em algumas situações, assumem contornos improváveis e, muitas vezes, indesejáveis. À medida que se instalam limitações resultantes ou não de envelhecimento, alguns têm de habitar residências sénior, lares de idosos, casas de repouso,…

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This