Meditação de Taizé para o Domingo de Ramos: entrar de jumento, um símbolo de paz

| 28 Mar 2021

Procissão de Ramos dos irmãos de Taizé. Foto: Direitos reservados.

 

A entrada de Jesus em Jerusalém, em cima de um jumento, é um símbolo de paz. Era um burro que os reis usavam como meio de transporte em tempos de paz – os cavalos eram apenas utilizados para a guerra.

O episódio é contado no Evangelho Segundo Lucas (19, 28-40) e é o ponto de partida do irmão Stephen, de Taizé, na meditação que a comunidade começou a propor neste Domingo de Ramos, com o Domingo de Ramos, 28 de Março, e que continuará durante esta Semana Santa.

Partindo do facto de o território de Israel/Palestina ser, na época, ocupado pelo Império Romano, o irmão Stephen, de origem inglesa e anglicana, pergunta: “Quem é, ou o que é, a potência estrangeira que ocupa a minha vida, que não me deixa ser um homem ou uma mulher livre?” Enumera depois um conjunto de razões políticas e económicas que podem criar barreiras ou divisões entre as pessoas, para referir que o interesse de Roma pelo Médio Oriente era semelhante ao que hoje se verifica por parte das grandes potências: são os recursos naturais; hoje, o petróleo, os cereais há dois milénios atrás.

Afirmando que “a primavera é um tempo de esperança, de recomeços”, pergunta ainda: “Que coisas na minha própria cultura me podem impedir de seguir o rei no seu burro?”

Taizé, uma pequena aldeia da Borgonha (França) deu nome à comunidade de monges que ali se fixou a partir de 1940, com a chegada do irmão Roger. Actualmente, reúne perto de uma centena de membros, que vivem quer em Taizé, quer em pequenas fraternidades em diferentes países pobres do mundo.

Os irmãos de Taizé, que vivem normalmente do seu trabalho, estão neste momento a diversificar actividades; começaram a produzir bolachas, chás e outros produtos artesanais, uma vez que o acolhimento na aldeia tem estado muito reduzido, em virtude da pandemia. Alguns deles têm mesmo feito trabalhos agrícolas e outros na região. Os produtos para venda estão disponíveis na loja virtual.

O vídeo pode ser visto a seguir. Para aceder às legendas em português, clicar nas definições do vídeo (roda dentada, em baixo, à direita) e, aí, selecionar “legendas” e, depois, português:

 

Pena de morte volta a matar em 2021

Relatório da Amnistia Internacional

Pena de morte volta a matar em 2021 novidade

Em 2021 a Amnistia Internacional (AI) confirmou 579 execuções de pessoas condenadas à morte pelo sistema judicial de 18 países. De acordo com a documentação da AI enviada ao 7MARGENS no dia 23 de maio, aquele número representa um crescimento de 20 por cento em relação ao registado no ano anterior. Contudo, graças à pandemia, em 2021 o número de execuções certificadas continua baixo, sendo o segundo menor desde 2010.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Igreja no apoio às vítimas das cheias

Bangladesh e Índia

Igreja no apoio às vítimas das cheias novidade

Os católicos indianos juntaram-se aos esforços de socorro e resgate organizados por ONG e agências governamentais, na sequência daquilo que os especialistas já consideram ser as piores cheias dos últimos 20 anos, já que o número de mortos pelas inundações em Assam chegou a 24 no estado do nordeste.

Uma renovação a precisar de novos impulsos

Uma renovação a precisar de novos impulsos novidade

  A experiência que fizemos no Concílio Vaticano II constitui o rosto dos documentos tão ricos que ficam como acervo da sua memória, dizia frequentemente o bispo de Aveiro, D. Manuel de Almeida Trindade. Eu era seu colaborador pastoral. E pude verificar como...

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This