Meditações de Taizé na Semana Santa: “Ver e ouvir os que não são vistos nem ouvidos”

| 30 Mar 21

“Ver e ouvir os que são marginalizados, os que não são vistos pode ajudar a tornar realidade a vida em conjunto, como irmãos e irmãs.” Esta é a ideia sugerida na meditação do irmão Frank, de Taizé, a pretexto da parábola do rico avarento e do pobre Lázaro, contada no Evangelho Segundo São Lucas (16, 19-31).

“Esta parábola convida a alargar fronteiras ou mesmo a eliminar fronteiras” porque a forma como se estabelecem separações “pode determinar a qualidade de vida que temos e a qualidade de vida” de outras pessoas, reflecte o membro da comunidade ecuménica da pequena aldeia da Borgonha (França).

Durante esta Semana Santa do calendário cristão, os irmãos de Taizé estão a propor curtas reflexões através do canal YouTube. “Quem são as pessoas invisíveis na nossa sociedade? Na minha escola quem são as pessoas que não têm amigos? No trabalho, quem é o colega com quem ninguém fala?”, pergunta o irmão Franck, de Taizé, para responder: “Não chega ver, temos de escutar.”

O vídeo pode ser visto a seguir (para aceder às legendas em português, clicar na roda dentada, em baixo à direita; aí, selecionar “legendas” e, depois, português):

Entre Quinta-feira Santa, 1 de Abril, e Domingo de Páscoa, dia 4, um programa especial, animado ao vivo às 18 horas por jovens voluntários, será proposto também no canal YouTube da comunidade.

 

Roma, temos um problema, e este livro ajuda a entendê-lo

Abusos sexuais na Igreja

Roma, temos um problema, e este livro ajuda a entendê-lo novidade

Roma, Temos um Problema pode ser apresentado em quatro partes, assumidas aliás pela organização que o autor lhe dá: um primeiro levantamento histórico; uma segunda parte sobre casos marcantes a nível internacional, incluindo alguns pouco conhecidos; e uma terceira parte sobre os casos portugueses até agora vindos a público. Em síntese, faz-se uma descrição e análise de causas e consequências sobre o que aconteceu em 20 séculos de história do cristianismo (sobretudo ocidental).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Uma Teofania nos corações humanos

Uma Teofania nos corações humanos novidade

A Epifania é celebrada pelas Igrejas Ortodoxas a 6 de Janeiro no calendário Juliano (19 no calendário Gregoriano), 12 dias após a Festa do Natal. A banalização da festa do Natal inscreveu-a no imaginário do espírito humano, sobrevalorizando-o e operando a sua dessacralização em detrimento do Espírito de Deus.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This