Menos Solidão com a Coração Amarelo

| 28 Mar 2021

São todos voluntários e querem ajudar a combater o isolamento dos mais velhos. Visitam-nos em casa e nos hospitais, organizam atividades lúdicas e culturais, colónias de férias e piqueniques. E nem a covid-19 os desfocou da sua missão. Em época de confinamento, fazem companhia pelo telefone.

 

A organização de voluntariado procura ir ao encontro dos idosos mais isolados e dependentes. Foto: Direitos Reservados

 

Há 21 anos, em maio de 2000, sete mulheres decidiram juntar a sua experiência de trabalho social para combater o isolamento, sobretudo dos mais velhos. Nasceu a Associação Coração Amarelo.

Ao serviço da comunidade e assente no trabalho de voluntários, a associação mantém-se hoje com o principal objetivo de “contribuir para a autonomia” e “apoiar e melhorar a qualidade de vida das pessoas em situação de solidão e/ou dependência, preferencialmente as mais idosas”, diz Rosa Araújo, presidente da direção nacional.

Com 700 sócios voluntários e 500 beneficiários, a Coração Amarelo promove, em vários pontos do país, diversas ações de sensibilização e de animação cultural e recreativa, incentivando o relacionamento intergeracional.

Visitas a casa ou no hospital, passeios e diversas atividades lúdicas e culturais, como o teatro, a música ou os trabalhos manuais, colónias de férias e piqueniques são algumas das ações organizadas pela associação.

Por força do confinamento devido à pandemia e pela impossibilidade das visitas presenciais, a atividade mudou, mas não parou. O contacto telefónico foi a alternativa e a ponte para um novo projeto: “Um Amigo aqui à Mão” para promover os contactos à distância com imagem. O objetivo é agora atribuir smartphones e tablets entre o público-alvo para permitir o contacto visual.

Mas não faltam outros projetos para o futuro. o projeto “Olá Vizinho”, que visa sensibilizar todos para a causa dos mais velhos, já está em marcha em Oeiras, em parceria com a Câmara Municipal. Em Lisboa, está a ser desenvolvido em conjunto com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e com outros parceiros. A este projeto junta-se o “Renascer na Primavera” cujo lançamento está previsto para breve.

A Coração Amarelo tem ainda uma parceria com um grupo de teatro do Porto que já tem pronto um monólogo sobre a solidão, “Para não morrer assim, à vista de um sol assim”, que será apresentado por todo o país.

Para assinalar os 21 anos da sua fundação, a associação fundada por Ana Pires Marques, Elvira Morais, Helena Cadete, Lisete Oliveira, Lucília Campos, Manuela Marques Alves e Rosa Araújo organiza um congresso, no próximo dia 18 de maio, cujo tema central é a sua causa de sempre: “Missão (Im)-Possível Menos Solidão“.

 

Texto corrigido dia 29 às 17h20, na referência às parcerias do projeto Olá Vizinho

 

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero

Encontro “Cuidar” em Lisboa

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero novidade

“O que encontramos assusta-me: desilusão, depressão, crise existencial, perda de identidade, fim da relação entre presbíteros, perda de confiança na instituição e na hierarquia.” O diagnóstico cáustico é feito ao 7MARGENS pelo padre inglês Barry O’Sullivan, 61 anos, da diocese de Manchester, que estudou o impacto dos abusos sexuais entre os padres não abusadores.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Luz e negrume

Luz e negrume novidade

As obras de Pedro Costa, cineasta, Rui Chafes, escultor, e Paulo Nozolino, fotógrafo, e de Simon Hantaï, artista plástico, estão expostas em Paris, respectivamente no Centre Georges Pompidou e na Fundação Louis Vitton. Um autor, identificado como Anonymous, estabelece com elas um diálogo em dois poemas traduzidos por João Paulo Costa, investigador na área de filosofia e autor de À sombra do invisível (Documenta, 2020).

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos

Contributos para o Sínodo (23)

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos novidade

Os leigos devem ser ouvidos nos processos de nomeação de párocos e de escolha dos bispos e a Igreja deve ter uma lógica de reparação da situação criada pelos abusos de menores. Evitar o clericalismo e converter os padres a uma Igreja minoritária, pobre, simples, dialogante, sinodal é outra das propostas do Conselho Paroquial de Pastoral da Paróquia de Nossa Senhora da Hora (Matosinhos).

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma novidade

A saúde mental dos jovens tem-se vindo a tornar, aos poucos, num tema com particular relevância nas reflexões da sociedade hodierna, ainda que se verifique que estas possam, muitas das vezes, não resultar em concretizações visíveis e materializar em soluções para os problemas que afetam os membros desta mesma sociedade. A verdade é que, apesar de todos os esforços por parte dos profissionais de saúde e também das pessoas, toda a temática é, ainda, envolvida por uma “bolha de estigmas”, o que a transforma numa temática-tabu.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This