Menos Solidão com a Coração Amarelo

| 28 Mar 21

São todos voluntários e querem ajudar a combater o isolamento dos mais velhos. Visitam-nos em casa e nos hospitais, organizam atividades lúdicas e culturais, colónias de férias e piqueniques. E nem a covid-19 os desfocou da sua missão. Em época de confinamento, fazem companhia pelo telefone.

 

A organização de voluntariado procura ir ao encontro dos idosos mais isolados e dependentes. Foto: Direitos Reservados

 

Há 21 anos, em maio de 2000, sete mulheres decidiram juntar a sua experiência de trabalho social para combater o isolamento, sobretudo dos mais velhos. Nasceu a Associação Coração Amarelo.

Ao serviço da comunidade e assente no trabalho de voluntários, a associação mantém-se hoje com o principal objetivo de “contribuir para a autonomia” e “apoiar e melhorar a qualidade de vida das pessoas em situação de solidão e/ou dependência, preferencialmente as mais idosas”, diz Rosa Araújo, presidente da direção nacional.

Com 700 sócios voluntários e 500 beneficiários, a Coração Amarelo promove, em vários pontos do país, diversas ações de sensibilização e de animação cultural e recreativa, incentivando o relacionamento intergeracional.

Visitas a casa ou no hospital, passeios e diversas atividades lúdicas e culturais, como o teatro, a música ou os trabalhos manuais, colónias de férias e piqueniques são algumas das ações organizadas pela associação.

Por força do confinamento devido à pandemia e pela impossibilidade das visitas presenciais, a atividade mudou, mas não parou. O contacto telefónico foi a alternativa e a ponte para um novo projeto: “Um Amigo aqui à Mão” para promover os contactos à distância com imagem. O objetivo é agora atribuir smartphones e tablets entre o público-alvo para permitir o contacto visual.

Mas não faltam outros projetos para o futuro. o projeto “Olá Vizinho”, que visa sensibilizar todos para a causa dos mais velhos, já está em marcha em Oeiras, em parceria com a Câmara Municipal. Em Lisboa, está a ser desenvolvido em conjunto com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e com outros parceiros. A este projeto junta-se o “Renascer na Primavera” cujo lançamento está previsto para breve.

A Coração Amarelo tem ainda uma parceria com um grupo de teatro do Porto que já tem pronto um monólogo sobre a solidão, “Para não morrer assim, à vista de um sol assim”, que será apresentado por todo o país.

Para assinalar os 21 anos da sua fundação, a associação fundada por Ana Pires Marques, Elvira Morais, Helena Cadete, Lisete Oliveira, Lucília Campos, Manuela Marques Alves e Rosa Araújo organiza um congresso, no próximo dia 18 de maio, cujo tema central é a sua causa de sempre: “Missão (Im)-Possível Menos Solidão“.

 

Texto corrigido dia 29 às 17h20, na referência às parcerias do projeto Olá Vizinho

 

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This