Universidade Lusófona

Mestrado em Ciência das Religiões tem nova direção

| 29 Jan 2024

Universidade Lusófona de Lisboa. Foto UL-CUL

Universidade Lusófona, em Lisboa. Durante os oito anos de direção de José Brissos-Lino no Mestrado em Ciência das Religiões, foram defendidas 27 dissertações de mestrado. Foto © UL-CUL

O Mestrado em Ciência das Religiões, da Universidade Lusófona-Centro Universitário de Lisboa (UL-CUL), conta com uma nova equipa diretora, anunciou a instituição nesta segunda-feira, 29 de janeiro. Os professores Jorge Botelho Moniz (diretor) e Fabrizio Boscaglia (subdiretor) sucedem ao professor José Brissos-Lino, que continuará a colaborar com o Mestrado e com a área de Ciência das Religiões da universidade.

Durante os oito anos de direção de José Brissos-Lino, foram defendidas 27 dissertações de mestrado, tendo o curso adquirido “uma reputação académica muito importante”, assinala o comunicado da UL-CUL. “Começa agora uma nova fase, plena de continuidades mas também com novos desafios”, acrescenta o texto, adiantando que “a nova equipa diretora apresentará em breve as suas linhas de ação para o Mestrado, continuando a Universidade Lusófona a desenvolver esta importante área científica , com uma profunda relação com a sociedade e a cidadania”.

Jorge Botelho Moniz é Doutor em Ciência Política, trabalhando, em particular, sobre relações Estado-religiões, secularização, diversidade cultural, liberdade religiosa e religiões na Europa. Dirige a licenciatura em Estudos Europeus e Relações Internacionais na Universidade Lusófona, onde exerce também o cargo de professor auxiliar.

Fabrizio Boscaglia é um investigador italiano, que se dedica principalmente ao estudo do Islão e da Cultura Islâmica na Literatura e no Pensamento Portugueses Contemporâneos. Doutor em Filosofia pela Universidade de Lisboa, possui um Mestrado em Psicologia pela Universidade de Turim. É membro colaborador do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa (CFUL) e docente no Mestrado em Ciência das Religiões da Universidade Lusófona (ULHT).

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This