Ramadão no Reino Unido

Metade dos muçulmanos não consegue quebrar jejum

| 3 Abr 2022

 

O aumento do custo de vida e os cortes nos apoios sociais decididos pelo Governo de Boris Johnson fazem com que quase metade dos muçulmanos da Grã-Bretanha não tenha comida suficiente para quebrar o jejum durante este Ramadão (1 de abril a 1 de maio). A informação foi divulgada pelo Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha e noticiada no The Muslim Times de 3 de abril.

O jornal recorda que 46 por cento da população muçulmana britânica vive nas áreas mais carenciadas do Reino Unido e que as instituições de caridade islâmicas estão submergidas em pedidos de ajuda e relatam o recurso generalizado da população muçulmana aos bancos alimentares.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

O que têm dito os papas sobre a paz

Debate e oração no Rato, em Lisboa

O que têm dito os papas sobre a paz novidade

As mensagens dos Papas para o Dia Mundial da Paz é o tema da intervenção do padre Peter Stilwell neste sábado, 3 de Dezembro (Capela do Rato, em Lisboa, 19h), numa iniciativa integrada nas celebrações dos 50 anos da vigília de oração pela paz que teve lugar naquela capela, quando um grupo de católicos quis permanecer em oração durante 48 horas, em reflexão sobre a paz e contra a guerra colonial.

Ministro russo repudia declarações do Papa

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This