Reunião do Verbo Divino

Missionários impedidos de entrarem em Moçambique

| 9 Jun 2022

Celebração de missionários do Verbo Divino, em Moçambique © SVD Moçambique

Celebração de missionários do Verbo Divino, em Moçambique © SVD Moçambique

 

As autoridades moçambicanas travaram a entrada no país a 50 missionários do Verbo Divino que iam participar a 22 de maio num encontro internacional desta congregação da Igreja Católica, denunciou a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

Segundo a AIS, os 50 missionários de diversos países foram impedidos de entrar em Moçambique, apesar dos esforços da organização para a obtenção dos vistos a tempo da entrada no país.

Para o encontro de coordenadores das principais áreas de trabalho de todas as províncias de África e Madagáscar (Afram) do Verbo Divino, dez missionários arriscaram a viagem tentando obter uma autorização através do Departamento de Migração existente no aeroporto de Maputo, mas sem sucesso. O visto foi negado e os padres foram obrigados a apanhar aviões de regresso aos seus países.

De acordo com a AIS, a situação causou mal-estar na comunidade, que está a assinalar os 25 anos de presença em Moçambique, tendo um dos missionários do Verbo Divino, Moacir Rudnick, secretário da missão moçambicana, escrito nas redes sociais que esta situação “é uma vergonha para Moçambique”.

Já o padre Johnson Furtado, que é superior regional dos Missionários do Verbo Divino em Moçambique, afirmou à Fundação AIS, por telefone, não compreender a razão por que as autoridades negaram a concessão dos vistos e a respetiva entrada no país a tantos sacerdotes e irmãos desta congregação da Igreja Católica. “Não sei qual é a razão. É um pouco difícil para mim dizer qual a razão por que isto aconteceu.”

O padre Furtado reconheceu que se tem vindo a complicar a concessão dos vistos em Moçambique, e que todos os documentos passam invariavelmente pela Nunciatura Apostólica em Maputo, ou seja, pela representação diplomática da Santa Sé. “Sim, agora é sempre um pouco complicado. Levam muito tempo. Todos os nossos documentos vão para a Nunciatura, e da Nunciatura vão para o ministro dos Assuntos Religiosos e depois passa para [os serviços de] migração e tudo o mais e leva muito tempo… No mínimo dois meses. Mas é para cima disso.”

Moacir Rudnick afirmou, em mensagem enviada para a Fundação AIS em Lisboa, que a dificuldade na obtenção dos vistos é algo cada vez mais comum em Moçambique e afeta todas as congregações. “O que nos preocupa é que essa situação não é só nossa, dos missionários do Verbo Divino, outras congregações têm enfrentado a mesma situação: a muitas irmãs e padres, leigos missionários… foram recusadas as suas entradas” no país, sem que sejam dadas justificações.

Segundo a AIS, a não atribuição dos vistos necessários para que os missionários do Verbo Divino pudessem ter participado na capital moçambicana na reunião galgou fronteiras. O padre Lawrence Muthee, da Tanzânia, que é o coordenador de comunicação da Afram, diz que “a reunião teve uma reviravolta extraordinária”, pois muitos dos participantes não puderam estar fisicamente presentes no encontro, “devido a complicações nos vistos”. Entre os 50 missionários que não tiveram autorização de entrada, estava o próprio coordenador da Afram, o padre Willibrord Kamion Bhia, da República Democrática do Congo.

 

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos

Relatório da ONU alerta

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos novidade

O mais recente relatório da ONUSIDA, divulgado esta terça-feira, 29 de novembro,  é perentório: “o mundo continua a falhar à infância” na resposta contra a doença. No final de 2021, 800 mil crianças com VIH não recebiam qualquer tratamento. Entre os cinco e os 14 anos, apenas 40% tiveram acesso a medicamentos para a supressão viral. A boa notícia é que as mortes por sida caíram 5,79% face a 2020, mas a taxa de mortalidade observada entre as crianças é particularmente alarmante.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana” novidade

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This