Moçambique: Amnistia documenta escalada do terror em Cabo Delgado

| 2 Mar 21

 

Amnistia, Cabo Delgado, refugiados, Moçambique

As Nações Unidas calculam que mais de 530 mil pessoas estão deslocadas em Cabo Delgado. Segundo a UNICEF, cerca de 250 mil desses refugiados são crianças. Foto © Amnistia Internacional

 

Centenas de civis foram mortos em Moçambique pelo grupo armado Al-Shabaab, pelas forças de segurança governamentais e por uma empresa militar privada – a Dyck Advisory Group (DAG) – contratada pelo Governo, indica um relatório da Amnistia Internacional sobre o conflito que continua a devastar Cabo Delgado e que já obrigou mais de meio milhão de pessoas a fugir das suas aldeias.

O relatório “O que Vi foi a Morte: Crimes de guerra no “Cabo Esquecido” de Moçambique” foi divulgado ao início do dia de hoje, 2 de março, baseia-se em entrevistas com 79 deslocados de 15 comunidades e concentra-se principalmente no impacto da intensificação da luta armada em Cabo Delgado desde o grande ataque do Al-Shabaab a Mocímboa da Praia, em março de 2020.

Vários casos de assassínio, tortura e violência extrema por parte das três forças intervenientes no conflito são extensamente narrados e certificados. O relatório comprova que os membros do Al-Shabaab (sem ligações ao Al-Shabaab da Somália) mataram deliberadamente civis, incendiaram vilas e aldeias e cometeram atos de violência bárbaros com machetes, nomeadamente inúmeras decapitações e profanação de cadáveres. Por outro lado, fica provado que os militares e os agentes da polícia realizaram execuções extrajudiciais, cometeram atos de tortura e outros maus-tratos e mutilaram corpos.

Finalmente, os operacionais da DAG, a empresa militar privada sul-africana contratada pelo Governo de Maputo depois das forças de segurança regulares terem sofrido sucessivas derrotas no confronto com os membros do Al-Shabaab, são acusados de matarem civis indiscriminadamente. Segundo 53 testemunhas que falaram com a Amnistia Internacional sobre a atuação dos operacionais da DAG, estes dispararam metralhadoras dos helicópteros, lançaram granadas de mão indiscriminadamente contra multidões e dispararam também repetidamente contra infraestruturas civis, incluindo hospitais, escolas e habitações.

A Amnistia Internacional relembra que o projeto de recolha de Dados sobre a Localização e Eventos de Conflitos Armados (ACLED) estima que mais de 1 300 civis foram mortos durante o conflito. As Nações Unidas calculam que mais de 530 mil pessoas, o equivalente a um quarto de toda a população da província de Cabo Delgado, estão deslocadas na província. Segundo a UNICEF, cerca de 250 mil desses deslocados são crianças.

 

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow

Cimeira do Clima

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow novidade

A Comunidade de Taizé foi convidada pelo Comité Coordenador da COP26 das Igrejas de Glasgow para preparar e liderar uma vigília para estudantes e jovens em Glasgow durante a Cimeira do Clima. Mais de sete mil pessoas passaram por Taizé, desde junho, semana após semana, apesar do contexto da pandemia que se vive.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This