Moçambique: Mais terror, crianças decapitadas e fome agravada em Cabo Delgado

| 17 Mar 21

mocambique cabo delgado destruicao

A destruição dos últimos dias em Cabo Delgado. Imagem captada a partir de um vídeo da agência Reuters.

O drama humanitário em Cabo Delgado, província do extremo Norte de Moçambique, que já vinha a agudizar-se nos últimos meses, ganhou esta semana tons ainda mais cruéis, com a denúncia de que crianças foram decapitadas pelos grupos armados que têm espalhado o terror naquela província.

A organização não-governamental Save the Children (Salvem as Crianças), que esteve na região, refere relatos de famílias que dão conta de cenas horríveis que viveram, nomeadamente de crianças raptadas e mortas. Em um caso, pelo menos, uma mulher testemunhou a decapitação do próprio filho e este tipo de prática foi referido como tendo já ocorrido anteriormente.

A ONG cita o relato de uma mãe: “Naquela noite, a nossa aldeia foi atacada e as casas foram queimadas. Quando tudo começou, eu estava em casa com meus quatro filhos. Tentámos escapar para o mato, mas eles apanharam o meu filho mais velho e decapitaram-no. Não podíamos fazer nada porque também seríamos mortos.”

“Depois de o meu filho de 11 anos ter sido morto – conta, por sua vez uma outra mãe – percebemos que já não era seguro ficar na aldeia. Fugimos para a casa do meu pai noutra aldeia, mas alguns dias depois os ataques começaram ali também. Eu, o meu pai e os meus filhos passámos cinco dias a comer bananas verdes e a beber água de bananeira até conseguirmos o transporte que nos trouxe aqui.”

O terror continua a fazer com que famílias inteiras, muitas vezes separadas, se vejam forçadas a abandonar as suas casas e aldeias para rumarem a zonas tidas como mais seguras. O número de deslocados ultrapassa as 670 mil pessoas, segundo a ONU, e uma boa parte delas enfrenta a falta de alojamento e de alimentação.

“A ajuda é desesperadamente necessária, mas poucos doadores dão prioridade à assistência para aqueles que perderam tudo e para os seus filhos”, quando as necessidades “superam em muito os recursos disponíveis”, diz Chance Briggs, da Save the Children. “Enquanto o mundo esteve focado na covid-19, a crise de Cabo Delgado cresceu e foi menosprezada”, acrescenta.

De facto, várias ONG internacionais e confissões religiosas montaram serviços de socorro, que se têm revelado manifestamente essenciais, mas insuficientes, perante a avalanche de deslocados. Ainda há dias o repórter Nuno Amaral, da Antena 1, que percorreu diversas localidades de Cabo Delgado, dava conta de ter encontrado acampamentos improvisados em que a fome e a urgência de auxílio era o mote mais frequente das conversas, problemas que afetam já os próprios autóctones dos aglomerados onde se foram concentrando aqueles que fugiram.

Entretanto, os Estados Unidos da América iniciaram na última segunda-feira, dia 15, um curso de formação de dois meses de fuzileiros moçambicanos para combater o “alastramento do terrorismo e do extremismo violento” em Cabo Delgado.

Também em janeiro passado esteve em Moçambique o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, que representava a União Europeia e que respondia a um pedido de ajuda de Moçambique para acabar com a insurgência armada em Cabo Delgado. Várias equipas de Moçambique e da União Europeia passaram, desde então, a realizar reuniões técnicas para futuras ações de cooperação humanitária e militar.

 

Padre João Felgueiras, 100 anos: várias memórias e três imagens

Missionário em Timor

Padre João Felgueiras, 100 anos: várias memórias e três imagens

O padre João Felgueiras, padre jesuíta e missionário em Timor-Leste desde 1971, atravessou a época colonial portuguesa (até 1975), a ocupação indonésia (1975-1999) e os anos da independência (2002 até hoje). Completando 100 anos neste 9 de Junho (viveu 50 anos em Portugal e outros 50 em Timor-Leste), o jesuíta foi o centro de uma pequena homenagem em Díli, que incluiu a publicação de um livro com vários depoimentos. Dele se extraem vários elementos que a seguir se coligem acerca da vida deste homem e padre que, durante a ocupação indonésia, apoiou a resistência timorense e que chegou a enviar recados para os políticos portugueses (ver texto de Adelino Gomes no final).  

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Crónica

Isto não é gozar com quem…?

[Segunda Leitura]

Isto não é gozar com quem…?

Ler jornais é saber mais. Vamos, então, a alguma leitura. Esta notícia, por exemplo: “Relação diz que pontapés e palmadas não são violência doméstica” (JN, 28/5/2021). O caso diz respeito a um homem que foi condenado, em primeira instância, a ano e meio de prisão e ao pagamento de uma indemnização de mil euros, por ter sido o autor destes atos de violência para com a sua companheira.

Breves

Ano de S. José em Coimbra

Dia do Ambiente assinalado com plantação de cedro do Líbano

A Paróquia de S. José, em Coimbra assinalou, no passado sábado, o Dia Mundial do Ambiente com a plantação de um Cedro do Líbano no jardim junto à igreja.  Um momento que contou com a presença de Helena Freitas, professora do Departamento de Botânica da Universidade de Coimbra, e de um grupo de crianças da catequese, do Grupo ASJ – Adolescentes de São José e de vários paroquianos.

Vaticano

Papa “magoado” com restos mortais de 215 crianças no Canadá

O Papa Francisco confessou-se magoado com a descoberta dos restos mortais de 215 crianças numa antiga escola católica para crianças indígenas no Canadá, pedindo respeito pelos direitos e culturas dos povos nativos. No entanto, não apresentou um pedido de desculpas, como pretendem o Governo daquele país e dirigentes de comunidades autóctones.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Protestantismo

Colóquio internacional sobre Lutero

“Lutero – 500 anos: herege e inimigo do Estado” é o título do colóquio que tem lugar às 21h00 desta terça-feira, 25 de maio, via zoom, organizado pela Sociedade Portuguesa da História do Protestantismo.

Médicos Sem Fronteiras denunciam a perda de vidas civis em Gaza

Considerando “indesculpáveis e intoleráveis os ataques aéreos israelitas feitos nos últimos dias contra a população e infraestruturas civis em Gaza”, a organização internacional médica-humanitária Médecins Sans Frontières / Médicos Sem Fronteiras (MSF) confirma que a clínica que opera em Gaza foi danificada na sequência dos bombardeamentos de domingo, 16 de Maio. Uma sala de esterilização ficou inutilizável e uma zona de espera foi destruída.

Do interior ao Médio Oriente e ao mundo, quatro jornalistas explicam como gastam a sola dos sapatos

Jornalismo com maior transparência, originalidade e com histórias contadas a partir de pessoas concretas, gastando as solas dos sapatos. Com esse ponto de partida, tendo como pano de fundo a mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, que se assinalou neste domingo, 16 de Maio, o 70×7, programa da Igreja Católica na RTP2, foi este domingo ao encontro de quatro jornalistas, que procuram dar prioridade à ideia de contar histórias.

Entre margens

Moçambique

Ventos, baladas e canções do matrimónio

Tive que escrever um texto sobre Balada de Amor ao Vento, o primeiro romance da primeira romancista moçambicana, Paulina Chiziane. Folheando o livro, encontrei algumas anotações feitas, há algum tempo. Tenho o hábito de borrar nos meus livros, com os pensamentos que me ocorrem, no momento da leitura.

Futebol

A república do ludopédio

Os ingleses inventaram o ludopédio (futebol) e continuam a driblar-nos com ele. Mas isso só é possível porque persistimos em ser provincianos. Deslumbramo-nos com tudo o que vem de fora e nem sequer nos damos ao respeito.

Cultura e artes

Livro

As casas e os espaços dos primeiros cristãos novidade

Esta obra apresenta uma coletânea de textos dos quatro primeiros séculos sobre os espaços que os cristãos criaram para celebrar a sua fé, desde homilias a catequeses pascais, de cartas a escritos teológicos. O leitor é introduzido neste património literário por um amplo estudo de Isidro Lamelas.

Concerto em Lisboa

Música de Pärt e Teixeira para um tempo de confiança

Hinário para um tempo de confiança, obra musical de Alfredo Teixeira, sobre textos de frei José Augusto Mourão, e The Beatitudes (As bem-aventuranças), do estoniano Arvo Pärt, raramente interpretada em Portugal, são as duas peças que marcam o regresso do Ensemble São Tomás de Aquino à sua temporada de concertos, neste sábado, 5 de Junho, às 21h, na Igreja Paroquial de São Tomás de Aquino (R. Virgílio Correia, em Lisboa).

Dia Mundial dos Oceanos

“Ilhas de Plástico” no rio Minho apelam à luta ambiental

Artista idealizou como metáfora do tempo um conjunto de 24 esculturas esféricas de grande dimensão forradas com materiais de plástico, garrafas de água, tubos de diferentes cores e feitios idênticos aos utilizados na construção civil. Unidas entre si formam uma mega-instalação flutuante e ondulante, atractiva, pedagógica, capaz de provocar olhares desencontrados. No próximo dia 8 de Junho, Dia Mundial dos Oceanos, estará fundeada no rio Minho.

Sete Partidas

Aquele que habita os céus sorri

Parceiros

Fale connosco