Moçambique: sobe o número de mortos, mobiliza-se a solidariedade

| 21 Mar 19

As inundações na cidade da Beira. Foto © Programa Alimentar Mundial- WFP/Photolibrary

 

Na noite de quarta-feira, o número de mortos em Moçambique, Zimbabwe e Malawi, vítimas do ciclone Idai, ultrapassava já os 300. O número, que cresce todos os dias, foi dado pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, que alertou ainda para o número de 350 mil “em situação de risco” ao decretar o estado de emergência nacional.

A cidade da Beira é a mais afetada, como dá conta a Cruz Vermelha Internacional, que indicou que pelo menos 400.000 pessoas estão desalojadas naquela área (a cidade tinha pouco mais de meio milhão de habitantes). O país cumpre desde esta quarta-feira três dias de luto nacional, até sexta, 22.

A ajuda a Moçambique tem chegado de toda a parte: na terça-feira, saiu de Portugal uma missão de reconhecimento no âmbito de um grupo interministerial criado pelo Governo português. Na noite de quarta, um corpo de intervenção rápida das Forças Armadas seguiu também para a Beira.  

Do Banco Mundial chegará um financiamento de 90 milhões de dólares, aprovado na terça-feira no âmbito do programa de gestão de acidentes e riscos, e destinado a melhorar a eficácia da proteção e ajuda às pessoas perante desastres naturais. O Fundo de Gestão de Desastres permitirá o fortalecimento da prontidão do país para responder a catástrofes e criação de resistência às questões climáticas e reforço e modernização das vulneráveis infraestruturas de educação.

Muitos bens alimentares começaram a chegar no domingo e continuarão a chegar, segundo a representante do Programa Alimentar Mundial em Moçambique, Karin Manente: depois de um primeiro voo com 22 toneladas de alimentos que chegou no domingo, estava previsto um outro com mais 40 toneladas. 

De Portugal, há outros apoios já anunciados: a Ordem dos Médicos, em parceria com a Câmara Municipal do Porto, o Instituto Camões e a Direcção-Geral da Saúde, apoiará com ajuda médica e medicamentosa. Ao mesmo tempo, pretende recrutar vários médicos que aceitem ir para Moçambique durante um mês. 

A Câmara Municipal de Lisboa também anunciou que vai conceder um apoio no valor de 150 mil euros a Moçambique, “havendo igualmente disponibilidade imediata de envio de equipas multidisciplinares de técnicos para apoio a necessidades básicas no terreno”. Também a diocese de Braga doará 25 mil euros e a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre destinará, para já, outros 30 mil euros para ajudas, através das comunidades cristãs, sobretudo para necessidades imediatas: toldos, equipamentos básicos para habitação (como pratos, copos, baldes, etc.), alimentos e logística para deslocações. Outras organizações como a Cáritas já tinham anunciado outras ajudas, e também na quarta-feira o Papa apelou a que a comunidade internacional apoie de forma clara as vítimas da tempestade. 

O Idai, com fortes chuvas e ventos de até 170 quilómetros por hora, atingiu a Beira (centro de Moçambique) na quinta-feira à noite, 14 de março, deixando os cerca de 500 mil residentes na segunda maior cidade do país sem energia nem comunicações. 

A tempestade atingiu também o Zimbabwe (onde se contabilizam pelo menos 100 mortos, 200 feridos e 200 desaparecidos) e o Malawi, onde se contam até à data 112 mortos.

Nesta quarta-feira, 20, as Nações Unidas, que já consideraram este desastre como a maior tragédia de sempre no hemisfério sul, fizeram saber que necessitam de mais apoio monetário dos estados-membros, mesmo se não se consegue para já contabilizar os estragos materiais da catástrofe: “Deixámos claro que a quantidade de dinheiro que temos em mãos agora é insuficiente para ir ao encontro das necessidades no terreno, por isso vamos voltar a dirigir-nos ao Estados-membros para pedir mais ajuda”, disse Farhan Haq, porta-voz do secretário-geral, em conferência de imprensa na sede da ONU, em Nova Iorque.

Artigos relacionados

Breves

Patriarcado

Sé de Lisboa já tem sítio digital

Coincidindo com a celebração da dedicação da Sé Patriarcal, assinalada nesta segunda-feira, 25 de Outubro, foi colocado em linha o seu sítio digital, www.sedelisboa.pt, que reúne todas as informações mais relevantes sobre aquela que é a mais antiga igreja da capital portuguesa. 

Boas notícias

Timor-Leste: nasce associação para o turismo religioso

Iniciativa interconfessional

Timor-Leste: nasce associação para o turismo religioso

Acaba de nascer a Associação de Turismo Religioso de Timor-Leste (ATRTL), num ato realizado na última terça-feira, dia 11, na catedral da Imaculada Conceição, em Díli. O lançamento da iniciativa, que envolve todas as religiões do país, ocorreu no aniversário da data da visita do Papa João Paulo II àquele território, quando este se encontrava ainda ocupado pelo poder indonésio. O processo da sua criação, que decorria desde 2018, envolve as confissões católica (maioritária), protestante, muçulmana, hindu e confucionista.

É notícia 

Entre margens

Isto não é um acidente! novidade

Em matéria de abuso sexual de menores no meio católico, a primeira premissa de todas deve ser que esta situação não é pontual nem acidental, mas uma forma de estar. Infelizmente. Mas este cancro tem que ser extirpado.

Luiza Andaluz: uma voz feminina na história da Igreja em Portugal novidade

Nesta quarta-feira, 27 de outubro, será lançado em Santarém o terceiro volume dos escritos de Luiza Andaluz (1877-1973), fundadora da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima (SNSF). Depois de publicadas as suas Memórias e os seus Pensamentos, o Centro de Conhecimento Luiza Andaluz promove agora a edição de centenas de cartas dirigidas pela fundadora às irmãs da sua comunidade.

Sínodo de esperança ou nem isso

Tenhamos esperança de que o Sínodo começado em Portugal e em todas as dioceses do mundo católico-romano não seja um esfrangalhado tecido que nada terá a ver com a vontade indomável de um homem, que se chama Francisco, bispo de Roma e Papa. As primeiras notas não são nada animadoras: basta sentirmos o que a Igreja Católica em Portugal fez com a encíclica Laudato Si’, que simplesmente silenciou e, embora alguns pequenos grupos teimem em levá-la à luz do dia, o clero português, na sua generalidade, não estará para aí virado.

Cultura e artes

[D, de Daniel]

há uma voz que bebo novidade

Viajo para uma voz que escorre como um lado aberto, uma boca como uma abertura de lança, quer dizer, lugar directo ao coração, degrau onde ajoelhamos por ter chegado à nascente. Sou de um sítio em que a água era de colher: “Vai colher água à fraga”, foi um dos mandamentos aprendidos na infância. E eu fazia como vira fazer: a fraga era uma pedra grande mas humilde diante da qual o corpo se movia à oração.

Patriarcado

Sé de Lisboa já tem sítio digital

Coincidindo com a celebração da dedicação da Sé Patriarcal, assinalada nesta segunda-feira, 25 de Outubro, foi colocado em linha o seu sítio digital, www.sedelisboa.pt, que reúne todas as informações mais relevantes sobre aquela que é a mais antiga igreja da capital portuguesa. 

Dioceses portuguesas abriram Sínodo

Escutar sem filtros insatisfações e expectativas do mundo sobre a Igreja

Na Arquidiocese de Braga não haverá assembleias sinodais, mas, em contrapartida, haverá uma forte aposta na multiplicação de pequenos grupos nas paróquias, comunidades e movimentos, com a tarefa de “escutarem o que o Espírito Santo diz à Igreja” através dos seus membros e, também através daqueles que andam longe ou nas suas margens. O Sínodo da Igreja Católica foi aberto solenemente em todas as dioceses do mundo, também em Portugal.

Sete Partidas

Eleições

Da personalização do voto

Sempre achei confuso e difícil isto de escolher duas coisas com um só boletim de voto. Uma coisa é escolher com que partido ou com que programa de governo me identifico mais, outra coisa é escolher quem é a pessoa ou o partido que eu acho que representa melhor os interesses da minha região no parlamento. Na minha cidade natal, o Porto, aconteceu-me diversas vezes querer votar num partido com um determinado programa de governo, mas achar que o deputado X de outro partido poderia fazer a diferença no Parlamento.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

[ai1ec view=”agenda”]

Ver todas as datas

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This