Moçambique: sobe o número de mortos, mobiliza-se a solidariedade

| 21 Mar 19

As inundações na cidade da Beira. Foto © Programa Alimentar Mundial- WFP/Photolibrary

 

Na noite de quarta-feira, o número de mortos em Moçambique, Zimbabwe e Malawi, vítimas do ciclone Idai, ultrapassava já os 300. O número, que cresce todos os dias, foi dado pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, que alertou ainda para o número de 350 mil “em situação de risco” ao decretar o estado de emergência nacional.

A cidade da Beira é a mais afetada, como dá conta a Cruz Vermelha Internacional, que indicou que pelo menos 400.000 pessoas estão desalojadas naquela área (a cidade tinha pouco mais de meio milhão de habitantes). O país cumpre desde esta quarta-feira três dias de luto nacional, até sexta, 22.

A ajuda a Moçambique tem chegado de toda a parte: na terça-feira, saiu de Portugal uma missão de reconhecimento no âmbito de um grupo interministerial criado pelo Governo português. Na noite de quarta, um corpo de intervenção rápida das Forças Armadas seguiu também para a Beira.  

Do Banco Mundial chegará um financiamento de 90 milhões de dólares, aprovado na terça-feira no âmbito do programa de gestão de acidentes e riscos, e destinado a melhorar a eficácia da proteção e ajuda às pessoas perante desastres naturais. O Fundo de Gestão de Desastres permitirá o fortalecimento da prontidão do país para responder a catástrofes e criação de resistência às questões climáticas e reforço e modernização das vulneráveis infraestruturas de educação.

Muitos bens alimentares começaram a chegar no domingo e continuarão a chegar, segundo a representante do Programa Alimentar Mundial em Moçambique, Karin Manente: depois de um primeiro voo com 22 toneladas de alimentos que chegou no domingo, estava previsto um outro com mais 40 toneladas. 

De Portugal, há outros apoios já anunciados: a Ordem dos Médicos, em parceria com a Câmara Municipal do Porto, o Instituto Camões e a Direcção-Geral da Saúde, apoiará com ajuda médica e medicamentosa. Ao mesmo tempo, pretende recrutar vários médicos que aceitem ir para Moçambique durante um mês. 

A Câmara Municipal de Lisboa também anunciou que vai conceder um apoio no valor de 150 mil euros a Moçambique, “havendo igualmente disponibilidade imediata de envio de equipas multidisciplinares de técnicos para apoio a necessidades básicas no terreno”. Também a diocese de Braga doará 25 mil euros e a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre destinará, para já, outros 30 mil euros para ajudas, através das comunidades cristãs, sobretudo para necessidades imediatas: toldos, equipamentos básicos para habitação (como pratos, copos, baldes, etc.), alimentos e logística para deslocações. Outras organizações como a Cáritas já tinham anunciado outras ajudas, e também na quarta-feira o Papa apelou a que a comunidade internacional apoie de forma clara as vítimas da tempestade. 

O Idai, com fortes chuvas e ventos de até 170 quilómetros por hora, atingiu a Beira (centro de Moçambique) na quinta-feira à noite, 14 de março, deixando os cerca de 500 mil residentes na segunda maior cidade do país sem energia nem comunicações. 

A tempestade atingiu também o Zimbabwe (onde se contabilizam pelo menos 100 mortos, 200 feridos e 200 desaparecidos) e o Malawi, onde se contam até à data 112 mortos.

Nesta quarta-feira, 20, as Nações Unidas, que já consideraram este desastre como a maior tragédia de sempre no hemisfério sul, fizeram saber que necessitam de mais apoio monetário dos estados-membros, mesmo se não se consegue para já contabilizar os estragos materiais da catástrofe: “Deixámos claro que a quantidade de dinheiro que temos em mãos agora é insuficiente para ir ao encontro das necessidades no terreno, por isso vamos voltar a dirigir-nos ao Estados-membros para pedir mais ajuda”, disse Farhan Haq, porta-voz do secretário-geral, em conferência de imprensa na sede da ONU, em Nova Iorque.

Artigos relacionados

Breves

Música, património e natureza

Festival Terras sem Sombra revisita herança judaica em Castelo de Vide novidade

O Festival Terras sem Sombra apresenta, na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa (31 de Julho, 21h30), o concerto pelo reputado Utopia Ensemble, que interpreta obras da polifonia europeia. O festival junta as memórias judaicas de Castelo de Vide, revisitadas na acção de património (31 de Julho, 15h), e as deslumbrantes paisagens da Serra de S. Mamede (1 de Agosto, 9h30), com a rica biodiversidade deste território por horizonte.

Responsável também pelas obras no Mar da Palha

José Sá Fernandes preside a Grupo de acompanhamento da JMJ 2023 novidade

O governo português anunciou a criação de um Grupo de Projeto com vista a acompanhar e agilizar todas as questões relacionadas com o “acompanhamento, em termos operacionais, dos trabalhos de preparação deste evento”. “Considerando a diversidade, a complexidade, a natureza e a dimensão das ações a desenvolver no âmbito da preparação da JMJ 2023, o Governo, através Resolução do Conselho de Ministros n.º 45/2021, criou um Grupo de Projeto para assegurar o acompanhamento”, pode ler-se no comunicado de imprensa a que o 7Margens teve acesso.

Boas notícias

As jovens cristãs que enfrentam a discriminação e perseguição

Paquistão

As jovens cristãs que enfrentam a discriminação e perseguição

“Quando fui para a universidade sofri muitos actos de discriminação por parte dos meus professores e colegas, a tal ponto que não conseguia concentrar-me nos meus estudos”, conta Ashia, 17 anos, cristã paquistanesa. Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) desenvolve programa para capacitar mulheres em situações particularmente difíceis.

É notícia 

Entre margens

Jesus Cristo tinha uma agenda liberal?

Dizer apenas que todas as vidas são importantes é uma tirada lapalissiana. É óbvio que sim, mas o problema é que nem todas as vidas estão em risco devido a fenómenos sociais como o racismo, a xenofobia, a violência sobre mulheres e crianças, o abuso sexual e o tráfico de pessoas, já para não falar nesta economia que mata, no dizer do Papa Francisco.

Mulheres, aptas para o ministério sacerdotal

No ano de 2020, na Igreja de Inglaterra (Comunhão Anglicana), das 591 pessoas recomendadas para a formação ao ministério ordenado e assumirem funções ministeriais a tempo inteiro, a maioria dos candidatos são do género feminino.

Como regressar à vida?

Num recente inquérito à opinião pública, as pessoas consideram que as medidas contra a Covid-19 foram positivas, mas queixam-se que a democracia se viu limitada. É um julgamento natural. Importa, porém, compreender que fomos surpreendidos por uma enfermidade que continuamos a desconhecer.

Cultura e artes

Monumento e jardim aberto ao público

Capela dos Coimbras, aberta ao público, quer ser “ex-líbris” de Braga novidade

A capela privada mais antiga de Braga, localizada no centro histórico da cidade e que está classificada como monumento nacional, abriu ao público esta quarta-feira, 28 de julho. Os seus proprietários querem torná-la um ponto de paragem obrigatório de Braga, “quer pelo valor patrimonial e artístico que encerra, quer pelo seu jardim com esplanada, onde a partir de agora é possível usufruir do espaço, assistir a concertos e outras iniciativas culturais ou tomar alguma refeição ligeira.

Música, património e natureza

Festival Terras sem Sombra revisita herança judaica em Castelo de Vide novidade

O Festival Terras sem Sombra apresenta, na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa (31 de Julho, 21h30), o concerto pelo reputado Utopia Ensemble, que interpreta obras da polifonia europeia. O festival junta as memórias judaicas de Castelo de Vide, revisitadas na acção de património (31 de Julho, 15h), e as deslumbrantes paisagens da Serra de S. Mamede (1 de Agosto, 9h30), com a rica biodiversidade deste território por horizonte.

Sete Partidas

Crónica de viagem

Ao sabor do País de Gales

Com a época escolar terminada e as restrições do vírus a levantar, as ruas do País de Gales enchem de uma maneira que me lembra a vida de há um ano atrás. Conhecer desconhecidos já não parece meter medo e confesso que, por vezes, já me sinto estranho ao usar máscara na rua quando mais ninguém o parece fazer.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

[ai1ec view=”agenda”]

Ver todas as datas

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This