Grande amigo da Igreja Católica

Morre líder dos imãs da Guiné-Bissau

| 21 Ago 2021

Ustas Abubacar Djaló, foto direitos reservados

Ustas Abubacar Djaló era considerado “um símbolo da união entre os muçulmanos e cristãos na Guiné-Bissau”. Foto: Direitos reservados.

 

Ustas Abubacar Djaló, presidente da União Nacional dos Imãs da Guiné-Bissau e grande amigo dos católicos guineenses, morreu na quinta-feira passada, em Bissau, vítima de covid-19, noticiou este sábado, dia 21 de agosto, o Vatican News.

O imã Abubacar Djaló dinamizava um programa semanal na emissora católica da Guiné-Bissau, a Rádio Sol Mansi. O jornalista daquela rádio, Casimiro Jorge Cajucam, escreve no Vatican News que Djaló “era um grande parceiro da Igreja Católica na Guiné-Bissau”.

Cajucam destaca a colaboração do imã na “promoção da paz e da tolerância religiosa e aponta-o como “um símbolo da união entre os muçulmanos e cristãos na Guiné-Bissau. Ele fazia a ponte entre a comunidade muçulmana guineense e a católica. Em várias ocasiões foi convidado pelo bispo emérito, D. José Camnate Na Bissing, para participar nos eventos da Igreja Católica. E também convidou o bispo a tomar parte em cerimónias muçulmanas.”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This