Mosteiro de Tibães recupera cinco retratos da Sala do Capítulo

| 10 Fev 21

Mosteiro de Tibães, Santa Escolática, Beneditinos, Fr. Bento de S. António Vieira

Pinturas de Santa Escolática e de Fr. Bento de S. António Vieira no Mosteiro de Tibães, recuperados com apoio mecenático e recolocados na Sala do Capítulo do Mosteiro. Foto: DRCN

 

Cinco retratos de abades gerais beneditinos foram devolvidos à Sala do Capítulo Geral do Mosteiro de Tibães, em Braga, na sequência dos trabalhos de recuperação e valorização patrimonial que têm sido levados a efeito, aproveitando o encerramento ao público por causa da pandemia.

Numa informação enviada ao 7MARGENS, a Direcção Regional de Cultura do Norte diz que as cinco pinturas a óleo sobre tela retratam alguns dos abades gerais da Congregação Beneditina dos Reinos de Portugal e do Brasil, da qual Tibães foi a Casa-mãe, entre 1567 e 1834. Nos quadros, estão retratados abades dos séculos XVII, XVIII e XIX: Fr. Tomás do Socorro (eleito em 1611 e uma segunda vez em 1629), Fr. Mâncio da Cruz (eleito em 1620), Fr. António Carneiro (1644), Fr. José de S. Domingos (1752) e Fr. Bento de S. António Vieira (1813).

Os quadros tinham sido vendidos durante a ocupação privada do Mosteiro e estiveram espalhadas por todo o país ao longo de várias décadas. Acabaram recuperadas e foram oferecidas ao Mosteiro, tendo sido agora recolocadas no seu local de origem: a Sala do Capítulo.

Esta última chegou a ter aproximadamente 70 quadros, mas ficou completamente vazia na primeira metade da década de 1980. Depois de o Estado Português ter comprado o imóvel, em 1986, o apoio mecenático de várias instituições e associações de defesa do património permitiu recuperar parte da colecção de pintura. Neste momento, é possível ver já, na Sala do Capítulo, mais de metade das obras originais.

Mosteiro de Tibães, Pintura, Arte, Beneditinos

Sala do Capítulo do Mosteiro de Tibães com alguns dos retratos já recuperados e colocados. Foto: DRCN

 

Inquérito 7M sobre o Sínodo: entre as “baixas expectativas” e a “oportunidade de uma Igreja aberta”

Católicos portugueses pouco entusiasmados?

Inquérito 7M sobre o Sínodo: entre as “baixas expectativas” e a “oportunidade de uma Igreja aberta” novidade

O 7MARGENS entendeu auscultar um conjunto de 63 movimentos e associações católicas, procurando contemplar diversidade de carismas e de setores e mesmo de atitudes perante o futuro. A auscultação decorreu na segunda metade de julho, num momento em que já se conhecia o cronograma e dinâmica do Sínodo.

Líbano: Siro-católicos dizem-se marginalizados

Líbano tem novo Governo

Líbano: Siro-católicos dizem-se marginalizados novidade

O novo Governo do Líbano, liderado pelo muçulmano sunita Najib Mikati, obteve nesta segunda-feira, 20 de setembro, o voto de confiança do Parlamento. A nova estrutura de Governo reflete na sua composição a variedade do “mosaico” libanês, nomeadamente do ponto de vista das diversas religiões e confissões religiosas, mas os siro-católicos dizem ter sido marginalizados.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos

Cinema

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos novidade

Falling, que em Portugal teve o subtítulo Um Homem Só, é a história de um pai (Willis) e de um filho (John) desavindos e (quase) sempre em rota de colisão, quer dizer, de agressão, de constante provocação unilateral da parte do pai, sempre contra tudo e contra todos.

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação”

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação” novidade

No dia 1 de setembro começou o Tempo da Criação para diversas Igrejas Cristãs. Nesse dia, o Papa Francisco, o Patriarca Bartolomeu e o Arcebispo de Canterbury Justin assinaram uma “Mensagem Conjunta para a Protecção da Criação” (não existe – ainda – tradução em português). Talvez tenha passado despercebida, mas vale a pena ler.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This