Dia Mundial do Migrante e Refugiado

“Mudanças” na narrativa xenófoba em Portugal

| 25 Set 2022

Eugenia Quaresma defende que Igreja e sociedade devem trabalhar "em conjunto" nesta questão dos refugiados e migrantes. Foto © Ricardo Perna | Família Cristã

Eugenia Quaresma defende que Igreja e sociedade devem trabalhar “em conjunto” nesta questão dos refugiados e migrantes. Foto © Ricardo Perna | Família Cristã

 

A diretora da Obra Católica de Migrações (OCPM) afirmou que a Igreja “não pode aceitar” discursos racista e xenófobos, pedindo uma “mudança” na narrativa. “Aquilo que é preocupante é quando transformamos os migrantes em bodes expiatórios. E é isso que a Igreja não pode aceitar e que a Igreja não aceita”, refere Eugénia Quaresma, em entrevista conjunta à Ecclesia e Renascença, a respeito do Dia Mundial do Migrante e do Refugiado que se celebra hoje, dia 25 de setembro.

A responsável defende uma “mudança na narrativa”, que leve todos, na Igreja e na sociedade, a “trabalhar em conjunto”. “Quem trabalha diariamente com migrantes e refugiados consegue estar mais disponível para escutar as histórias, para ver estes irmãos e reconhecer o sentido da fraternidade. Quem não está habituado, quem não conhece esta realidade deixa-se mais facilmente contagiar pelo medo, o medo do desconhecido”, acrescentou.

Eugénia Quaresma elogiou a solidariedade com as pessoas que fugiram da guerra na Ucrânia e pede que “algumas dessas respostas sejam fixadas e alargadas a outras nacionalidades”. “Um dos momentos de tristeza neste movimento todo foi quando, nas fronteiras, sentimos que houve pessoas que ficaram para trás porque não eram identificadas como vindas da Ucrânia”, apontou.

Na sua mensagem para este dia, o Papa Francisco defende que “ninguém deve ser excluído” da sociedade. “Ninguém deve ser excluído. O plano divino é essencialmente inclusivo e coloca, no centro, os habitantes das periferias existenciais. Entre estes, há muitos migrantes e refugiados, deslocados e vítimas de tráfico humano”, refere o texto, divulgado pelo Vaticano.

Francisco recorda também as recentes experiências da guerra e da pandemia de Covid-19. “À luz do que aprendemos nas tribulações dos últimos tempos, somos chamados a renovar o nosso compromisso a favor da construção dum futuro mais ajustado ao desígnio de Deus, a construção dum mundo onde todos possam viver em paz e com dignidade”, concluiu.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro

Frade morreu aos 85 anos

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro novidade

O último alarme chegou-me no dia 10 de Fevereiro. No dia seguinte, pude vê-lo no IPO do Porto, em cuidados continuados. As memórias que tinha desse lugar não eram as melhores. Ali tinha assistido à morte de um meu irmão, a despedir-se da vida aos 50 anos… O padre Morgado, como o conheci, em Lisboa, há 47 anos, estava ali, preso a uma cama, incrivelmente curvado, cara de sofrimento, a dar sinais de conhecer-me. Foram 20 minutos de silêncios longos.

Mata-me, mãe

Mata-me, mãe novidade

Tiago adorava a adrenalina de ser atropelado pelas ondas espumosas dos mares de bandeira vermelha. Poucos entenderão isto, à excepção dos surfistas. Como explicar a alguém a sensação de ser totalmente abalroado para um lugar centrífugo e sem ar, no qual os segundos parecem anos onde os pontos cardeais se invalidam? Como explicar a alguém que o limiar da morte é o lugar mais vital dos amantes de adrenalina, essa droga que brota das entranhas? É ao espreitar a morte que se descobre a vida.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This