Islão

Mulheres já podem peregrinar a Meca sem serem acompanhadas por um homem

| 14 Out 2022

peregrinação a meca hajj umrah foto c Zurijeta

 A alteração à lei aplica-se “às mulheres provenientes de qualquer parte do mundo”. Foto © Zurijeta.

 

As mulheres que queiram peregrinar até Meca, na Arábia Saudita, já não são obrigadas a fazer-se acompanhar de um homem, ou mahram. A suspensão dessa obrigatoriedade foi confirmada pelo ministro saudita Tawfiq bin Fawzan Al-Rabiah, durante uma conferência de imprensa que teve lugar esta semana durante a sua visita ao Cairo, capital do Egito.

A alteração às regras já havia sido anunciada anteriormente, avança a Asia News, no entanto tinha sido alvo de diferentes interpretações e não era respeitada. Até agora, para peregrinarem a Meca, as mulheres continuavam a ser obrigadas a fazer-se acompanhar de um guardião ou tutor masculino (habitualmente, o pai, esposo ou irmão). O ministro sublinhou que a suspensão dessa obrigatoriedade se aplica “às mulheres provenientes de qualquer parte do mundo”, quer participem no Hajj ou no Umrah (a peregrinação maior e menor a Meca, lugar sagrado por excelência do Islão).

Al Rabiah acrescentou que não serão impostos limites à emissão de vistos para peregrinações menores. “Qualquer muçulmano que venha ao reino com qualquer tipo de visto pode realizar o Umrah”, esclareceu.

O ministro aproveitou ainda para referir que o processo de inscrição nas peregrinações está a ser modernizado, através da introdução de novas tecnologias e da inteligência artificial. Também a Grande Mesquita de Meca está a ser objeto de obras de renovação e ampliação, cujo investimento é o maior de sempre (rondando os 55 mil milhões de euros), e estão a ser desenvolvidos esforços para reduzir os custos das peregrinações a Meca, para que estas se tornem acessíveis a um número cada vez maior de fiéis.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro

Frade morreu aos 85 anos

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro novidade

O último alarme chegou-me no dia 10 de Fevereiro. No dia seguinte, pude vê-lo no IPO do Porto, em cuidados continuados. As memórias que tinha desse lugar não eram as melhores. Ali tinha assistido à morte de um meu irmão, a despedir-se da vida aos 50 anos… O padre Morgado, como o conheci, em Lisboa, há 47 anos, estava ali, preso a uma cama, incrivelmente curvado, cara de sofrimento, a dar sinais de conhecer-me. Foram 20 minutos de silêncios longos.

Mata-me, mãe

Mata-me, mãe novidade

Tiago adorava a adrenalina de ser atropelado pelas ondas espumosas dos mares de bandeira vermelha. Poucos entenderão isto, à excepção dos surfistas. Como explicar a alguém a sensação de ser totalmente abalroado para um lugar centrífugo e sem ar, no qual os segundos parecem anos onde os pontos cardeais se invalidam? Como explicar a alguém que o limiar da morte é o lugar mais vital dos amantes de adrenalina, essa droga que brota das entranhas? É ao espreitar a morte que se descobre a vida.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This