Porto

Museu do Holocausto reabre e Museu Judaico exibe filme português “1618”

| 30 Mar 2022

MUSEU DO HOLOCAUSTO PORTO

O museu foi inaugurado em 2021. Foto © CIP.

 

O Museu do Holocausto do Porto reabre ao público esta quinta-feira, 31, depois de vários meses de encerramento, devido à pandemia.

Inaugurado em 2021, no final de janeiro, o museu é tutelado por membros da comunidade judaica do Porto cujos pais, avós e familiares foram vítimas do Holocausto.

No primeiro ano recebeu 40 mil visitantes, essencialmente visitas de escolas que, apesar da pandemia, continuaram a fazer-se.

A entrada mantém-se gratuita para todas as idades, segundo informa a instituição.

Também nesta quinta-feira, 31, às 19h, o Museu Judaico do Porto exibe o filme português “1618”, que já venceu mais de meia centena de prémios em festivais internacionais, mas ainda não estreou em Portugal. A iniciativa é uma forma de evocar o Dia Nacional da Memória das Vítimas da Inquisição.

O filme retrata o episódio, baseado em factos verídicos, da chegada ao Porto de um visitador da Inquisição, para investigar práticas heréticas de pendor judaizante. O argumento coloca em cena um caso, considerado único, de resistência à Inquisição por parte das autoridades municipais, judiciárias e religiosas de uma cidade.

A película faz parte de um projeto inter-religioso e de combate ao antissemitismo que envolve a Comunidade Judaica do Porto (detentora dos direitos sobre o filme) e a Diocese do Porto (católica).

A entrada é gratuita, mas limitada a 50 lugares. O Museu Judaico localiza-se na rua Guerra Junqueiro, n.º 325.

O trailer do filme pode ser visto a seguir:

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro

Frade morreu aos 85 anos

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro novidade

O último alarme chegou-me no dia 10 de Fevereiro. No dia seguinte, pude vê-lo no IPO do Porto, em cuidados continuados. As memórias que tinha desse lugar não eram as melhores. Ali tinha assistido à morte de um meu irmão, a despedir-se da vida aos 50 anos… O padre Morgado, como o conheci, em Lisboa, há 47 anos, estava ali, preso a uma cama, incrivelmente curvado, cara de sofrimento, a dar sinais de conhecer-me. Foram 20 minutos de silêncios longos.

Mata-me, mãe

Mata-me, mãe novidade

Tiago adorava a adrenalina de ser atropelado pelas ondas espumosas dos mares de bandeira vermelha. Poucos entenderão isto, à excepção dos surfistas. Como explicar a alguém a sensação de ser totalmente abalroado para um lugar centrífugo e sem ar, no qual os segundos parecem anos onde os pontos cardeais se invalidam? Como explicar a alguém que o limiar da morte é o lugar mais vital dos amantes de adrenalina, essa droga que brota das entranhas? É ao espreitar a morte que se descobre a vida.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This