Em audiência no Vaticano

“Não deixeis que nada se perca da JMJ”, pediu o Papa aos portugueses

| 30 Nov 2023

Papa cumprimenta cardeal Américo na audiência com delegação portuguesa da JMJ, 30 novembro 2023. Foto EcclesiaPR

Francisco reiterou o agradecimento ao cardeal Américo Aguiar, que ali se encontrava presente. “É um cardeal especial, um cardeal um pouco enfant terrible, mas muito bom”, disse bem humorado. Foto © Ecclesia/PR

 

O Papa não se cansa de agradecer pela Jornada Mundial da Juventude que decorreu em Lisboa no passado mês de agosto, e esta quinta-feira, 30, em que recebeu em audiência uma delegação de portugueses que estiveram envolvidos na sua organização, “obrigado” foi a palavra que mais repetiu. “Obrigado. Obrigado pelo que fizeram. Obrigado por toda esta estrutura que vocês ofereceram para que a Jornada da Juventude fosse o que foi”, afirmou. Mas também fez um apelo a todos: “não deixeis que nada se perca daquela JMJ que nasceu, cresceu, floriu e frutificou nas vossas mãos”.

Apesar de visivelmente debilitado devido à inflamação pulmonar que o afeta desde sábado, Francisco fez questão de falar às cerca de quatro centenas de portugueses que se encontravam na Aula Paulo VI e, de improviso, disse que trazia do encontro de Lisboa “uma emoção muito grande” e inúmeras recordações, como o rosário que por esses dias lhe foi oferecido por uma senhora de 106 anos, nascida no dia em que a Igreja assinala as Aparições de Fátima, a 13 de maio de 1917, ou o encontro que teve com Edna Rodrigues, jovem de 19 anos com uma doença terminal que “tinha oferecido a vida pelas jornadas, pensando que ia morrer antes” de aquelas se realizarem.

Francisco reiterou o agradecimento à “tanta gente simples que ofereceu o seu trabalho, o seu sonho” para que a Jornada se concretizasse, e em particular ao cardeal Américo Aguiar, que ali se encontrava presente, juntamente com voluntários, parceiros empresariais, responsáveis da Igreja e das entidades públicas envolvidas na organização da JMJ 2023. “É um cardeal especial, um cardeal um pouco enfant terrible, mas muito bom”, disse bem humorado. “Também recordo os pastéis, que são muito bons”, acrescentou, arrancando uma gargalhada geral aos participantes na audiência.

Papa durante audiência com delegação portuguesa da JMJ, 30 novembro 2023. Foto Sara Miranda

Apesar de visivelmente debilitado devido à inflamação pulmonar que o afeta desde sábado, Francisco fez questão de falar às cerca de quatro centenas de portugueses que se encontravam na Aula Paulo VI. Foto © Sara Miranda

Só depois desta introdução, e lamentando não poder “falar muito”, pediu ao padre Ferreira da Costa, português que trabalha na Secretaria de Estado do Vaticano, que lesse o discurso por si preparado para a ocasião, em que começava por dizer a todos os envolvidos na organização da JMJ ali presentes: “Foi-vos confiada a realização daquele encontro mundial, e vós, fortes com o auxílio de muitos e uma graça extraordinária de Deus, não nos desiludistes. Bem hajam!”.

O discurso destacava o facto de a Jornada de Lisboa ter sido “um luminoso exemplo de como é possível partilhar uma missão, sem deixar ninguém de fora”, conseguindo “trazer para o centro quem até agora tinha vivido marginalizado”. E assinalava, com regozijo, que “muitos já fazem eco” do “todos, todos, todos” proferido no seu discurso da cerimónia de acolhimento.

“Continuai a sonhar juntos, continuai a envolver em ondas sucessivas novos companheiros sonhadores duma sociedade feita por todos e no respeito de cada um”, pediu Francisco.

E terminou com outro pedido ainda: “Deus vos pague o bem que fizestes aos jovens e a mim, à cidade de Lisboa e a quantos, de todo o mundo, para lá dirigiram os seus passos e o seu coração. Por favor, continuai a apontar e a impelir-nos para as dimensões universais do coração de Deus!”.

 

Santuário de São João Paulo II, nos EUA, vai tapar obras de arte de Rupnik

Para "dar prioridade às vítimas"

Santuário de São João Paulo II, nos EUA, vai tapar obras de arte de Rupnik novidade

Os Cavaleiros de Colombo, maior organização leiga católica do mundo, anunciaram esta quinta-feira,11 de julho, que irão cobrir os mosaicos da autoria do padre Marko Rupnik, acusado de abusos sexuais e de poder, que decoram as duas capelas do Santuário Nacional de São João Paulo II, em Washington, e a capela da sede da organização em New Haven, Connecticut (EUA). A decisão, inédita na Igreja, surge uma semana depois de o bispo de Lourdes ter admitido considerar que os mosaicos do padre e artista esloveno que decoram o santuário mariano francês acabarão por ter de ser retirados.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“E tu, falas com Jesus?”

“E tu, falas com Jesus?” novidade

Em matéria de teologia, tendo a sentir-me mais próxima do meu neto X, 6 anos, do que da minha neta F, de 4. Ambos vivem com os pais e uma irmã mais nova em Londres. Conto dois episódios, para perceberem onde quero chegar. Um dia, à hora de deitar, o X contou à mãe que estava “desapontado” com o seu dia. Porquê? Porque não encontrara o cromo do Viktor Gyokeres, jogador do Sporting, um dos seus ídolos do futebol; procurou por todo o lado, desaparecera. Até pedira “a Jesus” para o cromo aparecer, mas não resultou. [Texto de Ana Nunes de Almeida]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This