“Não queremos que vivam aqui cristãos.” Cresce a violência contra as minorias religiosas no Paquistão

| 8 Jul 20

Paquistão. Foto © ACN Portugal

 

“Todas as pessoas que moram nesta rua são muçulmanas e não querem que vivam aqui cristãos.” Foi com estas palavras que a família de Nadeem Joseph foi recebida ao mudar-se para um bairro de Peshawar, uma das principais cidades do Paquistão, no início de junho. Alguns dias depois, Nadeem foi atacado e baleado à porta da sua nova casa por um vizinho, tendo acabado por morrer no passado dia 29. Os bispos católicos do país pedem agora proteção para esta família e alertam para o aumento da discriminação das minorias religiosas no país, apelando ao Governo que faça cumprir a constituição.

“A sociedade paquistanesa tornou-se cada vez mais intolerante e viver como uma minoria religiosa é cada vez mais difícil. Há muitos incidentes similares que não são denunciados”, afirma a Comissão Nacional Justiça e Paz (CNJP), organismo pertencente à Conferência Episcopal Paquistanesa, num comunicado citado esta quarta-feira, 8 de julho, pela agência Fides.

“A família de Nadeem vive com grandes dificuldades e em perigo depois deste ataque. O governo deve garantir-lhes a segurança e proteção, tanto a eles como a todas as minorias religiosas”, sublinhou o arcebispo Joseph Arshad, presidente da CNJP.

A comissão assinalou a discriminação de que as minorias religiosas têm sido alvo, particularmente no contexto da pandemia, citando as recusas em doar alimentos ou proporcionar outro tipo de ajudas aos não-muçulmanos.

De acordo com a CNJP, o recente bloqueio da construção de um templo hindu em Islamabad é mais um exemplo da crescente discriminação religiosa. “Esta ação reflete a falta de aceitação das minorias religiosas que são parte deste país desde há séculos”, acusa Emmanuel Yousaf, diretor da comissão. “O governo deve trabalhar para salvaguardar os direitos das minorias religiosas no Paquistão consagrados na nossa Constituição.”

Também em declarações à Fides, o ativista cristão de direitos humanos Sabir Michael reforçou a mensagem.“Deve-se notar com preocupação que episódios semelhantes de ataques às comunidades mais vulneráveis ​​estão a aumentar. O Governo deve levar isso a sério.”

No passado mês de fevereiro, um jovem foi torturado e acabou por morrer, depois de ter sido encontrado por um grupo de muçulmanos a tomar banho no tanque de uma pequena localidade agrícola na província de Punjab. De acordo com os meios de comunicação locais, Saleem Masih, de 22 anos, tinha estado a descarregar palha no campo e foi lavar-se, mas o grupo obrigou-o a sair do tanque e começou a espancá-lo, acusando-o de “poluir” a água por ser “um cristão imundo”.

 

Artigos relacionados

“Fratelli Tutti”: Os desafios missionários do Papa Francisco

“Fratelli Tutti”: Os desafios missionários do Papa Francisco

A Igreja Católica assinala neste domingo, 18 de Outubro, o Dia Mundial das Missões. A esse propósito e com esse pretexto, o padre Tony Neves, dos Missionários Espiritanos, escreveu uma análise da Fratelli Tutti em chave missionária. A nova encíclica do Papa Francisco, divulgada há duas semanas, já foi objecto de várias leituras no 7MARGENS. Tony Neves considera-a “um texto inspirador para estes tempos de pandemia mundial”. 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Papa aceita demissão de bispo polaco acusado de encobrir abusos sexuais

O Papa Francisco aceitou o pedido de resignação de Edward Janiak, bispo de Kalisz (Polónia), depois de, no passado mês de junho, ter ordenado o seu afastamento da diocese por suspeitas de encobrimento de abusos sexuais de menores. A renúncia de Janiak, aos 68 anos, sete anos antes do previsto no Código de Direito Canónico, sugere que as suspeitas se terão confirmado.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Facebook proíbe conteúdos que neguem ou distorçam o Holocausto

Facebook proíbe conteúdos que neguem ou distorçam o Holocausto

A decisão foi anunciada esta segunda-feira, 12 de outubro, pela vice-presidente de política de conteúdos do Facebook, Monika Bickert, e confirmada pelo próprio dono e fundador da rede social, Mark Zuckerberg: face ao crescimento das manifestações de antissemitismo online, o Facebook irá banir “qualquer conteúdo que negue ou distorça o Holocausto”.

É notícia

Entre margens

Dormir com o inimigo novidade

O segmento evangélico americano pautou-se durante largas décadas por ensinar aos fiéis a integridade pessoal. A lógica era que o homem nascido de novo (born again) seria transformado à imagem de Cristo e viveria uma nova ética, sendo bom cidadão, bom profissional, parte duma família funcional, promotor da paz e cultivando o amor e o perdão para com o seu semelhante. Billy Graham foi o seu profeta maior, com uma postura de integridade e semeando uma mensagem de esperança num mundo do pós-guerra, devastado física e moralmente.

Eliminar a pobreza, sanar o tecido social

Voltou a haver pobreza em Portugal como não havia, diz-se, desde há 100 anos. Não sei se será bem assim, mas que há mais pobreza, há. Vê-se muito mais gente nas ruas a pedir ajuda, envergonhada, aviltada, desconfortável com a sua nova situação. Gente que, talvez até há menos de um ano, não esperava chegar ao ponto de se ver obrigada a ir para a rua pedir para comer. Frequentemente, gente de meia-idade ou bem mais velha.

Cultura e artes

O capitalismo não gosta da calma (nem da contemplação religiosa)

A editora Relógio d’Água prossegue a publicação em Portugal dos ensaios de Byung-Chul Han, filósofo sul-coreano radicado na Alemanha. O tom direto e incisivo da sua escrita aponta, num registo realista, as múltiplas enfermidades de que padece a sociedade contemporânea, que o autor designa como sociedade pós-industrial ou sociedade da comunicação e do digital, do excesso de produção e de comunicação. A perda dos referentes rituais – análise que o autor refere como isenta de nostalgia, mas apontando o futuro – é uma dessas enfermidades, com as quais a vivência religiosa está intimamente relacionada.

Documentário sobre Ferreira d’Almeida disponível na RTP Play

O documentário abre com Carlos Fiolhais professor de Física na Universidade de Coimbra, a recordar que a Bíblia é o livro mais traduzido e divulgado de sempre – também na língua portuguesa. E que frases conhecidas como “No princípio criou Deus o céu e a terra” têm, em português, um responsável maior: João Ferreira Annes d’Almeida, o primeiro tradutor da Bíblia para português, trabalho que realizou no Oriente, para onde foi ainda jovem e onde acabaria por morrer.

Uma simples prece

Nem todos somos chamados a um grande destino/ Mas cada um de nós faz parte de um mistério maior/ Mesmo que a nossa existência pareça irrelevante/ Tu recolhes-te em cada gesto e interrogação

Sete Partidas

Não ter medo da covid

Nesta crise da covid tenho ouvido cada vez mais falar em medo, em “manipulação pelo medo” em “não ceder à estratégia do medo”. Parece que há por aí quem acredite que os governos têm um plano secreto de instalação do totalitarismo, e a covid é apenas uma excelente desculpa para a pôr em prática.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco