Negros católicos americanos não se sentem acolhidos na Igreja

| 27 Fev 21

El Paso. Bispo. Racismo

O bispo de El Paso ajoelhando em protesto contra o racismo e a morte de George Floyd, em Junho 2020: apesar de gestos como este, muitos negros não se sentem acolhidos na Igreja Católica. Foto da página da diocese no Facebook.

 

“Durante anos, os negros tiveram de lutar sozinhos por uma presença nas comunidades católicas, porque o conjunto da Igreja tratou-os como inexistentes ou, pior ainda, agiu ativamente para reprimir a sua presença mostrando uma total falta de interesse quanto a existirem, ou não, católicos negros” afirmou o padre Bryan Massingale da arquidiocese de Milwaukee (Wisconsin, EUA), na intervenção com que esta semana comentou uma sondagem do Pew Research Center (PRC), intitulada “A fé e os americanos negros”, publicada no dia 16 de fevereiro.

Massingale falava numa videoconferência do Centro Religião e Cultura da Universidade de Fordham (Nova Iorque) e, citado pelo jornal digital Crux, acrescentou: “O problema não é a Igreja ser branca. A questão é a indisponibilidade da comunidade branca para acolher e dar importância aos temas e assuntos que são realmente significativos para os crentes negros e afro-americanos.”

O inquérito do PRC realizado durante os primeiros cinco meses de 2020 (antes da vaga de protestos causados pelo assassinato de George Floyd, a 25 de maio), refere que 75% dos protestantes negros e 77% dos católicos negros consideram que só se pode ser cristão lutando contra o racismo. Contudo, de acordo com a sondagem, 60% dos crentes negros frequentam comunidades exclusivamente negras, um facto que revela o grau de segregação existente. Mas esta percentagem difere muito entre protestantes e católicos: enquanto apenas 17% destes frequentam igrejas totalmente constituídas por negros, 66% dos protestantes negros inserem-se em comunidades cujos membros e líderes são exclusivamente negros, ou afro-americanos.

Por outro lado, dando conta da “perda de credibilidade da Igreja Católica” junto da população negra, o padre Massingale citou os números da sondagem, segundo os quais “54% dos negros adultos educados na fé católica continuam a identificar-se hoje como católicos”, enquanto “81% dos negros adultos educados como protestantes, identificam-se como protestantes.”

 

Jorge Sampaio, um laico cristão

Jorge Sampaio, um laico cristão novidade

Já tudo, ou quase tudo, foi dito e escrito sobre a figura do Jorge Sampaio. Assinalando a sua morte, foram, por muitos e de múltiplas formas, sublinhadas as diversas facetas definidoras da sua personalidade nos mais diversos aspetos. Permitam-me a ousadia de voltar a este tema, para sublinhar um aspeto que não vi, falha minha porventura, sublinhado como considero ser merecido.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This