Estados árabes do Golfo

Netflix acusada de violar “valores e princípios islâmicos”

| 8 Set 2022

casal a ver tv netflix foto cottonbropexels

Os órgãos de vigilância dos media pedem que conteúdos que “promovem a homossexualidade” sejam retirados da plataforma de streaming. Foto © Cottonbro/Pexels.

 

Os estados árabes do Golfo exigiram à plataforma de streaming Netflix que remova todo o conteúdo considerado violador dos “valores e princípios sociais islâmicos”, noticiou esta semana a BBC News. Várias séries e filmes disponibilizados recentemente, incluindo alguns destinados a crianças, estarão a infringir os regulamentos, alertaram os órgãos de vigilância dos media do Conselho de Cooperação Saudita e do Golfo.

Na Al Ekhbariya TV, emissora pública, foi transmitida uma reportagem em que o serviço de streaming é acusado de veicular “mensagens imorais que ameaçam a educação saudável das crianças” e “promover a homossexualidade, concentrando-se excessivamente em [personagens] homossexuais”.

Na peça, foram mostradas como exemplo algumas cenas (com as imagens desfocadas) da série Jurassic World: Camp Cretaceous, em que duas adolescentes declaram que estão apaixonadas uma pela outra e se beijam.

Em abril deste ano, o filme Doutor Estranho no Multiverso da Loucura foi banido dos cinemas na Arábia Saudita depois de a Disney ter recusado um pedido das autoridades para que fossem cortadas aquilo a que chamaram de “referências LGBTQ”. Em junho, também o filme Lightyear, que incluía um beijo entre duas personagens do mesmo sexo, terá sido proibido.

Os reguladores de media da Arábia Saudita e restantes Estados do Golfo afirmam que a Netflix tem de cumprir com as diretivas locais e destacam que, caso continue “a transmitir conteúdos ilícitos, serão tomadas as necessárias medidas legais”.

De acordo com a interpretação da lei islâmica nestes Estados, a conduta sexual consensual entre pessoas do mesmo sexo é um crime, punível com morte ou açoitamento, dependendo da gravidade percebida do caso.

Até esta quarta-feira, a Netflix ainda não tinha reagido às acusações.

 

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão

Ataques sucedem-se

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão novidade

O recente ataque a um cristão falsamente acusado de ter queimado páginas do Corão, por uma multidão muçulmana enfurecida, no Paquistão, desencadeou “uma nova vaga de terror” contra a minoria religiosa no país. Depois deste incidente, que aconteceu no passado sábado, 25 de maio, já foram registados outros dois ataques devido a alegados atos de “blasfémia” por parte de cristãos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

A memória presente em pequenas tábuas

Museu Abade de Baçal

A memória presente em pequenas tábuas novidade

“Segundo uma Promessa” é o título da exposição inaugurada a 18 de maio no Museu Abade de Baçal, em Bragança, e composta por uma centena de pequenos ex-votos, registados em tábuas, que descrevem o autor e o recetor de vários milagres, ao longo dos séculos XVIII e XIX. “O museu tem a obrigação de divulgar e de mostrar ao público algum do património que está disperso pela diocese de Bragança-Miranda”, disse ao 7MONTES Jorge Costa, diretor do museu.

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This