“No meio do caminho”: pedras, sombras, maridos e mulheres da noite

| 24 Mar 20

[…] No meio do caminho tinha uma pedra […]
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra […]
De repente, eis que um Meteóro e dos grandes, cai na minha frente, não tenho como evitá-lo, nem mesmo, fingir que não está ali, mas então ao observar melhor, percebo, que é mais que uma grande pedra no meu caminho […]

Carlos Drummond de Andrade

 

As pedras

Há um fenómeno de índole espiritual, o marido ou a mulher da noite, de que se fala, em surdina, em Moçambique. Trata-se de um cônjuge invisível, com o qual um parceiro não estabelece um pacto, mas existe entre ele e uma outra pessoa, homem ou mulher, uma ligação marital.

Há dias li sobre isso no livro O Lado Oculto, da moçambicana Lídia Mussá, com entrevistas em que aborda pessoas vítimas do fenómeno, que se referem a casos vividos na primeira pessoa. Além disso, sei que, em meados de Março, estará em cartaz, em Maputo, uma performance sobre essa manifestação, que integra poesia, música e dança da autoria do escritor moçambicano Leko Khululeko. Isto fez-me pensar no quão necessário é falar-se sobre este assunto.

De um modo generalizado, quando se menciona essa ocorrência, refere-se que ela deriva de um trato estabelecido entre vivos e mortos; através do qual – dada a existência de problemas mal resolvidos entre famílias, tais como, por exemplo, casos de dívidas, de tricas ou de pagamento a feiticeiros para se ter um medicamento ou para se ficar rico – determinados assuntos são levados para além da morte. Quero dizer que o problema persiste e há que o resolver. Uma das saídas, para quem esteja vivo, tem sido a entrega de uma criança aos espíritos das pessoas falecidas, ora envolvidas na intriga. Essa pessoa, desde criança, até mesmo depois de adulta é possuída a “bel-prazer” pelos espíritos.

 

O marido ou a mulher da noite

Marido ou a mulher da noite, tal como a designação o diz, actua à noite. Ele ou ela possuem o visado provocando nele sensações de um acto sexual a ser estabelecido entre ambos, espírito de um e corpo do outro. O possuído tem a percepção de ter sonhado, mas também tem uma forte impressão de que o facto aconteceu verdadeiramente.

Esse possuído é visto na sua vida, desde cedo, como um ser problemático e só mais tarde, quando finalmente se dá conta, verifica que, de noite, têm acontecido coisas estranhas e difíceis de explicar ou que, mesmo referindo-se a eles, são difíceis de ser aceites por quem não os conhece ou não deseja abordar o mundo dos espíritos.

Falei sobre o facto com algumas pessoas e foi-me explicado que, na maior parte das vezes, a pessoa que tiver sido entregue aos espíritos, de um modo geral, não se casa ou, quando se dá o caso de contrair matrimónio, é mal sucedida neste: tem sempre problemas com o cônjuge ou passa, mesmo, a ter problemas de fertilidade, uma vez que sofre tormentos do seu marido ou esposa espiritual. Esses factos têm sido uma pedra ou uma sombra na vida da vítima. Impedem-na de desfrutar a vida com alegria.

 

As sombras

A questão que se coloca é que alguns dos possuídos contam corajosamente à sua família sobre o fenómeno de que têm sido vítimas, mas há casos em que as famílias se escusam a abordar o assunto, pelo facto de não se verem em condições de informarem que entregaram aquela pessoa a determinados espíritos. Vezes há em que as famílias não tomam em consideração o facto, por terem receio de explicar a razão e a origem da sua existência.

Esta matéria tem sido muito pouco abordada em fórum público. Pouco se escreve sobre o assunto. A obra acima mencionada, bem como a performance, são casos raros, mas a matéria carece de mais ampla abordagem, uma vez que atormenta a vida das suas vítimas, cansadas de sofrer e de buscar soluções ou respostas junto dos mais próximos e não obtendo ajuda. Nesses casos, os visados vão a um curandeiro, a um animista ou a igrejas evangélicas ou pentecostais, a fim de encontrarem algum alento. Uns encontram-no para sempre, outros, nem por isso, porque ficam com alguma paz, que passado algum tempo é interrompida.

O que se diz desses espíritos é que, quando tratados, passam de um membro da família para o outro ou, em caso de morte do visado, o espírito é enviado por herança para um membro da família que seja da mesma linhagem. Há casos em que os familiares de linha recta da vítima também são afectados pelo sofrimento ou desestabilização deste. É um fenómeno que causa tormento às famílias, porque, para além de algumas ocultarem o conhecimento do facto, outras há que não encontram solução e acabam mesmo por enveredar pela medicina ocidental. Do que se sabe, esta medicina aborda o caso como se de alucinações se tratasse. Mas isso não resolve a questão, passando o visado a viver um dilema constante.

Enfim, é um assunto que advém de crenças e de tradições. E o melhor a fazer é compreendê-lo, porque julgar não leva alguém a lugar nenhum. Provavelmente, a conjugação de esforços entre a medicina tradicional africana, a dos curandeiros, com a medicina ocidental e os psicólogos ajudasse as vítimas deste mal a se libertarem e terem uma vida menos sofrida.

 

Sara Jona Laísse é docente na Universidade Politécnica, em Maputo. Contacto: saralaisse@yahoo.com.br

Artigos relacionados

Campanha 15.000 euros para o 7M: no final de junho passámos os €12.000 !

Campanha 15.000 euros para o 7M: no final de junho passámos os €12.000 !

Os donativos entregues por 136 leitores e amigos somaram, até terça, 30 de junho, €12.020,00. Estes números mostram uma grande adesão ao apelo que lançámos a 7 de junho, com o objetivo de reunirmos €15.000 para expandir o 7MARGENS ao longo do segundo semestre de 2020. A campanha decorre até ao final de julho e já só faltam menos de €3.000! Contamos consigo para a divulgar.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

CE volta a ter enviado especial para promover liberdade religiosa no mundo novidade

O cargo de enviado especial para a defesa da liberdade religiosa tinha sido extinto no ano passado pela presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula von der Leyen, mas as pressões de inúmeros líderes religiosos e políticos para reverter essa decisão parecem ter surtido efeito. O vice-presidente da CE, Margaritis Schinas, anunciou que a função irá ser recuperada.

Papa assinala sete anos da viagem a Lampedusa com missa especial online

O Papa Francisco celebra esta quarta-feira, 8 de julho, o sétimo aniversário daquela que foi a primeira (e talvez mais icónica) viagem do seu pontificado: a visita à ilha de Lampedusa. A data é assinalada com uma eucaristia presidida por Francisco na Casa Santa Marta, a qual terá início às 10 horas de Lisboa, e será transmitida online através dos meios de comunicação do Vaticano.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Hospital pediátrico do Vaticano separa com êxito gémeas siamesas unidas pelo crâneo

Hospital pediátrico do Vaticano separa com êxito gémeas siamesas unidas pelo crâneo novidade

O hospital pediátrico Bambino Gesú, em Roma, gerido pelo Vaticano, separou com êxito duas irmãs siamesas de 2 anos, que nasceram unidas pelo crâneo na República Centro Africana. A complexa operação, que durou 18 horas e contou com uma equipa de 30 profissionais de saúde, teve lugar no passado dia 5 de junho, mas o hospital só revelou todos os detalhes esta quarta-feira, 8 de julho, numa conferência de imprensa.

É notícia

Entre margens

Do confinamento às Minas novidade

Vestígios dos trilhos usados para o contrabando abundante nesta zona da raia. Algum complemento a um salário magro. Histórias de perigos, ousadia, dignidade, persistência e superação. Na aldeia de Santana das Cambas existe um Museu do Contrabando que soubemos estar encerrado.   
Curvo-me perante uma realidade que desconhecia, apenas intuía… Ao olhar para os mineiros envelhecidos e suas famílias passei a vê-los como heróis, príncipes daquela terra, figuras exemplares de cidadania e coragem.

A favor do argumento ontológico novidade

A realidade é um extraordinário abismo de Ilimitado em todas as direções e dimensões. É isto o Absoluto. Não tendo na sua constituição nenhuma descontinuidade, nenhum vazio absoluto (pois nele o nada absoluto [ou Nada] não pode simplesmente ter lugar), o Absoluto é plenitude de Ser. A isto se chega pela simples consideração de que o Nada, precisamente por ser Nada, não existe nem pode existir, pelo que sobra “apenas” aquilo que existe de facto, que é Tudo.

Memórias do Levante

À ideia da raça superior sucedeu a ideia da cultura superior, quase tão maléfica como aquela. E escravizar os seres humanos “inferiores” deu lugar a desvalorizar ou mesmo destruir as culturas “inferiores”. O resultado é que, se ninguém ganhou com isso, a verdade é que a humanidade perdeu e muito

Cultura e artes

Aquilino e Bartolomeu dos Mártires: o “pai dos pobres e mártir sem desejos” novidade

Aquilino Ribeiro, escritor de prosa escorreita, pujante, honrou a dignidade da língua portuguesa à altura de outros antigos prosadores de grande qualidade. Irmanado com a Natureza beirã: aves, árvores, animais e homens. Espirituoso e de fina ironia, é bem o Mestre da nossa Língua. Em “Dom Frei Bertolameu” faz uma espécie de hagiografia do arcebispo de Braga, D. Frei Bartolomeu dos Mártires (1514-1590), canonizado pelo Papa Francisco a 6 de Julho de 2019.

Ennio Morricone: O compositor que nos ensinou a “sonhar, emocionar e reflectir”

Na sequência de uma queda em casa, que lhe provocou a ruptura do fémur, o maestro e compositor italiano Ennio Morricone morreu esta segunda-feira em Roma, na unidade de saúde onde estava hospitalizado. Tinha 91 anos. O primeiro-ministro, Giuseppe Conte, evocou com “infinito reconhecimento” o “génio artístico” do compositor, que fez o público “sonhar, emocionar, refletir, escrevendo acordes memoráveis que permanecerão indeléveis na história da música e do cinema”.

Teologia bela, à escuta do Humano

Pensar a fé, a vivência e o exercício do espírito evangélico nos dias comuns, é a tarefa da teologia, mais do que enunciar e provar fórmulas doutrinárias. Tal exercício pede atenção, humildade e escuta dos rumores divinos na vida humana, no que de mais belo e também de mais dramático acontece na comunidade dos crentes e de toda a humanidade.

Sete Partidas

STOP nas nossas vidas: Parar e continuar

Ao chegar aos EUA tive que tirar a carta condução novamente. De raiz. Estudar o código. Praticar. Fazer testes. Nos EUA existe um sinal de trânsito que todos conhecemos. Porque é igual em todo o mundo. Diz “STOP”. Octogonal, fundo branco, letras brancas. Maiúsculas. Impossível não ver. Todos vemos. Nada de novo. O que me surpreendeu desde que cheguei aos EUA, é que aqui todos param num STOP. Mesmo. Não abrandam. Param. O carro imobiliza-se. As ruas desertas, sem trânsito. Um cruzamento com visibilidade total. Um bairro residencial. E o carro imobiliza-se. Não abranda. Para mesmo. E depois segue.

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco