Campanha de recolha

No Porto, as rolhas voltam a ser árvores

| 8 Mar 2024

plantação simbólica de 150 árvores no Parque da Cidade do Porto, na última quarta-feira, 6 de março. Foto Lipor

Até ao final do próximo mês de maio, serão plantados azevinhos, carvalhos, amieiros, medronheiros, nogueiras-negras, teixos e salgueiros em “parques, caldeiras e arruamentos da cidade do Porto. Foto © Lipor

 

A campanha “Rolha a rolha semeie a recolha” promete uma nova árvore autóctone por cada 50 rolhas de cortiça recolhidas, e foi neste âmbito que decorreu a plantação simbólica de 150 árvores no Parque da Cidade do Porto, na última quarta-feira, 6 de março. A iniciativa contou com a participação de alunos da Escola E.B. dos Correios.

Este projeto no município do Porto “teve início em 2023 e resultou na recolha de 337,7 quilos de rolhas de cortiça, o equivalente a cerca de 67.500 unidades, que se traduziram em, aproximadamente, 1.350 novas árvores”, indicam os serviços de comunicação da Lipor (Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto). Até ao final do próximo mês de maio, serão plantadas espécies como os “azevinhos, carvalhos, amieiros, medronheiros, nogueiras-negras, teixos e salgueiros”, em “parques, caldeiras e arruamentos da cidade, juntando-se às mais de 66 mil já existentes”.

A Lipor destaca o impacto da iniciativa: “A presença de árvores no meio urbano vai muito para além da estética. As árvores regulam a temperatura urbana, reduzem a poluição atmosférica e proporcionam diversos benefícios psicológicos, como a diminuição do stress e o aumento do bem-estar geral. A plantação de 2.550 novas árvores é mais um passo na jornada do Porto para se tornar uma cidade cada vez mais verde e sustentável.”

A campanha “Rolha a rolha semeie a recolha” é operacionalizada pela empresa municipal Porto Ambiente em parceria com a Lipor, a Quercus e os estabelecimentos comerciais aderentes.

 

Texto redigido por Juliana Batista/revista Fátima Missionária, ao abrigo da parceria com o 7MARGENS.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Irritações e sol na cara

Irritações e sol na cara novidade

“Todos os dias têm muito para correr mal, sim. Mas pode-se passar pela vida irritado? Apitos e palavras desagradáveis, respirações impacientes, sempre com o “não posso mais” na boca.” – A crónica de Inês Patrício, a partir de Berlim

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This