Publicadas em 53 idiomas

Notícias do Vaticano já podem ser lidas em canarim, língua falada em Goa

| 3 Abr 2024

Antenas da Rádio Vaticano. Foto Vatican Media

“Hoje, as novas tecnologias oferecem-nos muitas oportunidades de levar a Boa Nova a um mundo frequentemente ferido”, afirma o diretor da Rádio Vaticano, Massimiliano Menichetti. Foto © Vatican Media

 

Os meios de comunicação social do Vaticano disponibilizam agora as notícias no seu 53.º idioma – a língua kannada, também conhecida como canarim – uma das oficiais da Índia, falada por milhões de pessoas naquele país, particularmente no estado de Goa e limítrofes.

A novidade é fruto de uma colaboração entre o Dicastério para a Comunicação e a arquidiocese de Bangalore, no estado indiano de Karnataka, e é motivo de grande satisfação para Peter Machado, arcebispo naquela cidade.

“Estou muito feliz com o lançamento destas páginas em canarim. As notícias sobre o Papa, o Vaticano, a Igreja universal e o mundo, serão de grande interesse e importância para a Igreja local em Karnataka. Agradeço ao nosso amado Santo Padre, o Papa Francisco, pelo seu ênfase contínuo sobre a sinodalidade, e em levar a Igreja para as periferias. Os fiéis certamente beneficiarão da leitura destes artigos e, numa fase sucessiva, da transmissão por áudio/vídeo”, disse o arcebispo de Bangalore, citado pelo Vatican News.

O alcance que esta parceria poderá vir a assumir é destacado por Paolo Ruffini, prefeito do Dicastério para a Comunicação da Santa Sé. “Uma nova língua é acrescentada àquelas já faladas. É uma língua antiga e, no entanto, viva. Viva como a comunidade católica que nos ajuda neste pequeno grande projeto: falar a língua de 35 milhões de indianos. Um ato de homenagem à sua cultura. Um serviço à comunicação autêntica. Uma maneira de caminharmos juntos”, acredita.

Andrea Tornielli, diretor editorial dos meios de comunicação do Vaticano, considera que o novo idioma pode ser um meio para fortalecer laços. “A decisão de acrescentar o idioma canarim aos 52 já existentes para levar a palavra do Papa à língua materna de milhões de indianos confirma a nossa vocação de serviço ao bispo de Roma e às Igrejas que compõem a Igreja universal. Num tempo caracterizado por dificuldades e incertezas, guerras e violência, é reconfortante que a Igreja dê testemunho de comunhão e partilha, fortalecendo os laços entre Roma e o mundo”.

Ainda a propósito desta iniciativa, o diretor da Rádio Vaticano, Massimiliano Menichetti, recorda o papel dos meios de comunicação para a Igreja. “O alcance da Igreja é maravilhoso. Há 93 anos, o Papa Pio XI encarregou Guglielmo Marconi de construir a Rádio Vaticano, para levar esperança ao mundo, para difundir o anúncio cristão e para construir a Igreja de Cristo. Na década de 90, as ondas da Rádio do Papa chegaram ao Vietname e aquele anúncio gerou os ‘cristãos do rádio’, uma nova Igreja viva. Hoje, as novas tecnologias oferecem-nos muitas oportunidades de levar a Boa Nova a um mundo frequentemente ferido. O idioma canarim é um outro exemplo de vitalidade e fraternidade, e o nosso desejo é o de continuar a tecer esses caminhos com responsabilidade e unidade.”

 

Texto redigido por Juliana Batista/revista Fátima Missionária, ao abrigo da parceria com o 7MARGENS.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil

Apelo internacional

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil novidade

Com o objetivo de “aumentar a assistência humanitária às comunidades afetadas pelas devastadoras inundações no Rio Grande do Sul, no Brasil”, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) lançou um “apelo de emergência de cerca de oito milhões de euros”, anunciou a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), na última quarta-feira, 22 de maio.

A Dignidade da pessoa humana como prioridade

A Dignidade da pessoa humana como prioridade novidade

Na semana depois de Pentecostes é oportuno recordar a publicação da declaração Dignitas Infinita sobre a Dignidade Humana, elaborada durante cinco anos e divulgada pelo Dicastério para a Doutrina da Fé, pondo a tónica na dimensão universal, filosófica e antropológica, do respeito pela pessoa humana enquanto fator de salvaguarda dos direitos humanos, do primado da justiça e do reconhecimento de que todos os seres humanos como livres e iguais em dignidade e direitos.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This