Oriundos da América Central

Nova caravana de migrantes à porta dos EUA

| 20 Jun 2022

Caravanas de migrantes avançam em direção aos EUA. Foto de arquivo © DR

A nova caravana de migrantes em direção aos EUA pode ser uma das maiores de sempre. Foto de arquivo © DR

 

A primeira onda de uma grande caravana de migrantes que partiu das Honduras em maio tinha chegado na última sexta-feira, 17, à fronteira dos Estados Unidos, perto da cidade de Eagle Pass, segundo noticiou o periódico local Eagle Pass Business Journal.

A caravana, considerada uma das maiores de sempre, poderá ser constituída por largos milhares de pessoas – homens, mulheres e crianças. As reportagens referem números que variam entre duas mil e 11 mil pessoas, mas há relatos que indicam que outras caravanas se preparam para integrar esta, podendo o conjunto vir a atingir mais de 15 mil pessoas.

Uma reportagem de The Guardian, de 3 de junho último, feita na cidade mexicana de Tapachula, no estado de Chiapas, referia que mais de uma dezena de milhar de pessoas estava preparada para se porem em marcha.

A partir da segunda metade deste mês de junho, porém, os media norte-americanos deixaram de dar destaque a este tema, o que poderá ter a ver com o que na recente Cimeira das Américas foi decidido sobre o tema das migrações.

Segundo o Business Journal, muitos dos migrantes têm viajado pelo México em autocarros, comboios, camiões, táxis e aviões, procurando avançar rapidamente para conseguir asilo em busca do “sonho americano”. Estariam a aproveitar as 11 mil autorizações para imigrantes estrangeiros abertas pelo Governo mexicano no mês passado.

A caravana é constituída sobretudo por pessoas dos países da América Central e do Sul, ainda que a integrem cidadãos de outros países. À chegada a Eagle Pass, a polícia da fronteira deteve 300 pessoas, que na prática se ofereceram para serem presas, já que acreditam poder conseguir o asilo, uma vez que estejam noutras cidades dentro dos EUA, para as quais foram levadas em autocarros.

Nas palavras da jornalista Lillian Perlmutter, autora da reportagem em The Guardian, a politização é evidente. As autoridades mexicanas acolhem bem a caravana e dispõem-se até a apoiar os elementos mais frágeis, podendo, depois, negociar com o Governo norte-americano as possíveis soluções (que dificilmente serão soluções para os migrantes, já que, se há aspeto em que as promessas do Presidente Biden não se concretizaram foi relativamente à imigração e asilo).

As imagens dos media mostram a multidão a caminhar, mas não mostram aqueles que vão ficando pelo caminho e, sobretudo, aqueles que simplesmente desaparecem na viagem. É para este fenómeno dos “desaparecidos” que o Serviço Jesuíta dos Migrantes do México tem vindo a chamar a atenção, desde há 15 anos.

Num “Relatório sobre o desaparecimento de migrantes no México“, publicado em 20 de maio deste ano, refere-se que, no período entre 2007 e 2021, a organização tratou 1.280 casos de pessoas desaparecidas.

Mas foi nos últimos três anos, e particularmente em 2021, que mais subiu o número de solicitações recebidas: neste ano registaram-se, segundo o estudo, 27% do total de casos, um aumento de 291 por cento.

Pelos últimos contactos dessas pessoas desaparecidas feitos com familiares ou amigos percebe-se que, em 75 por cento dos casos, encontravam-se no México, haviam sido detidas e a partir desse momento desapareceram. Isto mostra, segundo o serviço dos jesuítas, que “os migrantes detidos são geralmente privados do direito de comunicar com os seus familiares e amigos, perdendo assim o contacto com eles”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This