Nove confissões do grupo Religiões-Saúde condenam eutanásia, evangélicos e médicos católicos pedem veto de Marcelo

| 31 Jan 21

eutanásia, saúde, hospital

Foto: Direitos reservados

 

Nove confissões religiosas do Grupo de Trabalho Inter-Religioso Religiões-Saúde criticaram também, em comunicado divulgado no fim-de-semana, a aprovação, pelo Parlamento, da lei sobre a eutanásia. “Aquilo que a Assembleia ofereceu como saída à pessoa que sofre gravemente é a morte a pedido (por enquanto)”, diz o texto enviado ao 7MARGENS.

O texto inclui a Igreja Católica, cujos bispos tomaram posição, e a Aliança Evangélica Portuguesa (AEP), que divulgou também uma posição autónoma, a condenar a nova lei e a apelar para que o Presidente da República, “sensível a esta matéria, tudo faça para que uma lei com tão reduzida aceitação em Portugal não seja colocada em prática, assim como para que o Tribunal Constitucional defenda o princípio da inviolabilidade da Vida Humana, ao invés de defender a frágil autonomia de uma pessoa em sofrimento, tão permeável ao aproveitamento de interesses externos”.

No comunicado conjunto, o Grupo Inter-Religioso Religiões-Saúde pergunta ainda: “O que esperar face às dificuldades no acesso aos cuidados de saúde, à pobreza, à grave insuficiência de cuidados continuados, à inexistência de uma rede de cuidados paliativos, ao depósito de idosos em muitos lares, às graves insuficiências do SNS?”

O grupo responde com três compromissos: reforçar o “empenho na proclamação dos valores da vida e na formação humana suportada pelos mesmos”; assumir “o desafio de uma maior proximidade aos doentes através do acompanhamento espiritual”, pedindo que se retirem os “entraves existentes” a esse acompanhamento; e “afirmar o princípio ético, ancestral e universal” do “não matarás”, que “conduziu a humanidade pelas vicissitudes da história até ao respeito pela vida e pela dignificação da pessoa humana”.

O comunicado é assinado em nome das duas maiores confissões religiosas do país – Igreja Católica e Aliança Evangélica Portuguesa –, bem como pelas comunidades Hindu de Portugal, Islâmica de Lisboa e Israelita de Lisboa. Subscrevem-no também a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons), Patriarcado Ecuménico de Constantinopla, a União Budista Portuguesa e a União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia.

Quem também faz um apelo directo ao Presidente da República é a Associação dos Médicos Católicos Portugueses. Dizendo que a pandemia “veio pôr a nu a insanidade deste processo” e que “os médicos não são agentes da morte”, a AMCP apela a Marcelo Rebelo de Sousa “para que escute os portugueses e evite que um dos primeiros actos do seu segundo mandato seja a aprovação de uma lei que torna Portugal membro de um grupo indigno e minoritário de sete países que aprovaram a eutanásia”.

 

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow

Cimeira do Clima

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow novidade

A Comunidade de Taizé foi convidada pelo Comité Coordenador da COP26 das Igrejas de Glasgow para preparar e liderar uma vigília para estudantes e jovens em Glasgow durante a Cimeira do Clima. Mais de sete mil pessoas passaram por Taizé, desde junho, semana após semana, apesar do contexto da pandemia que se vive.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This