Número de mulheres em cargos de liderança no Vaticano aumentou 70% com Francisco

| 10 Ago 2020

Número de mulheres em cargos de liderança no Vaticano aumentou 70% com Francisco

| 10 Ago 20

mulheres vaticano francesca di giovanni, Foto Vatican News

A advogada leiga italiana Francesca Di Giovanni foi a escolhida pelo Papa Francisco para o cargo de subsecretária para as Relações com os Estados, na Secretaria de Estado do Vaticano, tornando-se a primeira mulher a desempenhar um cargo de gestão naquele organismo. Foto: Vatican News.

 

A participação feminina na estrutura de decisão do Vaticano cresceu cerca de 70% nos últimos dez anos. O principal responsável é, sem sombra de dúvidas, o Papa Francisco, que desde 2013 tem vindo a nomear cada vez mais mulheres para cargos de relevo em inúmeros organismos da Santa Sé.

De acordo com estatísticas do Vaticano às quais o jornal argentino Télam teve acesso, o número de mulheres em cargos da Cúria Romana passou de 385 (em 2010) para 649, no final de 2019. Quanto ao número total de mulheres a trabalhar no Vaticano, cresceu de 697 para 1.016 no mesmo período, o que corresponde a um aumento de 45%.

Da economia à comunicação, passando pelas relações externas e pela direção de museus, não faltam exemplos de mulheres escolhidas pelo Papa Francisco para lugares-chave na estrutura e hierarquia da Igreja Católica.

É o caso da eslovaca Natasha Govekar, que desde fevereiro de 2016 dirige o departamento teológico-pastoral do Dicastério da Comunicação, ou da brasileira Cristiane Murray, nomeada vicediretora do gabinete de imprensa do Vaticano, em 2019. À frente da edição semanal em espanhol do jornal oficial do Vaticano, L’Osservatore Romano, está também, desde 2015, uma mulher: a argentina Silvina Pérez.

Em 2017, a italiana Barbara Jatta foi designada para outro cargo de relevância: diretora dos Museus Vaticanos. No mesmo ano, Francisco nomeou duas subsecretárias para o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida: Gabriella Gambino e Linda Ghisoni, ambas mães de família, o que consistiu uma novidade para o Vaticano no que diz respeito a tais níveis de responsabilidade.

No ano passado, também o hospital pediátrico do Vaticano, o maior da Europa, passou a ser dirigido por uma mulher: aos comandos do Bambino Gesù ficou a italiana Mariella Enoc.

Na área financeira, o Papa nomeou ainda em 2019 a religiosa italiana Alessandra Smerilli como sua conselheira económica. Já este ano, designou a também a italiana Antonella Sciarrone Alibrandi para o conselho da Autoridade de Informação Financeira e, já na semana passada, nomeou seis mulheres leigas (duas britânicas, duas espanholas e duas alemãs) para o conselho que tem como função supervisionar a gestão económica e vigiar as estruturas e atividades administrativas e financeiras dos dicastérios da Cúria Romana, as instituições relacionadas com a Santa Sé e o Estado da Cidade do Vaticano.

Também no início deste ano, a italiana Francesca Di Giovanni, advogada especializada em questões sobre migração, direito humanitário e estatuto das mulheres, foi escolhida pelo Papa Francisco para o cargo de subsecretária para as Relações com os Estados, na Secretaria de Estado do Vaticano. Trata-se da primeira vez que uma mulher desempenha um cargo de gestão naquele organismo, com autoridade real sobre os bispos que trabalham na Secretaria de Estado, bem como sobre os que estão destinados como observadores do Vaticano nos organismos internacionais.

 

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Bairro é embaixador dos ODS

No Zambujal, vai nascer um mural para defender a gestão sustentável da água

O Bairro do Zambujal, localizado na freguesia de Alfragide (Amadora), está cada vez mais perto de se tornar “o primeiro bairro embaixador dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”. Com cinco dos seus edifícios a servir já de tela para uma série de murais que ilustram esses mesmos objetivos, prepara-se agora para receber a próxima pintura, dedicada à defesa do “ODS 6 – Água Potável e Saneamento”. Os trabalhos iniciais foram revelados nesta sexta-feira, 22 de março, data em que se assinala o Dia Mundial da Água.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

É notícia

Dia dos Mártires

Igreja na Índia recorda massacre de 2008

Treze anos depois da onda de violência que varreu o Estado de Orissa, na Índia, provocando mais de 100 mortos, a justiça é ainda uma miragem, denuncia a Fundação AIS. Desde 2016 que é celebrado pela Igreja em Orissa o dia dos Mártires. 

Fundação AIS

Padre haitiano morto a tiro

Um padre que dirigia um orfanato no Haiti foi morto a tiro, Andrè Sylvestre, de 70 anos de idade, foi assassinado na tarde de segunda-feira, 6 de setembro, durante uma tentativa de assalto, revelou a Fundação AIS. 

IndieLisboa

Cinema: prémio Árvore da Vida atribuído a “Sopro”

O filme “Sopro”, realizado por Pocas Pascoal, uma cineasta angolana de 58 anos, foi distinguido na segunda-feira com o prémio Árvore da Vida, atribuído pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC), no final da 18.ª edição do festival de cinema independente IndieLisboa. 

Entre margens

Desfazendo três equívocos sobre Deus

Desfazendo três equívocos sobre Deus novidade

Existem três dificuldades ou equívocos religiosos sobre o carácter de Deus, e que revelam algum desconhecimento sobre Ele. Por isso convém reflectir no assunto. Esses três equívocos sobre os quais nos vamos debruçar de seguida são muito comuns, infelizmente. [Texto de José Brissos-Lino]

O exemplo de Maria João Sande Lemos

O exemplo de Maria João Sande Lemos

Se há exemplo de ativismo religioso e cívico enquanto impulso permanente em prol da solidariedade, da dignidade humana e das boas causas é o de Maria João Sande Lemos (1938-2024), que há pouco nos deixou. Conheci-a, por razões familiares, antes de nos encontrarmos no então PPD, sempre com o mesmo espírito de entrega total. [Texto de Guilherme d’Oliveira Martins]

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda

Nos últimos tempos muito se tem falado e escrito sobre escravatura e racismo no nosso país. Temas que nos tocam e que fazem parte da nossa história os quais não podemos esconder. Não assumir esta dupla realidade, é esconder partes importantes da nossa identidade. Sim, praticámos a escravatura ao longo de muitos séculos, e continuamos a fechar os olhos a situações de exploração de pessoas imigradas, a lembrar tempos de servidão.[Texto de Florentino Beirão]

Cultura e artes

“Montesinho é um ambiente excecional para trabalhar a música”, diz Matilde Loureiro

Festival Música na Paisagem

“Montesinho é um ambiente excecional para trabalhar a música”, diz Matilde Loureiro

Debaixo de um enorme castanheiro, duas jovens músicas tocam uma peça de Mozart escutada por uma roda de oito dezenas de pessoas – é o Festival Música na Paisagem que desde 2019 acontece todos os anos na aldeia de Montesinho, no norte do conselho de Bragança. Em entrevista ao 7MONTES, Matilde Loureiro, diretora artística do festival, recorda como nasceu esta iniciativa que leva a música clássica aos lugares mais quotidianos da aldeia de Montesinho onde há “um ambiente excecional para trabalhar e aprender música”.

Sete Partidas

“O 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”

“O 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”

O último dia de “Reflexos e Reflexões” prometia uma tarde bem preenchida: o debate sobre “o 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”, e a peça de teatro “House”, de Amos Gitai, pelo teatro La Colline. Aqui deixo uma síntese do debate, que tentei fazer com a maior fidedignidade possível, a partir dos apontamentos que fui tomando (era proibido tirar fotografias ou fazer gravações, para garantir que todos se sentiam mais livres para falar). [Texto de Helena Araújo]

Aquele que habita os céus sorri

sobre as águas

sobre as águas

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This