Núncio de França promete levar ao Vaticano candidaturas das “mulheres apóstolas”

| 3 Out 2020

mulheres toutes apotres, Foto Twitter Anna Cuxac

Seis das mulheres que apresentaram as suas candidaturas, acompanhadas da teóloga Anne Soupa (a terceira a contar da esquerda), que se candidatou ao lugar de arcebispa de Lyon. Foto: Twitter de Anna Cuxac.

 

Depois de uma delas ter sido ameaçada de morte, as sete mulheres pertencentes ao grupo “Toutes Apôtres” (em português, “Todas Apóstolas”), que apresentaram em julho passado as suas candidaturas a cargos reservados aos homens na hierarquia da Igreja, foram recebidas, uma por uma, pelo núncio apostólico de França. Celestino Migliore prometeu a todas elas que levaria os seus pedidos ao Vaticano.

Christina Moreira, francesa de origem espanhola, foi a última das sete a ser recebida, esta sexta-feira, 2 de outubro, pelo representante do Papa. Em declarações à agência EFE, divulgadas pelo Religión Digital, a candidata ao sacerdócio disse estar “muito satisfeita” com a conversa que manteve durante mais de uma hora com o núncio de França, cujo conteúdo o mesmo lhe pediu que não revelasse. Christina partilhou, no entanto, que Celestino Migliore assegurou que levaria ao Vaticano o seu pedido, bem como os das restantes seis mulheres do grupo.

“É muito mais do que tinha conseguido em Espanha, onde o bispo de Santiago de Compostela, Julián Barrio, e o arcebispo Carlos Osoro, de Madrid, me fecharam as portas, dizendo que não me reconhecem como presbítera e que não sou católica”, contou.

A sétima “mulher apóstola” afirma ter recebido uma “ordenação sacerdotal das mãos de uma bispa consagrada por um bispo de linhagem apostólica” e garante: “Se eu fosse um homem, seria uma ordenação totalmente legítima.” Christina Moreira não duvida de que um dia poderá dirigir uma paróquia: “Se queres uma realidade, fá-la”, defende.

À saída da reunião, três das sete aspirantes esperavam por Christina. “Agradecemos esta abertura da Igreja e a compreensão da realidade das mulheres, que demonstra que o diálogo é possível”, afirmou Sylvaine Landrivon, candidata a bispa.

“Nós, as mulheres, temos estado ao lado de Jesus Cristo desde o início para cuidar dele e acompanhá-lo até à morte”, disse por seu lado Hélène Pichon, que se candidatou ao cargo de núncia. “Há décadas que lutamos para ser reconhecidas e continuaremos a fazê-lo”.

 

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos

Relatório da ONU alerta

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos novidade

O mais recente relatório da ONUSIDA, divulgado esta terça-feira, 29 de novembro,  é perentório: “o mundo continua a falhar à infância” na resposta contra a doença. No final de 2021, 800 mil crianças com VIH não recebiam qualquer tratamento. Entre os cinco e os 14 anos, apenas 40% tiveram acesso a medicamentos para a supressão viral. A boa notícia é que as mortes por sida caíram 5,79% face a 2020, mas a taxa de mortalidade observada entre as crianças é particularmente alarmante.

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana” novidade

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This