O bahá’í Mário Mota Marques homenageado por responsáveis de várias religiões

| 26 Mar 21

Mário Mota Marques

Com uma forte convicção bahá’í, Mota Marques era um homem dedicado ao diálogo inter-religioso e à presença das religiões na televisão (a foto mostra-o num dos programas das confissões religiosas). 

Deixava, atrás de si, a impressão permanente de um homem bom, interessado em construir pontes. Nascido em Lisboa em 1942, Mário Mota Marques, que durante quatro décadas foi membro do órgão dirigente da Comunidade Bahá’í de Portugal (CBP) e que morreu em 2009, será homenageado neste sábado, através de um encontro em plataformas vídeo.

Com uma forte convicção bahá’í, Mota Marques era um homem dedicado ao diálogo inter-religioso, à presença das religiões na televisão e nos espaços públicos e um divulgador da situação dos bahá’ís em países onde sofriam perseguição, como era, e é, o caso do Irão.

O encontro decorre a partir das 17h45 no Zoom (com o código 846 6936 0397 e a senha 2009), sob o tema “No jardim do coração, nada plantes salvo a rosa do amor”. Nele intervêm, entre outros, e além de familiares e amigos pessoais, José Vera Jardim, antigo ministro da Justiça, bem como personalidades de diferentes credos: os padres Peter Stilwell (católico) e Alexandre Bonito (ortodoxo), o muçulmano Mahomed Abed, o evangélico Samuel Pinheiro, o budista Paulo Borges, e a muçulmana Ismaili Faranaz Keshavjee.

Desde cedo, Mota Marques interessou-se pelo estudo das religiões, como recordou a jornalista Margarida Santos Lopes no Público, na altura da sua morte. E isto apesar de ser originário de uma família que não era religiosa. Mas foi pelo hinduísmo que começou: o Bhagavad Gita, escritura sagrada dos hindus, não o satisfez e depois de ter ido a um centro bahá’í com um amigo, quando tinha menos de 20 anos, decidiu aderir àquela confissão religiosa.

Por causa da sua adesão a um grupo religioso minoritário, a PIDE, polícia política do Estado Novo, molestou-o em várias ocasiões. Os agentes confundiam alusões à música de Bach com “bahá’í” e desenhos de crianças com “planos para ataques a quartéis”, contava ele, no mesmo texto.

A antipatia da PIDE tinha começado ainda em Moçambique, para onde Mota Marques foi com os pais, em 1961. Dois anos depois regressou a Portugal, mas voltaria a África entre 1973 e 1975, residindo em Angola. Na década de 1990, assumiu o Gabinete de Assuntos Externos da Comunidade Bahá’í, tendo participado no processo de elaboração da Lei de Liberdade Religiosa.

Apesar dos incómodos a que se vira sujeito durante o Estado Novo, por força da sua adesão aos bahá’ís, e de ter lutado por um estatuto legal para a sua comunidade, Mota Marques foi um dos rostos do diálogo inter-religioso em Portugal.

Durante duas décadas – a última do século XX e a primeira deste século – derrubou barreiras, construiu pontes, encontrou parceiros, fez amizades. Tornou-se um dos principais interlocutores de vários processos: além da nova lei, elaborada num dos governos liderados por António Guterres, a concessão do estatuto legal aos bahá’ís, as aulas de moral e religião bahá’í ou o programa das confissões religiosas na RTP.

Na CBP, Mota Marques foi também um dos principais dirigentes: durante 40 anos foi um dos nove membros da Assembleia Espiritual Nacional, o organismo que, na ausência de clero, gere a vida da comunidade. E teve ainda cargos da comunidade a nível europeu.

mario mota marques memorial cartaz

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Crónica

Os Dias da Semana – Socorrer urgentemente Cabo Delgado

Os Dias da Semana – Socorrer urgentemente Cabo Delgado novidade

Moçambique tem um amplo destaque na primeira página da edição de hoje e de amanhã do diário francês Le Monde, por causa dos ataques mortais de jihadistas à cidade de Palma e da instabilidade na província de Cabo Delgado, qualificada como “antigo canto do paraíso”. No interior, as páginas 16, 17 e 18 são integralmente dedicadas ao que se passa na região entalada entre “as ambições da indústria do gás e a pressão jihadista”.

Breves

Vida para lá da Terra? Respondem teólogos e astrónomos novidade

Ciência e Espiritualidade é o mote para um encontro organizado pela Faculdade de Teologia e pelo Departamento de Astronomia da Universidade de Genebra (Suíça). “O homem e o céu: do universo mítico ao universo científico” é o tema que procurará responder a perguntas como: O que é o universo? Vida, aqui e além? De onde vimos? Para que fim?

Seminário de Coimbra assinala Dia Internacional dos Monumentos e Sítios com direto na cúpula da igreja

Uma conversa em cima do andaime montado na cúpula da igreja do Seminário Maior de Coimbra irá juntar, no próximo dia 19 de abril, pelas 18h, o padre Nuno Santos, reitor da instituição, e Luís Aguiar Campos, coordenador do projeto de conservação e restauro do seminário. A iniciativa pretende assinalar o Dia Mundial dos Monumentos e Sítios (que se celebra domingo, 18) e será transmitida em direto no Facebook.

Vaticano saúda muçulmanos no Ramadão

O Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso, da Santa Sé, enviou uma mensagem aos muçulmanos de todo o mundo, por ocasião do início do Ramadão, convidando todos os crentes a serem “construtores e reparadores” da esperança.

China quer que clérigos tenham amor pelo Partido Comunista

Novo decreto governamental é “mais uma medida totalitária para limitar a liberdade religiosa”, acusa organização de direitos humanso. O decreto aplica-se a todas as religiões, ou seja, lamas budistas, clérigos cristãos, imãs muçulmanos e outros líderes religiosos.

Aumentar valor das prestações sociais, sugere Pedroso nos 25 anos do RSI

O valor das prestações sociais como o Rendimento Social de Inserção (RSI) deveria aumentar, pois já não responde às necessidades das pessoas mais vulneráveis. A ideia é defendida por Paulo Pedroso, que foi o principal responsável pela comissão que estudou o modelo de criação do então Rendimento Mínimo Garantido (RMN).

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Quebra de receitas da principal Igreja financiadora do Vaticano

A Igreja Católica alemã, que é líder no contributo que dá habitualmente para as despesas da Santa Sé (juntamente com a dos EUA), teve “um verdadeiro colapso” nas receitas, em 2020, segundo dados divulgados pelo jornal Rheinische Post, citados por Il Messaggero.

Francisco corta 10% nos salários dos cardeais

O Papa Francisco emitiu um decreto determinando um corte de 10% nos salários dos cardeais, bem como a redução de pagamento a outros religiosos que trabalham na Santa Sé, com efeitos a partir de 1 de abril, divulgou o Vaticano esta quarta-feira, 24 de março. A medida, que não afeta os funcionários com salários mais reduzidos, visa salvar os empregos no Vaticano, apesar da forte redução das receitas da Santa Sé, devido à pandemia de covid-19.

Espanha: Consignações do IRS entregam 300 milhões à Igreja Católica

Os contribuintes espanhóis entregaram 301,07 milhões de euros à Igreja Católica ao preencherem a seu favor a opção de doarem 0,7% do seu IRPF (equivalente espanhol ao IRS português). Este valor, relativo aos rendimentos de 2019, supera em 16,6 milhões o montante do ano anterior e constitui um novo máximo histórico.

Entre margens

A viagem do vestido de casamento novidade

O cerne da questão das cerimónias de casamento, na minha sociedade, é o vestido de noiva. A existência do vestido de noiva é antecedida pelo anúncio do casamento, que traz felicidade a alguns familiares, tanto da noiva, quanto do noivo. Digo alguns, porque um casamento, para além da graça que carrega, reúne em torno de si muita agrura. Casar e ter filhos ainda é das coisas mais importantes na minha sociedade. Existe muito pouco deleite acima disso.

Dois quadros de Caravaggio

Há dois episódios que recentemente recordámos na liturgia que continuam a deixar-nos cheios de perplexidade. Falo da tripla negação de Pedro e da incredulidade de Tomé. Afinal, somos nós mesmos que ali estamos representados, por muito que isso nos choque. E o certo é que, para que não haja dúvidas, as palavras que pontuam tais acontecimentos são claríssimas. Pedro recusa terminantemente a tentação, quando Jesus lhe anuncia que ele O vai renegar. E nós sentimo-nos aí retratados.

Europa: um Pacto Ecológico para inglês ver?

“O Pacto Ecológico Europeu é … uma nova estratégia de crescimento que visa transformar a UE numa sociedade equitativa e próspera, dotada de uma economia moderna, eficiente na utilização dos recursos e competitiva, que, em 2050, tenha zero emissões líquidas de gases com efeito de estufa e em que o crescimento económico esteja dissociado da utilização dos recursos.” (Pacto Ecológico)

Cultura e artes

A torrente musical de “Spem in Alium”, de Thomas Tallis

Uma “torrente musical verdadeiramente arrasadora”, de esperança pascal, diz o padre Arlindo Magalhães, comentador musical, padre da diocese do Porto e responsável da comunidade da Serra do Pilar (Gaia), a propósito da obra de Thomas Tallis Spem in Alium (algo que se pode traduzir como “esperança para lá de todas as ameaças”).

A Páscoa é sempre “pagã”

A Páscoa é sempre pagã / Porque nasce com a força da primavera / Entre as flores que nos cativam com promessas de frutos. / Porque cheira ao sol que brilha na chuva / E transforma a terra em páginas cultivadas / Donde nascem os grandes livros, os pensamentos / E as cidades que se firmam em pactos de paz.

50 Vozes para Daniel Faria

Daniel Faria o último grande poeta português do século XX, morreu há pouco mais de vinte anos. No sábado, dia 10, assinala-se o 50.º aniversário do seu nascimento. A Associação Casa Daniel assinala a efeméride com a iniciativa “50 Vozes para Daniel Faria” para evocar os poemas e a memória do poeta.

“Sequência da Páscoa: uma das mais belas histórias do mundo”

Sem poder ir ao cinema para poder falar de um novo filme que, entretanto, tivesse estreado, porque estamos em tempo de Páscoa e porque temos ainda viva diante dos olhos a profética peregrinação do Papa Francisco ao Iraque – que não pode ser esquecida, mas sempre lembrada e posta em prática – resolvi escrever (para mim, a primeira vez neste lugar) sobre um filme profundamente pascal e actual: Dos Homens e dos Deuses (é quase pecado não ter experimentado a comoção de vê-lo). E não fui o único a fazê-lo por estes dias.

Sete Partidas

O regresso à escola má

Custa-me imenso falar de educação. A sério. Dói-me. Magoa fundo. O mal que temos tratado a educação escolar nas últimas décadas. Colectivamente. Geração após geração. Incomoda-me a forma como é delegada para planos secundários perante a suposta urgência de temas tão mais mediáticos e populares. Quando nada me parece mais urgente.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This