Seminário digital

O direito a desligar e a necessidade de um dia europeu comum de descanso

| 26 Mai 21

direito a desligar dia descanso foto dr

A iniciativa surge no seguimento de outras atividades sobre o Direito a Desligar e tem como objetivo sensibilizar para a necessidade de estabelecer, a nível da UE, um dia de descanso comum semanal. Foto: Direitos reservados.

 

A Aliança Europeia pelo Domingo organiza na próxima terça-feira, 1 de junho, um seminário digital sobre o tema “O direito à desconexão e a necessidade de um dia comum europeu de descanso semanal”.

A Aliança é uma rede de grupos nacionais com o mesmo propósito que engloba sindicatos, organizações da sociedade civil e confissões religiosas, empenhadas em promover “a consciência sobre o valor único do tempo livre sincronizado para as nossas sociedades europeias”. Entre as entidades está também a Comece – Comissão dos Episcopados (católicos) da União Europeia.

A iniciativa, que decorre das 12h às 13h (hora portuguesa), surge no seguimento de outras atividades sobre o Direito a Desligar e tem como objetivo sensibilizar para a necessidade de estabelecer, a nível da UE, um dia de descanso comum semanal para todos os cidadãos da União.

Os interessados em participar deverão inscrever-se através deste link. A página da European Sunday Alliance, em inglês, tem diversas informações acerca da situação europeia, nomeadamente sobre dias de trabalho, tempos de descanso, equilíbrio entre a vida pessoal e a vida laboral e o direito a desligar.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Interiormente perturbador

Cinema

Interiormente perturbador novidade

Quase no início d’O Acontecimento, já depois de termos percebido que o filme iria andar à volta do corpo e do desejo, Anne conclui que se trata de um texto político. Também esta obra cinematográfica, que nos expõe um caso de aborto clandestino – estamos em França, nos anos 60 –, é um filme político.

Sondagem

Brasil deixa de ter maioria católica  novidade

Algures durante este ano a maioria da população brasileira deixará de se afirmar maioritariamente como católica. Em janeiro de 2020, 51% dos brasileiros eram católicos, muito à frente dos que se reconheciam no protestantismo (31%). Ano e meio depois os números serão outros.

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria

Vários ataques no Nordeste do país

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria

O último episódio de violência na Nigéria, com contornos políticos, económicos e religiosos, descreve-se ainda com dados inconclusivos, mas calcula-se que, pelo menos, duas centenas de pessoas perderam a vida na primeira semana de Janeiro no estado de Zamfara, Nigéria, após vários ataques de grupos de homens armados a uma dezena de aldeias. Há bispos católicos a sugerir caminhos concretos para pôr fim à violência no país, um dos que registam violações graves da liberdade religiosa. 

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This