Edith Stein

O humanismo e uma pergunta lacerante

| 7 Dez 21

Edith Stein

 

Proclamada co-padroeira da Europa em 1999 por João Paulo II, Edith Stein – cujo nome em religião foi Teresa Benedita da Cruz – constitui uma figura maior da tradição espiritual cristã do século XX. Alemã de origem judia, Edith Stein partilhou o destino do seu povo na Shoah, apesar da sua conversão em catolicismo aos 30 anos e da sua entrada na Ordem Carmelita – um itinerário pascal que a própria reconheceu como um aprofundamento, e não um corte, com o património espiritual da Aliança. Interligado a esta aventura religiosa está o seu percurso intelectual notável, como filósofa integrada nos mais fecundos círculos de pensamento do seu tempo.

Nesta obra – que marca o início de um importante projeto editorial de publicação em Portugal das obras de Edith Stein –, encontramos o relato inacabado que a própria elaborou sobre o seu percurso familiar até 1917, data da defesa do seu doutoramento. Este relato é acompanhado de breves textos similares sobre outros episódios da sua vida. 

Preparado já no espaço do carmelo de Colónia, Vida de Uma Família Judia é um testemunho permeado de uma profunda gratidão pelo amplo ambiente familiar no qual Edith Stein formou o seu caráter e

a sua busca da verdade. Encontramos a descrição de uma família de profundos laços de solidariedade, onde os gestos e tempos próprios da vivência judaica se intercalam com a edificação da comunidade humana, a abertura aos estudos, a atividade económica. 

Através das relações que narra e dos nomes que refere, Edith Stein expõe – num tempo de discriminação, não muito distante do nosso – aquele que foi um profundo humanismo europeu, intercultural e inter-religioso. Um humanismo que a própria aprendeu, de modo genial, a reconhecer como caminho de descoberta de Cristo, não obstante a pergunta lacerante que a sua mãe lhe dirigiu, dirigida ao coração da experiência cristã: “Porque o conheceste? Não quero dizer nada contra ele. Pode até ser que ele tenha sido um homem muito bom. Mas porque se fez passar por Deus?”

Vida de Uma Família Judia
Autora: Edith Stein
Paulinas, 576 pág., 2021

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Onde menos se espera, aí está Deus

Onde menos se espera, aí está Deus novidade

Por vezes Deus descontrola as nossas continuidades, provoca roturas, para que possamos crescer, destruir em nós uma ideia de Deus que é sempre redutora e substituí-la pela abertura à vida, onde Deus se encontra total e misteriosamente. É Ele, o seu espírito, que nos mostra o nosso nada e é a partir do nosso nada que podemos intuir e abrir-nos à imensidão de Deus, também nas suas criaturas, todas elas.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This