Diretora da AIS denuncia

O Líbano “está em colapso”

| 8 Abr 2022

Líbano. Destruição. Beirute

Líbano. Destruição em Beirute depois da explosão de 4 de Agosto de 2020. Foto © Anwar Amro/MECC/WCC-CEI.

 

“O país está como que completamente destruído, em colapso. É o falhanço do Estado nos seus pilares essenciais. As pessoas já não conseguem pagar as suas despesas, as suas dívidas”, afirma a diretora da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) em Portugal, Catarina Martins de Bettencourt, após uma visita de quatro dias ao Líbano, numa nota enviada ao 7MARGENS esta sexta-feira 8 de abril.

“O que mais me chocou foi o desespero das pessoas. Tantas famílias que caíram na pobreza, tantas famílias que já não conseguem dar de comer aos seus filhos sem a ajuda da Igreja ou de instituições de solidariedade”, sublinha a responsável. Durante a viagem, que levou a equipa da Fundação AIS não só à capital libanesa mas também ao Vale Sagrado, na zona noroeste do país, e a Deir Al-Qhmar, junto à fronteira com a Síria, foi possível escutar os lamentos dos que passaram a precisar de ajuda para sobreviver no dia-a-dia.

De acordo com Catarina Martins de Bettencourt, uma das consequências mais dramáticas da crise é a fuga das populações. “Todos os dias saem pessoas do Líbano”, refere. “Isto é extremamente grave. Podemos dizer que a comunidade cristã está de saída. O Líbano é ainda o último país com uma grande comunidade cristã no Médio Oriente, cerca de 20 a 30 por cento da população, mas se as coisas continuarem assim, o futuro vai ser muito, muito difícil. Estamos a assistir mesmo ao esvaziar da presença cristã nesta região do globo.”

O porta-voz do Vaticano confirmou esta terça-feira,6, que uma viagem do Papa Francisco ao Líbano “está em estudo”. A presidência libanesa anunciou, no mesmo dia, que o núncio apostólico, o arcebispo Joseph Spiteri, informou “o presidente da República, Michel Aoun, de que o Papa Francisco vai visitar o Líbano em junho”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This