O meu Credo

| 11 Mai 20

Como eu gostaria de recitar o Credo cristão (baseado no único e já tão esquecido “símbolo dos Apóstolos”, no “Pai nosso” e em muitas passagens da Bíblia). Quero respeitar Deus como Mistério totalmente indizível; bem como o Mistério da sua “presença” na História da Humanidade. Posições dogmáticas não respeitam nem Deus nem a inteligência humana – e só nos afastam deste Mistério que engloba todo o Universo e toda a Vida.

 

Creio em Deus

Fonte de Amor e de Vida

E que entregou ao nosso cuidado

As maravilhas do céu e da terra.

Creio em Jesus e que é chamado Cristo

Por ter sido enviado por Deus

Como Filho muito amado

A anunciar o Tempo de Libertação.

Ensinou-nos a tratar Deus como Pai

Tão perfeito que inclui todo o amor de Mãe.

Desde o nascimento, deixou-se guiar pelo Espírito divino

Crescendo em graça e sabedoria

Junto de seus pais em Nazaré.

Foi condenado à morte por defender sem cobardia

A Dignidade de todos os seres humanos.

Foi crucificado, morto e sepultado

Ressuscitou ao terceiro dia

E foi glorificado por Deus

Como quem está sentado à sua direita.

Ele é Caminho para a Vida

E Juiz perante o Amor e a Verdade.

Creio que o Espírito santo de Deus

Nos acompanha, anima e ilumina

E reúne toda a gente de Boa Vontade

Numa só Igreja de filhos de Deus.

Creio no perdão a quantos se arrependem

De todas as faltas, por actos e omissões,

Contra o Bem e a Beleza

Da universal Casa Comum.

Creio no Reino de Deus,

Reino de justiça e de paz

Que todos vamos construindo

Livremente responsáveis na mesma empresa divina.

E creio na ressurreição para a Vida eterna.

Amen.

 

Manuel Alte da Veiga é professor universitário aposentado

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This