Recreio, de Laura Wandel

O mundo da violência na Escola

| 10 Set 2022

Recreio, de Laura Wandel

Recreio, de Laura Wandel

 

Quando este texto for publicado, o mais provável é já não ser possível ir ver este filme a uma sala de cinema. Mas será certamente possível e provável tropeçar nele numa qualquer outra tela. Se assim acontecer, não deixem de ver. E até me parece que vale a pena dá-lo a ver nas escolas.

Recreio, filmado quase sempre à altura das crianças, põe diante de nós, pelo olhar da pequena Nora, a violência e a crueldade que também acontecem na Escola, entre as crianças. Uma violência que será “normal” e que se manifesta de maneiras diferentes, mas que precisamente por isso não pode deixar de nos interpelar e questionar. Talvez não seja esta a imagem que temos e que nos é contada da Escola. Talvez não seja esta a imagem que queremos ter da Escola. Mas vale a pena olhar de frente a realidade e perceber como tantas crianças sofrem em silêncio, para se integrarem, para ultrapassarem os medos, para serem aceites, para serem reconhecidas. E, como sabemos, as crianças, sem serem más, podem ser muito cruéis umas com as outras. Faz parte do crescimento, e é assim que vão “conquistando” e aprendendo o seu lugar no mundo e na relação umas com as outras. Mas a questão para mim é a mesma da realizadora, Laura Wandel, que diz que “de uma certa forma, o filme é uma metáfora do mundo dos adultos”. E acrescenta: “Há o jogo dos territórios, a necessidade de se integrar, de ser reconhecido. Problemáticas que afligem os humanos, crianças ou adultos. Queria que o meu filme fosse um espelho do mundo, de uma forma global.” Por isso, o filme tem como título original Un Monde (“Um mundo”). 

Mas deixem-me citar ainda estas palavras da realizadora na entrevista ao JN, de 24 de Junho: “Para escrever o filme passei bastante tempo no recreio de escolas e a falar com professores. E com um psiquiatra, especialista em violência na escola, que afirma que uma criança que é violenta é uma criança em sofrimento. Que a sua violência é sempre uma reação a qualquer coisa. Que tem uma ferida que ainda não foi reconhecida e que a violência é a única maneira de manifestar qualquer coisa que não está bem consigo.”

E faço esta citação para falar ‘dos adultos’, que parecem – quase todos – não saber como lidar com esta “violência normal” nas crianças. Seja o pai – a mãe nunca é referida – sejam as auxiliares de educação e até professores. Parece que estão (quase) sempre fora, desatentos e incapazes de dar conta do que se passa realmente.

O filme Recreio começa com Nora, no seu primeiro dia de escola, cheia de medos, e o seu irmão Abel a dizer-lhe que tomará conta dela, no recreio. Afinal, será ela que assumirá, angustiada, o cuidado pelo irmão, vítima da violência dos colegas, mas a tentar aguentar tudo, para ser aceite e reconhecido. Ela levará tempo a entender isso. 

Como escreveram vários críticos, estamos perante um filme que nos “agarra pelos colarinhos”, que propõe uma imersão no problema do bullying entre as crianças na Escola, da sala de aula ao refeitório e ao recreio, com o qual é difícil lidar. Filmado com um rigor, uma exigência, uma qualidade e uma delicadeza exemplares.

Não se pode falar do filme sem falar de Nora/Maya Vanderbeque. Absolutamente esplendorosa a mostrar os seus medos, a necessidade visceral de se integrar naquele olhar inesquecível de tão fundo. Perturbador.

Recreio, de Laura Wandel
Título original: Un Monde
Com: Günter Duret, Lena Girard Voss, Simon Caudry, Maya Vanderbeque
Drama; 72 min; 2021; M/12


Manuel Mendes é padre católico e pároco de Esmoriz (Ovar). Este texto foi inicialmente publicado no número de setembro de 2022 da revista 
Mensageiro de Santo António.

 

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas

Uma forma de "construir pontes"

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas novidade

Amir tem cinco anos e, até agora, não podia correr nem brincar como a maioria das crianças da sua idade. Quando tinha apenas 24 meses, apanhou um vírus que resultou no bloqueio de uma das suas artérias coronárias, pelo que qualquer esforço físico passou a ser potencialmente fatal. Mas, muito em breve, este menino palestiniano poderá recuperar o tempo perdido. Com o apoio da organização humanitária israelita Save a Child’s Heart, Amir acaba de ser operado num hospital em Tel Aviv e está fora de perigo.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Francisco contra o divisionismo e a ordenação de mulheres

Entrevista à revista America

Francisco contra o divisionismo e a ordenação de mulheres novidade

“O divisionismo não é católico. Um católico não pode pensar ‘ou, ou’ e reduzir tudo a posições irreconciliáveis. A essência do católico é “e, e”. O católico une o bem e o não tão bom. O povo de Deus é um” – afirmou o Papa Francisco, a propósito das divisões na Igreja americana, na entrevista concedida no dia 22 de novembro a um conjunto de editores jesuítas e publicada na edição da revista America – The Jesuit Review desta segunda-feira, 28 de novembro.

Terra de pobreza e de milagres

[Crónicas da Guiné – 1]

Terra de pobreza e de milagres novidade

A Guiné-Bissau, como país, é um bom exportador de más notícias. E quando se chega ao território, o que imediato se faz notar é a pobreza e o lixo. Mas quando nos dizem “Tenho orgulho em Bissau ser uma cidade limpa… em comparação com outras capitais desta região de África”, percebemos que tudo é relativo – relativo aos padrões que adoptamos. Ou às notícias que procuramos. Porque há notícias que vêm ter connosco, pois sabem que serão bem acolhidas, e outras que se deixam ficar no seu cantinho, silenciosas, porque se reconhecem sem interesse.

Nasce uma nova rede eclesial para o cuidado da casa comum

América Latina

Nasce uma nova rede eclesial para o cuidado da casa comum novidade

Depois da Rede Eclesial Pan-Amazónica (REPAM) e da Rede Eclesial Ecológica Mesoamericana (REGCHAG), nasce agora a Rede Eclesial Gran Chaco e Aquífero Guarani (REGCHAG), com o objetivo de proteger os territórios que lhe dão nome e as respetivas comunidades, face a ameaças como o desmatamento, a contaminação e o desrespeito pelos modos de vida.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This