O mundo precisa (mesmo) de um milagre

| 23 Mai 20

Sim, sinto que o mundo precisa de um milagre. Um milagre que seja a revelação de um Milagre, isto é, que seja a revelação do verdadeiro Milagre, para toda a humanidade. Porque, como disse em 2017 o excelente padre Anselmo Borges numa entrevista ao jornal DN, precisamente a propósito das tradicionais celebrações das aparições marianas de Fátima, não há senão um e um só milagre: o milagre do Ser. Sim, o milagre da Existência de Tudo, o milagre que é existir algo em vez do nada. Esse é, pois, o Grande Milagre, cujo reconhecimento tem o poder de reorientar as existências humanas na direção de um sentido radicalmente novo e mais humano, que é aquele que nos é proposto pela consciência transformadora do Mistério.

Eu acredito em milagres. E reconheço o quanto o mundo precisa de verdadeiros milagres, milagres deste tipo, que nos transformam e colocam face a face com o Ser, face a face com o Real, com o Transcendente, com a verdadeira natureza da Realidade. Pois, o que é afinal um milagre senão uma manifestação do Milagre? Senão uma revelação, na consciência e para a consciência humana, de uma face do Ser, capaz de transformar, converter, comover, despertar?

E quantos milagres não acontecem assim, irrupções do Belo, do Bom, do Verdadeiro na forma de uma melodia que nos comove e transporta ao limiar da inefabilidade; de um templo que nos fascina e nos eleva e nos transporta para um tempo de não-tempo (i.e. de eternidade) só por nos avizinharmos dele; de uma visão cósmica do universo por cima de nós em noites de céu limpo e estrelado?

Enfim, na forma de uma ação de grande coragem ética, que apesar da circunscrição histórica em que ocorre, de súbito nos fala de princípios e valores intemporais que estão ao alcance de todos, em todas as épocas, e de repente nos sugerem que, tal como na famosa pintura de Miguel Ângelo no teto da Capela Sistina, há momentos em que o dedo de Deus e do Homem quase se tocam, no ponto onde o humano é divino e o divino é humano, sem distinção nem falsa dualidade.

Caramba, como o mundo precisa de um Milagre! Uma irrupção do Ser, uma irrupção, uma verdadeira aparição (interna ou externa, sensível ou imaginária, não importa) de qualquer coisa superior, qualquer coisa maior, qualquer coisa fundamental, de âmbito cósmico, que nos lembre de novo das nossas verdadeiras origens, que nos reoriente individual e civilizacionalmente para uma vida com real sentido, no e para o Mistério.

Mas, pensando bem, não foram afinal irrupções deste tipo, irrupções do Ser, irrupções do Sentido, irrupções do Transcendente no Imanente que, noutros tempos, uns mais recentes outros num remoto in illo tempore mitológico, deram origem às grandes religiões, aos grandes cultos, sempre pela mão de mestres mais ou menos iluminados, cujas consciências se viram, de súbito ou gradualmente, ampliadas, expandidas, por tal irrupção súbita ou mais ou menos gradual? Pois, se calhar! Mas não tarda que as revelações, as irrupções do Ser, sejam deturpadas, expurgadas dos seus elementos incómodos, da sua radicalidade, adaptadas às conveniências de outro real que melhor sirva as conveniências imediatas deste ou daquele poder.

O Homem tem este terrível vício de esquecer aquilo que verdadeiramente importa, para seu próprio prejuízo. Ele tem sede, uma sede às vezes terrível, mas em vez da água da Vida, que dessedenta, continua a privilegiar a do Lethes, que a breve trecho só lhe traz mais sede (quando não o faz mesmo esquecer que tem sede, o que é bem pior…)…

Sim, a humanidade precisa do sagrado, do simbólico, do mitológico e do litúrgico. De qualquer coisa que lhe abra a vida para possibilidades maiores que a vida, pois sem isso não há esperança, sem isso a vida desencanta-se, acinzenta-se, torna-se opaca. E, parafraseando Mia Couto, a vida é demasiado valiosa para ser esbanjada num mundo desencantado. Se a vida, numa perspetiva estritamente imanente, tem o seu fim em si própria, então para quê viver? Para quê lutar por ideais, por valores, por princípios que, no quadro de uma mundivisão estritamente imanentista-materialista, são esvaziados de realidade, são desprovidos de consistência ontológica objetiva?

Não… Os limites de uma vida humana têm de estar para além da imanência estrita do viver bio-social-psicológico. Para mim, que acredito em Deus (i.e. que acredito na Realidade Última onde residem todos os princípios e todos os fins, todos os começos e todos os términos, todos os alfas e ómegas, que é Lei, Criatividade Absoluta, Absoluta Liberdade, Verdadeira Realidade), admito que a finalidade de cada homem não está no homem em si, mas no que, no homem, transcende o próprio homem, sem no entanto deixar de lhe ser absolutamente constitutivo – quer dizer, mais íntimo de si mesmo que ele próprio, para usar as palavras de Santo Agostinho. Assim sendo, os limites, a perfeição de cada um de nós, está simultaneamente em nós, e para além de nós. Está, enfim, em Deus, Ilimitado onde, paradoxalmente, todos os limites se cumprem.

 

Ruben Azevedo é professor e membro do Ginásio de Educação Da Vinci – Campo de Ourique (Lisboa)

Artigos relacionados

Enzo Bianchi, um verdadeiro cristão (Opinião)

Enzo Bianchi, um verdadeiro cristão (Opinião)

Quem conhece o Enzo Bianchi, quem já se refletiu naqueles olhos terríveis de fogo, como são os olhos de um homem “que viu Deus”, sabe do seu caráter enérgico, por vezes tempestuoso, firme, de quem não tem tempo a perder e que por isso urge falar sempre com parresía, isto é, com franqueza, com verdade. Enzo habitou-nos a isso, habituou os monges e as monjas de Bose a isso. O exercício da autoridade, a gestão do governo e o clima fraterno da Comunidade sempre tiveram a sua marca, esta marca.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Bispos espanhóis propõem unir “salário familiar” ao rendimento mínimo vital novidade

O secretário geral da conferência episcopal espanhola, Luis Argüello, propôs esta sexta-feira ao governo que, juntamente com o salário mínimo vital, aprovado em abril para as famílias mais pobres, institua o “salário familiar”. Durante uma conferência de imprensa, o bispo auxiliar de Valladolid recordou que esta medida foi proposta há 40 anos por João Paulo II, e pediu que os migrantes em situação administrativa irregular possam também aceder a estas prestações.

Alemanha: Mulheres querem permissão para pregar nas eucaristias novidade

A Comunidade Católica das Mulheres (KFD) da diocese de Münster, na Alemanha, enviou uma carta ao seu bispo, Felix Genn, pedindo-lhe que aprove a pregação por parte de leigos nas eucaristias, o que permitiria às mulheres assumir essa função, até agora exercida exclusivamente por diáconos e padres.

Escuteiros angariaram 66 toneladas de alimentos para o Banco Alimentar Contra a Fome novidade

O Corpo Nacional de Escutas (CNE), através dos agrupamentos de escuteiros espalhados por todo o país, reuniu um total de 66 toneladas de alimentos para apoiar o Banco Alimentar Contra a Fome, instituição que este ano se viu impossibilitada de realizar a sua habitual campanha nos supermercados devido à pandemia de covid-19, e à qual têm chegado cada vez mais pedidos de ajuda.

Alemanha: número de crimes contra judeus é o mais elevado desde 2001

A Alemanha registou no ano passado o número mais elevado de crimes motivados pelo antissemitismo desde que os mesmos começaram a ser contabilizados, em 2001. Os líderes da comunidade judaica daquele país prevêem que a situação continue a piorar com o surgimento de uma nova vaga de “teorias da conspiração” associadas aos judeus, na sequência da pandemia de covid-19.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

“Conhece um judeu”: projeto inovador quer dar “voz e cara” à comunidade judaica na Alemanha

“Conhece um judeu”: projeto inovador quer dar “voz e cara” à comunidade judaica na Alemanha

Pode parecer estranho, mas é verdade: muitas pessoas na Alemanha, em particular as mais jovens, nunca conheceram judeus, a não ser pelos livros de História. Para aumentar a exposição e o contacto com esta comunidade, que atualmente corresponde a menos de 0,2% da população daquele país, o Conselho Central de Judeus lançou o projeto “Conhece um Judeu”, que vai apresentar judeus a não judeus e pô-los a conversar.

É notícia

Entre margens

O domingo do mistério de Deus novidade

Há cada vez mais teólogos de renome a lastimar um domingo dedicado ao esforço da razão para «explicar» o mistério de Deus que a liturgia cristã celebra neste domingo, 7 de Junho, com o nome de Domingo da Santíssima Trindade… O “mistério de um só Deus” foi substituído por uma “trindade de mistérios”: o de Deus criador, pai e mãe em plenitude; o de um ser humano que se deixou penetrar por Deus sem entraves da sua liberdade, conhecimento e vontade; o da actuação perene de Deus na história humana.

As casas de repouso eterno novidade

As notícias chegam-nos em catadupa. Os nossos entes queridos que já não podiam viver connosco porque a vida frenética que levamos não nos permite cuidar deles e que, por amor, por compaixão e por comodidade, os colocámos nas casas de repouso, estão a morrer às dezenas. Os remorsos invadem-nos o espírito, sem que possamos encontrar uma solução e não vale a pena estar a acusar as instituições ou os funcionários que fazem tudo o que podem para os cuidar.

Peste Malina

Não, não é O Ano da Morte de Ricardo Reis, mas é o ano d’A Peste. As Ondas de pequenos monstros transformaram a terra num Vasto Mar de Sargaços. Qualquer Coisa Como um Lugar de Massacre. Nada vai voltar a ser como O Mundo em que Vivi. Sim, Os Dias Tranquilos acabaram, Os Anjos desfizeram As Estrelas Propícias (se é que, na verdade, alguma vez existiram). Agora, a vida está Em Frente da Porta, do Lado de Fora e toda a gente está confinada aos Pequenos Delírios Domésticos.

Cultura e artes

Diálogos com Paulo Freire

Trata-se de dois livros inspirados na filosofia de Pauloreire, a quem de há largos anos chamo meu “Mestre”: o primeiro, de Christopher Damien Auretta, Diz-me TU quem EU sou: Diálogo com Paulo Freire. O segundo, do mesmo autor com João Rodrigo Simões: Autobiografia de uma Sala de Aula: Entre Ítaca e Babel com Paulo Freire (Epistolografia).

“Travessia com Primavera”, um exercício criativo diário

O desafio partiu da Casa Velha, associação de Ourém que liga ecologia e espiritualidade: um exercício artístico e criativo diário, a partir da Bíblia. Sandra Bartolomeu, irmã das Servas de Nossa Senhora de Fátima, apaixonada pela pintura, aceitou: “Algo do género, entre a oração e o desenho – rezar desenhando, desenhar rezando ou fazer do desenho fruto maduro da oração – já emergia em mim como um apelo de Deus, convite a fazer do exercício do desenho e da criação plástica meio para contemplar Deus e dar concretude à sua Palavra em mim”, diz a irmã Sandra. O 7MARGENS publica dez aguarelas resultantes desse exercício.

A poesia é a verdade justa

“A coisa mais antiga de que me lembro é dum quarto em frente do mar dentro do qual estava, poisada em cima duma mesa, uma maçã enorme e vermelha”, escreve Sophia de Mello Breyner na sua Arte Poética III. Foi destas palavras que me lembrei ao ver o filme Poesia do sul coreano Lee Chang-dong, de 2010

Hinos e canções ortodoxas e balcânicas para a “Theotokos”

Este duplo disco, Hymns and Songs to the Mother of God reúne, como indicado no título, hinos bizantinos (o primeiro) e canções tradicionais (o segundo), dedicados à Mãe de Deus. O projecto levou três anos a concretizar, entre a recolha, estudo e gravação, como conta a própria Nektaria Karantzi na apresentação.

Sete Partidas

Retrospectiva

Regresso algures a meados de 2019, vivíamos em Copenhaga, e recupero a sensação de missão cumprida, de alguma forma o fechar de um ciclo ao completarmos 10 anos de vida na Dinamarca e nos encontrarmos em modo de balanço das nossas vidas pessoais, profissionais e também da nossa vida interior. Recordo uma conversa com uma querida amiga, onde expressei desta forma o meu sentimento: “a nossa vida aqui é boa, confortável, organizada, segura, previsível, mas não me sinto feliz.”

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco