Jogos Olímpicos

O sonho de fraternidade de Francisco na Vila Olímpica de Tóquio

| 23 Jul 21

jogos olimpicos foto jan jack russo media

“O que é visível com as bandeiras é muito mais evidente quando entras na messe e te dás conta de que estás num banho entre todas as cores do mundo”, afirma o capelão que acompanha uma das delegações nos Jogos Olímpicos. Foto © Jan Jack Russo Media.

 

“Na Vila Olímpica salta-me desde logo à vista a alameda arvorada de bandeiras. São dos países participantes nos Jogos desta Olimpíada, dezenas e dezenas de bandeiras”: esta é a primeira impressão relatada pelo capelão católico que acompanha uma das delegações presentes em Tóquio para participar na competição cuja cerimónia oficial de abertura decorreu nesta sexta-feira à tarde (hora de Lisboa), dia 23.

Num texto da agência noticiosa italiana Ansa, o padre Gionatan de Marco, de Itália, afirma: “o que é visível com as bandeiras é muito mais evidente quando entras na messe e te dás conta de que estás num banho entre todas as cores do mundo”.

“Cada delegação com a sua divisa e as suas cores, mas misturadas em harmonia num mar de cores que exaltam as diferenças de cada uma sem as opor, amalgamando-se num conjunto de unicidade que torna visivelmente concreta aquilo que comummente chamamos fraternidade”, assinala.

Na Vila Olímpica, acrescenta o padre, “toca-se pela mão aquilo que o Papa Francisco escreve na encíclica Fratelli tutti, reiterando como o mundo existe para todos, porque todos nós, seres humanos, nascemos nesta Terra com a mesma dignidade”.

Para Gionatan de Marco, “as diferenças de cores, religião, capacidade, lugar de origem, lugar de residência e muitas outras não se podem antepor ou utilizar para justificar os privilégios de alguns em detrimento dos direitos de todos”.

“Aqui toca-se pela mão a beleza de sermos únicos, mas no interior de uma comunidade extraordinária, em que cada atleta vive a sua experiência olímpica com o direito a sonhar uma vitória, sentindo que todos têm as mesmas oportunidades de subir ao pódio, independentemente de estar equipado com a camisola de um país rico ou com a de um país pobre”, acentua.

Nos Jogos Olímpicos, “as periferias desaparecem e há um único centro de gravidade: a alegria de ter realizado o sonho comum” de participar, conclui o padre Marco, diretor do Departamento Nacional para a Pastoral do Tempo Livre, Turismo e Desporto da Conferência Episcopal Italiana.

Não é a primeira vez que Gionatan de Marco acompanha uma delegação olímpica: a estreia foi em 2018, em PyeongChang (Coreia do Sul), nos Jogos Olímpicos de Inverno. Antes de partir, declarou: “A fé e o desporto têm muitas coisas em comum: a coragem, o treino, a alegria, o altruísmo e a fantasia de encontrar a maneira própria de exprimir a beleza que cada um traz consigo.”

A Igreja Católica “está comprometida no mundo do desporto para anunciar a alegria do Evangelho, o amor inclusivo e incondicional de Deus por todos os seres humanos”, afirmara em 2016 o Papa Francisco.

 

Rui Jorge Martins, na página do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura

 

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow

Cimeira do Clima

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow novidade

A Comunidade de Taizé foi convidada pelo Comité Coordenador da COP26 das Igrejas de Glasgow para preparar e liderar uma vigília para estudantes e jovens em Glasgow durante a Cimeira do Clima. Mais de sete mil pessoas passaram por Taizé, desde junho, semana após semana, apesar do contexto da pandemia que se vive.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This