Conselho aprovou resolução

ONU investigará no Irão violações dos direitos humanos

| 24 Nov 2022

Conselho dos Direitos Humanos, ONU, Irão

Momento da sessão do Conselho dos Direitos Humanos, em que foi aprovada a resolução sobre o Irão. Foto captada da transmissão vídeo.

 

A resolução do Conselho para os Direitos Humanos (CDH) da ONU que se solidariza com o “corajoso povo iraniano”, especialmente as mulheres, e critica o regime pela violência “desnecessária e desproporcional sobre as multidões de manifestantes, nos dois últimos meses, foi esta quinta-feira, 24, aprovada por significativa maioria dos países membros daquele organismo.

A resolução, aprovada por 25 votos a favor, seis contra e 16 abstenções, consagra ainda a criação de uma comissão de inquérito independente para averiguar localmente as situações que vêm sendo denunciadas.

O pedido de uma sessão extraordinária do Conselho partiu de dois países europeus – a Alemanha e a Islândia. Recebeu o apoio de 44 estados-membros, 17 com assento no CDH e 27 observadores, um deles Portugal.

A China, que defendeu que o que o Conselho se preparava para fazer constituiria uma interferência indevida nos assuntos internos do Irão, tentou, à última hora, introduzir uma emenda que passava por eliminar o ponto da comissão de investigação. A proposta foi mal recebida e verberada pelos apoiantes da resolução, devido ao facto de ter sido feita demasiado tarde e não permitir consultas aos governos e outras entidades, mais parecendo uma jogada tática para complicar ou adiar o processo. A proposta chinesa acabaria por ser recusada pela mesma diferença de votos que se viria a registar no documento fundamental que estava em apreciação.

Quando foi anunciado o resultado final, na sala do Palais des Nations, em Genebra, uma grande ovação saudou a vitória da resolução que funcionou também como ato de solidariedade com os milhares de vítimas que têm sofrido detenções arbitrárias, juízos sem processo devidamente elaborado e condenações que têm assumido modalidades extremas como a pena de morte. [ver 7MARGENS]

Recorde-se que os movimentos de contestação e de reivindicação de liberdade que se têm multiplicado no Irão foram desencadeados na sequência da morte de uma jovem curda iraniana Masha Amini, de 22 anos, que tinha sido presa pela polícia da moralidade pelo facto de trazer o hijab (véu) mal colocado.

Conselho dos Direitos Humanos, ONU, Irão

Votaram contra Arménia, China, Cuba, Eritreia, Paquistão e Venezuela. Brasil, Índia e Qatar estiveram entre as abstenções. Foto captada da transmissão vídeo.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas

Uma forma de "construir pontes"

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas novidade

Amir tem cinco anos e, até agora, não podia correr nem brincar como a maioria das crianças da sua idade. Quando tinha apenas 24 meses, apanhou um vírus que resultou no bloqueio de uma das suas artérias coronárias, pelo que qualquer esforço físico passou a ser potencialmente fatal. Mas, muito em breve, este menino palestiniano poderá recuperar o tempo perdido. Com o apoio da organização humanitária israelita Save a Child’s Heart, Amir acaba de ser operado num hospital em Tel Aviv e está fora de perigo.

Francisco contra o divisionismo e a ordenação de mulheres

Entrevista à revista America

Francisco contra o divisionismo e a ordenação de mulheres novidade

“O divisionismo não é católico. Um católico não pode pensar ‘ou, ou’ e reduzir tudo a posições irreconciliáveis. A essência do católico é “e, e”. O católico une o bem e o não tão bom. O povo de Deus é um” – afirmou o Papa Francisco, a propósito das divisões na Igreja americana, na entrevista concedida no dia 22 de novembro a um conjunto de editores jesuítas e publicada na edição da revista America – The Jesuit Review desta segunda-feira, 28 de novembro.

Terra de pobreza e de milagres

[Crónicas da Guiné – 1]

Terra de pobreza e de milagres novidade

A Guiné-Bissau, como país, é um bom exportador de más notícias. E quando se chega ao território, o que imediato se faz notar é a pobreza e o lixo. Mas quando nos dizem “Tenho orgulho em Bissau ser uma cidade limpa… em comparação com outras capitais desta região de África”, percebemos que tudo é relativo – relativo aos padrões que adoptamos. Ou às notícias que procuramos. Porque há notícias que vêm ter connosco, pois sabem que serão bem acolhidas, e outras que se deixam ficar no seu cantinho, silenciosas, porque se reconhecem sem interesse.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This