ONU lança plano de combate ao ódio religioso e de proteção de lugares sagrados

| 15 Set 19

Um peregrino em oração durante a peregrinação a Meca, centro da fé muçulmana. Foto © Ali Mansuri/Wikimedia Commons

 

A Aliança das Civilizações das Nações Unidas (UNAOC), lançou um Plano de ação contra o discurso de ódio, que, entre outras coisas, pretende proteger lugares sagrados e de oração. A decisão vem na sequência de um apelo do secretário-geral da ONU. “Lugares religiosos são símbolos poderosos da nossa consciência coletiva”, afirma António Guterres. “Quando as pessoas são atacadas por causa da sua religião ou das suas crenças, toda a sociedade fica a perder”.

O secretário-geral da ONU referiu que os locais de oração, templos e santuários devem ser “lugares seguros para a reflexão e para a paz, não lugares de massacre e de terror”. E acrescentou que a todas as pessoas “deve ser permitido observar e praticar a sua fé em paz”.

Depois dos massacres em duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia, em março de 2019; do ataque à sinagoga “Tree of Life” em Pittsburgh (EUA), em outubro do ano passado; a várias igrejas católicas e protestantes no Sri Lanka no Domingo de Páscoa deste ano; e de um aumento progressivo de ataques baseados no ódio religioso, cujo objetivo é atingir lugares sagrados por todo o mundo, Guterres apelou a que a UNAOC desenvolvesse um plano de ação.

O secretário-geral esteve na reunião da UNAOC na passada quinta-feira. De acordo com o secretário-geral da ONU, o plano será coordenado com as restantes agências das Nações Unidas para combater as causas principais da linguagem violenta, promovendo formas de responder com eficácia.

Guterres referiu que, em situações de conflito armado, “edifícios dedicados a uma determinada religião são especificamente protegidos por leis humanitárias internacionais” e que ataques intencionais contra eles são crimes de guerra.

“A melhor maneira de ultrapassar a ameaça de violência baseada em formas inaceitáveis de manipulação de religião e crença é unindo nossas vozes para o bem, combatendo mensagens de ódio com mensagens de paz, abraçando a diversidade como riqueza e não como ameaça, investindo na coesão social e protegendo os direitos humanos”, afirmou Guterres, citado pelo portal oficial da ONU.

Com este plano de ação, a ONU dá um “passo importante para avançar no objetivo crítico e enfrentar o que neste momento surge como um dos principais desafios globais da nossa era”, afirmou o secretário-geral durante o discurso.

“Nestes tempos turbulentos, temos de continuar a trabalhar juntos para proteger os valores que nos reúnem como uma única família humana”, concluiu António Guterres.

Basílica e Praça de São Pedro, onde reside o Papa e a Igreja Católica tem o seu centro. Foto © Maria Marujo

 

Religiões Pela Paz também quer ajudar a prevenir conflitos

No final de agosto, em Lindau (Alemanha), também a 10ª assembleia mundial das “Religiões pela Paz”, uma organização internacional e inter-religiosa, se comprometeu com iniciativas que ajudem a prevenir conflitos e promover “sociedades justas e harmoniosas”.

“Fazer progressos na partilha do bem-estar”, na prevenção de conflitos, e na promoção de sociedades justas e harmoniosas” são alguns dos compromissos do documento votado no final pelos participantes, que defende ainda “o desenvolvimento humano sustentável e integral e protegendo a terra”.

O encontro reuniu líderes religiosos, ativistas e expoentes políticos de 125 países de todo o mundo. O documento final também recusa a violência em nome da religião: “Os nossos corações choram diante do abuso dos nossos credos, especialmente quando são distorcidos para alimentar a violência e o ódio.” A aliança, sublinha o texto, “honra as diferenças religiosas”.

Os participantes afirmam ainda estar convictos de que toda a humanidade tem uma “responsabilidade compartilhada pelo bem comum, o que significa cuidar uns dos outros, da terra e de sua estrutura integral de vida”, de acordo com o documento, citado pelo Religion Digital

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

O Papa e os “teístas com água benta cristã”

“Quando vejo cristãos demasiado limpos, que têm toda a verdade, a ortodoxia, e são incapazes de sujar as mãos para ajudar alguém a levantar-se, eu digo: ‘Não sois cristãos, sois teístas com água benta cristã, mas ainda não chegastes ao cristianismo’”. A afirmação é do Papa Francisco, numa conversa sobre o Credo cristão.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

Eutanásia, hora do debate novidade

Seja qual for a posição de cada um, a reflexão e o debate sobre a eutanásia é uma exigência de cidadania e não uma discussão entre alguns, em círculo fechado, mesmo se democraticamente nos representam. Quando está em jogo o tipo de sociedade que desejo para os meus netos, não quero que outros decidam sem saberem o que penso.

“Qual é o mal de matar?”

A interrogação que coloquei como título deste texto foi usada por Peter Singer que a ela subordinou o capítulo V do seu livro Ética Prática. Para este filósofo australiano, a sacralidade da vida humana é entendida como uma forma de “especismo”, uma designação que ele aplica a todas as teorias que sustentam a superioridade da espécie humana.

Cultura e artes

São Pessoas. Histórias com gente dentro novidade

Há um tanque de lavar roupa. Há uma cozinha. Há o poço e as mãos que lançam um balde. Há uma sombra que foge. Há o poste de eletricidade que ilumina as casas frágeis. Há o quadro pendurado em que um coração pede “Deus te ajude”. Há a campa e a eterna saudade. E há uns tapetes gastos. Em cada uma destas fotos só se adivinham os rostos, os olhos, as rugas, as mãos rugosas, as bocas, as pessoas que habitam estes lugares.

“2 Dedos de Conversa” num blogue para alargar horizontes

Um dia, uma leitora do blogue “2 Dedos de Conversa” escreveu-lhe: “Este blogue é um momento de luz no meu dia”. A partir daí, Helena Araújo, autora daquela página digital, sentiu a responsabilidade de pensar, de manhã, o que poderia “escrever para animar o dia” daquela rapariga. Sente que a escrita do blogue pode ajudar pessoas que não conhece, além de lhe ter alargado os horizontes, no debate com outros pontos de vista.

Um selo em tecido artesanal para homenagear Gandhi e a não-violência

Os Correios de Portugal lançaram uma emissão filatélica que inclui um selo em khadi, o tecido artesanal de fibra natural que o Mahatma Gandhi fiava na sua charkha e que utilizava para as suas vestes. Portugal e a Índia são, até hoje, os únicos países do mundo que utilizaram este material na impressão de selos, afirmam os CTT.

Arte de rua no selo do Vaticano para a Páscoa

Um selo para celebrar a Páscoa com arte de rua. Essa será a escolha do Vaticano, segundo a jornalista Cindy Wooden, para este ano, reproduzindo uma Ascensão pintada por Heinrich Hofmann, que se pode ver na Ponte Vittorio Vittorio Emanuele II, em Roma, a poucas centenas de metros da Praça de São Pedro.

Sete Partidas

Uma mulher fora do cenário, numa fila em Paris

Ultimamente, ao andar pelas ruas de Paris tenho-me visto confrontada pelos contrastes que põem em questão um princípio da doutrina social da Igreja (DSI) que sempre me questionou e que estamos longe de ver concretizado. A fotografia que ilustra este texto é exemplo disso.

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco