ONU proclama 22 de agosto como Dia Internacional das Vítimas da violência religiosa

| 5 Jun 19 | Direitos Humanos, Liberdade religiosa, Newsletter, Sociedade - homepage, Últimas

A assembleia geral da Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou o dia 22 de agosto como o Dia internacional das Vítimas da violência religiosa. Com este importante passo, a ONU pretende condenar todos os atos de violência contra as pessoas por causa da sua religião ou crenças.

De acordo com Martin Kugler, presidente do Conselho Executivo do Observatório sobre a Intolerância e a Discriminação contra os Cristãos na Europa, “as Nações Unidas estabeleceram muitos dias de memória, mas até agora nenhum deles havia sido dedicado à liberdade de religião”. O mesmo responsável denunciou ainda que, “em particular, a perseguição contra os cristãos é um drama atual que, muitas vezes, não recebe a devida atenção: as elites ocidentais, culturais e não somente políticas, têm relutância em falar em voz alta sobre esse problema e em pronunciar abertamente o nome dos cristãos em tal contexto”.

A deliberação da ONU de dedicar o dia 22 de agosto à memória das vítimas de violência por motivos religiosos foi apresentada pelo ministro polaco Jacek Czaputowicz. O diplomata defendeu que o propósito da ONU deve ser o de “erradicar o ódio e os atos de violência relacionados com a religião ou as crenças e fortalecer o diálogo inter-religioso”, disse.

Esta medida, proposta pelo Brasil, Canadá, Egipto, Iraque, Jordânia, Nigéria, Paquistão, Polónia e Estados Unidos da América (EUA), foi aceite por consenso.

Os EUA, no entanto, aproveitaram a ocasião para acusarem o governo chinês de violência religiosa contra os seus cidadãos. O representante americano no Conselho Económico e Social da ONU, Austin Smith, afirmou que na região chinesa de Sinkiang “mais de um milhão de pessoas de várias minorias religiosas foram presos arbitrariamente em campos desde abril de 2017”. O diplomata americano adiantou ainda que há “indícios de trabalhos forçados, torturas e mortes nesses campos”. E pediu à comunidade internacional para que pressione a China a respeitar os direitos dos muçulmanos, cristãos, budistas tibetanos e membros do movimento religioso Falun Gong.

Por sua vez, o representante chinês na ONU respondeu que os alegados campos eram centros de formação profissional e educativa contra a pobreza. E perante as acusações dos EUA, contra-atacou recordando o tratamento dos norte-americanos aos seus povos indígenas.

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

Núncio que era criticado por vários bispos, deixa Lisboa por limite de idade

O Papa Francisco aceitou nesta quinta-feira, 4 de Julho, a renúncia ao cargo do núncio apostólico (representante diplomático) da Santa Sé em Portugal, Rino Passigato, por ter atingido o limite de idade determinado pelo direito canónico, de 75 anos. A sua acção era objecto de críticas de vários bispos, embora não assumidas publicamente.

Arcebispo da Beira lamenta que o Papa só visite Maputo

O arcebispo da Beira (Moçambique) lamenta que o Papa Francisco não visite, em Setembro, a zona directamente atingida pelo ciclone Idai, em Março: “Todos esperávamos que o Papa chegasse pelo menos à Beira. Teria sido um gesto de consolação para as pessoas e uma forma de chamar a atenção para as mudanças climáticas e para esta cidade, que está a tentar reerguer-se”, disse Cláudio Dalla Zuanna.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia 

Entre margens

Criança no centro? novidade

Há alguns anos atrás estive no Centro de Arte Moderna (Fundação Gulbenkian) ver uma exposição retrospetiva da obra de Ana Vidigal. Sem saber exatamente porque razão, detive-me por largos minutos em frente a este quadro: em colagem, uma criança sozinha no seu jardim; rodeando-a, dois círculos concêntricos e um enredado de elipses. Ana Vidigal chamou àquela pintura: O Pequeno Lorde.

Uma espiritualidade democrática radical

Não é nenhuma novidade dizer que o modelo de democracia que temos, identificado como democracia representativa e formal (de origem liberal-burguesa) está em crise. Disso, entre outras razões, têm-se aproveitado muito bem os partidos de extrema-direita. Mas não só eles. Surgem também críticas fortes desde a própria sociedade civil a este modelo.

Cultura e artes

Festa de Maria Madalena: um filme para dar lugar às mulheres novidade

A intenção do autor é dar lugar às mulheres. Não restam dúvidas, fazendo uma leitura atenta dos quatro Evangelhos que Jesus lhes dá o primeiro lugar. A elas, anuncia-lhes quem é Ele, verdadeiramente. Companheiras de Cristo, continuarão a sua missão, juntamente com os homens. Anunciando, tal como eles, a Paixão e a Ressurreição de Jesus Cristo; curando, baptizando em nome do Senhor. Tornando-se diáconos. Sabe-se, está escrito. Mas, nos Actos dos Apóstolos, elas desaparecem sem deixar rasto.

Mãos cheias de ouro, um canudo e uma intensa criatividade

Na manhã de 7 de Julho, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) inscreveu o Convento de Mafra, o santuário do Bom Jesus de Braga e o Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, na sua lista de sítios de Património Mundial. Curta viagem escrita e alguns percursos falados, como forma de convite à viagem para conhecer ou redescobrir os três novos lugares portugueses do Património da Humanidade.

Sete Partidas

A Páscoa em Moçambique, um ano antes do ciclone – e como renasce a esperança

Um padre que passou de refugiado a conselheiro geral pode ser a imagem da paixão e morte que atravessou a Beira e que mostra caminhos de Páscoa a abrir-se. Na região de Moçambique destruída há um mês pelo ciclone Idai, a onda de solidariedade está a ultrapassar todas as expectativas e a esperança está a ganhar, outra vez, os corações das populações arrasadas por esta catástrofe.

Visto e Ouvido

"Correio a Nossa Senhora" - espólio guardado no Santuário começou a ser agora disponibilizado aos investigadores

Agenda

Parceiros

Fale connosco