Transparência política

Opus Dei: lei não obriga a declarar pertença à organização

| 9 Ago 2021

Lei foi aprovada na Assembleia da República. Foto © Joaomartinho63, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

 

O Opus Dei saudou, em comunicado, o facto de o diploma para reforço da transparência no exercício de cargos públicos e políticos não obrigar a “revelar dados constitucionalmente protegidos como sejam os relativos à saúde, orientação sexual, filiação sindical ou convicções religiosas ou políticas”.

Depois da promulgação pelo Presidente da República, a organização católica reafirmou, em texto enviado às redações, “que a sua ação pastoral e religiosa rejeita totalmente qualquer interferência na liberdade de atuação política e profissional dos cristãos que a ele pertencem”.

Para a instituição católica, “assim, todos os crentes, e portanto todos os cristãos, incluídos os cristãos do Opus Dei, têm na nova lei a confirmação da salvaguarda da liberdade religiosa que a Constituição garante”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco”

Comissões Justiça e Paz da Europa

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco” novidade

“O direito da Ucrânia a defender-se é indiscutível e todos os fornecimentos de armas que permitam a sua defesa no quadro dos imperativos da proporcionalidade e do direito humanitário internacional são legítimos”, diz a plataforma católica Justiça e Paz Europa. No entanto, “os meios militares, por si só, não podem trazer uma paz duradoura”.

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas novidade

O ensino das sagradas escrituras na época de Jesus era uma prática comum entre o povo judeu. Desde cedo, os rabinos ensinavam às crianças a leitura e escrita da Torá e a memorizar grandes porções da mesma. Entre as várias técnicas de ensino, estava a utilização de parábolas.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This