Reino Unido

Oração foi chave para demissão de Sajid Javid

| 10 Jul 2022

O antigo ministro da Saúde, Savid Javid. Foto © UK Government

O antigo ministro da Saúde, Savid Javid, revela que foi a pregação de Les Isaacs que o levou à demissão do governo de Boris Johnson. Foto © UK Government

 

Sajid Javid, ex-ministro da Saúde do Reino Unido e atual candidato à liderança do Partido Conservador, confessou, em entrevista a The Telegraph, que decidiu renunciar ao cargo no governo de Boris Johnson depois de ouvir a pregação do pastor Les Isaacs durante a Oração Parlamentar da Manhã noticia o Christian Today de dia 10 de julho, citando o The Telegraph.

Javid afirmou naquela entrevista que vinha lutando consigo próprio sobre a decisão a tomar depois de se ter tornado claro que o Boris Johnson sabia das alegações de assédio sexual existentes contra o seu amigo Chris Pincher, a quem, apesar destas, ofereceu um importante lugar político [ver The Guardian].

A decisão final impôs-se-lhe quando escutava o pastor Les Isaacs, fundador da Street Pastors, falando sobre responsabilidade e integridade na Oração Parlamentar da Manhã em Westminster no dia 5 de julho. Na oração desse dia participaram cerca de 700 pessoas, incluindo 190 parlamentares. Andy Flannagan, diretor executivo de Cristãos na Política e presidente da oração, escreveu no Christian Today que esta “teve um impacto claro” em Javid na medida que deixou evidente a existência de “um problema com a cultura deste Governo” e que a Igreja tem “um papel a desempenhar na inspiração de uma boa liderança” política.

“Temos que contestar as violações éticas que vemos na liderança política deste país e naqueles que há muitos anos vivem na sua órbita”, conclui Flannagan no artigo de opinião que escreveu para aquele jornal.

A organização Cristãos na Política dá-se como missão “inspirar e encorajar os cristãos a envolverem-se na política e na vida pública”.

 

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo novidade

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito novidade

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This