Depois de Angola, Espanha

Organização da JMJ revela o itinerário para os símbolos em Espanha

| 4 Ago 21

Símbolos da JMJ seguem de Angola para Espanha. Foto © JMJLisboa2023/Arlindo Homem

 

A Conferência Episcopal Espanhola (CEE) divulgou o itinerário dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2023, que vai decorrer em Lisboa, anunciou a organização do evento. A Cruz da JMJ e o ícone mariano que a acompanha vão percorrer Espanha, nos próximos meses de setembro e outubro, após a passagem por Angola, onde se encontra até 18 de agosto.

A chegada à fronteira espanhola acontece a 5 de setembro, por volta das 12h15 (11h15 em Lisboa), e cerimónia de boas-vindas tem lugar na Paróquia de Maria Auxiliadora, em Fuentes de Oñoro, Diocese de Ciudad Rodrigo. “Os organizadores da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 decidiram de uma forma muito especial que a Cruz, símbolo que acompanha os jovens na preparação destes dias, pode passar pelas dioceses espanholas em setembro e outubro de 2021. O objetivo é encorajar os jovens a participar nos eventos de preparação para a JMJ Lisboa 2023”, sublinha a CEE.

A organização da JMJ 2023 assinala, em comunicado enviado hoje às redações, que, entre outros lugares e cidades de Espanha, os símbolos da JMJ peregrinarão a León, Santander, Zaragoza, Mallorca, Ibiza e Menorca, Madrid, Pamplona, Barcelona, Toledo, Cáceres, Ávila, Tenerife, Canarias, Sevilla e Córdoba.

A 23 de setembro os símbolos da JMJ estarão em Loyola para o Encontro Nacional dos Delegados e Responsáveis da Pastoral Juvenil da Espanha e a 29 de outubro, em Ayamonte, na Diocese de Huelva, será celebrada a Eucaristia às 18h30 (17h30 de Lisboa) e às 19h30 (18h30 de Lisboa) tem lugar a cerimónia de despedida, antes do regresso a Portugal, pela fronteira do rio Guadiana, após o que se iniciará a peregrinação por terras portuguesa, começando precisamente pela diocese do Algarve.

 

Peregrinação «histórica» por terras angolanas

Os Símbolos da JMJ são entregues na diocese do Caxito pelos jovens que a têm acompanhado na sua peregrinação por Angola. Foto © JMJ Lisboa 2023

 

Está nos últimos dias a peregrinação dos símbolos por terras angolanas. Desde 8 de julho que os símbolos percorrem as dioceses angolanas, e D. Filomeno do Nascimento Vieira Dias, arcebispo metropolita de Luanda e Presidente da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) foi o primeiro prelado a acolher e a explicar aos jovens de Angola que Cristo “é a vossa meta, o vosso caminho e o vosso prémio”. “Convido-vos, portanto, a formar-vos na fé que dá sentido à vossa vida e a fortalecer os vossos corações, para assim puderem permanecer firmes face às dificuldades de cada dia”, referiu o prelado na eucaristia de acolhimento aos símbolos.

A meio do percurso, o padre Filipe Diniz, responsável pela Peregrinação dos Símbolos por Angola, referia que “os Símbolos JMJ estão a ser recebidos pelos jovens de Angola com uma alegria entusiasmante”. “As igrejas que os acolhem estão cheias de jovens e adultos sempre com cuidado no cumprimento das regras sanitárias. O Serviço Nacional da Pastoral Juvenil e o Escutismo Católico angolanos prepararam muito bem o itinerário pelas várias comunidades paroquiais e dioceses, sempre com grande empenho para a boa execução do mesmo”, contava o sacerdote, que acrescentava que “a passagem destes Símbolos vai ajudar os jovens angolanos a vir participar na JMJ em Lisboa, por “a visita estar a ser uma oportunidade para uma boa preparação para este momento, assim como uma renovação e estruturação da pastoral juvenil na vida eclesial”.

Os símbolos estão agora na diocese de Caxito, última etapa do seu percurso, depois de terem passado por Luanda, Sumbe, Benguela, Huambo, Menongue, Cuito-Bié, Lubango e Viana. “Que eles vos possam engajar a todos a dizerem sim ao Senhor e ao dever de viverem a obediência na fé, a fim de vos tornardes construtores da esperança, perseverantes na caridade, sempre atentos à palavra de Deus. Que Nossa Senhora, a quem invocamos com o título de ‘Mamã Muxima, seja a via maternal das vossas justas aspirações e belos sonhos”, concluiu D. Emílio Sombelelo, o bispo de Viana, na celebração que marcou a passagem para a diocese do Caxito.

 

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow

Cimeira do Clima

Taizé dinamiza vigília para jovens em Glasgow novidade

A Comunidade de Taizé foi convidada pelo Comité Coordenador da COP26 das Igrejas de Glasgow para preparar e liderar uma vigília para estudantes e jovens em Glasgow durante a Cimeira do Clima. Mais de sete mil pessoas passaram por Taizé, desde junho, semana após semana, apesar do contexto da pandemia que se vive.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This