Organizações católicas assumem desinvestimento em combustíveis fósseis

| 18 Mai 21

O cardeal Luis Antonio Tagle, actual prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, a receber o Manifesto da Geração Laudato Si’, do MCGC. O Movimento dá agora outro passo, ao assinar o compromisso sobre os combustíveis fósseis. Foto © MCGC.

Um conjunto de organizações católicas assina, nesta quarta-feira, 19 de Maio, um compromisso de desinvestimento em combustíveis fósseis, assinalando a Semana Laudato Si’, convocada pelo Papa e o Vaticano.

O Movimento Católico Global pelo Clima (MCGC) sublinha que as várias instituições se unem a dezenas de organismos que já responderam ao convite da Santa Sé, que em Junho de 2020 publicou um conjunto de directrizes ambientais, nas quais se inclui o desinvestimento em combustíveis fósseis como “uma escolha ética”.

As orientações sugerem que os compromissos éticos das instituições católicas devem “evitar o apoio a empresas que prejudicam a ecologia humana ou social (por exemplo, aborto e armas) e ecologia ambiental (por exemplo, combustíveis fósseis)”. Nestas últimas, incluem-se, por exemplo, indústrias poluidoras do ar e da atmosfera. 

Um total de 190 instituições católicas no mundo inteiro já desinvestiram em combustíveis fósseis, de acordo com o MCGC, que promove um programa de desinvestimento e reinvestimento.

A proposta é acompanhada por um “guia de investimento ético”, numa visão abrangente do desinvestimento em combustível fóssil escrito sob uma perspetiva católica.

“Inspire-se com estudos de casos de desinvestimento católico, histórias, reais sobre instituições que se juntaram a este movimento em rápido crescimento”, desafia o Movimento Católico Global pelo Clima.

 

Situações de “trabalho escravo” de crianças

Confederação Nacional

Situações de “trabalho escravo” de crianças novidade

Continuam a ser numerosas e diversificadas as situações de trabalho escravo de crianças no mundo e o problema não é apenas dos países mais pobres. A mensagem foi sublinhada esta quarta-feira numa videoconferência promovida pela CNASTI – Confederação Nacional de Ação sobre Trabalho Infantil, com apoio da representação em Lisboa da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Seca deixa um milhão à fome em Madagáscar

Alterações climáticas

Seca deixa um milhão à fome em Madagáscar novidade

A crise climática em Madagáscar provocou uma seca devastadora no sul do país, deixando um milhão de pessoas à fome. Segundo a Amnistia Internacional, no relatório “It will be too late to help us once we are dead” (“Quando estivermos mortos, será tarde demais para nos ajudarem”), 91% das pessoas vivem abaixo do limiar da pobreza.

há uma voz que bebo

[D, de Daniel]

há uma voz que bebo novidade

Viajo para uma voz que escorre como um lado aberto, uma boca como uma abertura de lança, quer dizer, lugar directo ao coração, degrau onde ajoelhamos por ter chegado à nascente. Sou de um sítio em que a água era de colher: “Vai colher água à fraga”, foi um dos mandamentos aprendidos na infância. E eu fazia como vira fazer: a fraga era uma pedra grande mas humilde diante da qual o corpo se movia à oração.

Isto não é um acidente!

Isto não é um acidente! novidade

Em matéria de abuso sexual de menores no meio católico, a primeira premissa de todas deve ser que esta situação não é pontual nem acidental, mas uma forma de estar. Infelizmente. Mas este cancro tem que ser extirpado.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This