Organizações católicas assumem desinvestimento em combustíveis fósseis

| 18 Mai 2021

O cardeal Luis Antonio Tagle, actual prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, a receber o Manifesto da Geração Laudato Si’, do MCGC. O Movimento dá agora outro passo, ao assinar o compromisso sobre os combustíveis fósseis. Foto © MCGC.

Um conjunto de organizações católicas assina, nesta quarta-feira, 19 de Maio, um compromisso de desinvestimento em combustíveis fósseis, assinalando a Semana Laudato Si’, convocada pelo Papa e o Vaticano.

O Movimento Católico Global pelo Clima (MCGC) sublinha que as várias instituições se unem a dezenas de organismos que já responderam ao convite da Santa Sé, que em Junho de 2020 publicou um conjunto de directrizes ambientais, nas quais se inclui o desinvestimento em combustíveis fósseis como “uma escolha ética”.

As orientações sugerem que os compromissos éticos das instituições católicas devem “evitar o apoio a empresas que prejudicam a ecologia humana ou social (por exemplo, aborto e armas) e ecologia ambiental (por exemplo, combustíveis fósseis)”. Nestas últimas, incluem-se, por exemplo, indústrias poluidoras do ar e da atmosfera. 

Um total de 190 instituições católicas no mundo inteiro já desinvestiram em combustíveis fósseis, de acordo com o MCGC, que promove um programa de desinvestimento e reinvestimento.

A proposta é acompanhada por um “guia de investimento ético”, numa visão abrangente do desinvestimento em combustível fóssil escrito sob uma perspetiva católica.

“Inspire-se com estudos de casos de desinvestimento católico, histórias, reais sobre instituições que se juntaram a este movimento em rápido crescimento”, desafia o Movimento Católico Global pelo Clima.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco”

Comissões Justiça e Paz da Europa

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco” novidade

“O direito da Ucrânia a defender-se é indiscutível e todos os fornecimentos de armas que permitam a sua defesa no quadro dos imperativos da proporcionalidade e do direito humanitário internacional são legítimos”, diz a plataforma católica Justiça e Paz Europa. No entanto, “os meios militares, por si só, não podem trazer uma paz duradoura”.

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas novidade

O ensino das sagradas escrituras na época de Jesus era uma prática comum entre o povo judeu. Desde cedo, os rabinos ensinavam às crianças a leitura e escrita da Torá e a memorizar grandes porções da mesma. Entre as várias técnicas de ensino, estava a utilização de parábolas.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This