Nicarágua

Ortega congela contas da Igreja, acusando-a de “lavar dinheiro”

| 28 Mai 2023

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, em 2012. Foto © Cancillería del Ecuador

 

 

A escalada repressiva contra a Igreja católica e outras confissões religiosas na Nicarágua sobe de nível e de gravidade: nos últimos dias o poder político congelou as contas bancárias das instituições católicas do país e acusou a Igreja de branqueamento de capitais. Aparentemente, a estratégia é criar uma situação de asfixia e, finalmente, de encerramento de serviços. “Estamos a assistir a níveis de perseguição religiosa nunca antes vistos”, comenta o opositor político exilado Juan Sebastián Chamorro.

Segundo informações que circularam nos últimos dias da Nicarágua, os responsáveis da Arquidiocese de Manágua e de todas as outras dioceses do país ficaram sem acesso às contas e sem acesso aos respetivos fundos. Deste modo, as paróquias ficam impedidas de pagar aos assalariados que trabalham nos seus serviços sociais, educativos e religiosos, bem como as contas de funcionamento.

A situação não ficou por aqui. Este sábado, 26 de maio, a Polícia Nacional anunciou que, na sequência de investigações, descobriu “centenas de milhares de dólares escondidos em sacos localizados em instalações pertencentes a dioceses do país”, acusando a instituição de “lavagem de dinheiro”.  Por outro lado, “ordenou a apresentação de documentos que mostrem os movimentos das contas bancárias das dioceses em que interveio”.
Segundo as autoridades policiais, a igreja lidava alegadamente com fundos e recursos em contas bancárias “que tinham pertencido a pessoas condenadas por traição”.

Entretanto, o cardeal e arcebispo de Manágua, Leopoldo Brenes, que, tal como o Papa, tem sido comedido nos pronunciamentos, reconheceu em declarações à publicação Despacho 505, citadas pelo conhecido blog Il Sismografo, ter sido informado da suspensão das contas. O cardeal disse à mesma fonte que s bispos vão, em breve, analisar a situação, garantindo que “as contas da igreja estão em ordem”. Adiantou igualmente que só soube da acusação de lavagem de dinheiro pelas notícias.

Ignora-se se estas medidas governamentais têm alguma relação com a detenção, uns dias antes, de três padres católicos, párocos em diferentes dioceses nicaraguenses. O que diz o comunicado policial é que terá sido feita uma “remoção ilegal de recursos de contas bancárias sobre asquais recaíam ordens de congelamento e outras atividades ilícitas que ainda estão a ser investigadas, em dioceses de diferentes departamentos.

As movimentações do regime de Ortega têm sido interpretadas como uma tentativa de manietar a Igreja.  A advogada Yonarki Martínez considera que se trata de um procedimento ilegal: “O levantamento do sigilo bancário é feito quando há indícios de um crime e para isso é necessária a autorização de um juiz, o procedimento utilizado não é o estabelecido pela Superintendência de Bancos”, afirmou a defensora dos direitos humanos, citada pelo site “100 Noticias”. “Informam que estão a investigar, mas no comunicado já surgem a condenar”, quando, através do Ministério do Interior, poderiam ter feito um pedido por escrito à Igreja, denunciou Martínez.

Uma outra advogada, Martha Patricia Molina, que tem feito relatórios das agressões sistemáticas do regime ditatorial nicaraguense contra a Igreja Católica, não se poderia esperar nada de diferente, quando é o próprio Daniel Ortega a condenar a Igreja em muitas ocasiões, chamando-lhe “terrorista”, “criminosa” ou “máfia organizada”.

Para Molina, existe um “uso arbitrário das leis do país” por parte das autoridades e a Conferência Episcopal do país deveria lançar “um S.O.S. urgente ao mundo”, porque, a seguir ao que já foi feito, não deixarão de “raptar mais religiosos e confiscar os bens imóveis da igreja”.

O político exilado Juan Sebastián Chamorro, por sua vez, escreveu na sua conta do Twitter:
“A ditadura acusa a Igreja Católica de lavagem de dinheiro, congela contas e associa a Igreja a atos de traição. Estamos a assistir a níveis de perseguição religiosa nunca antes vistos. No final, e como sempre acontece, será a Igreja que verá seus caixões passarem”.

 

Ateu ou cristão, qualquer um frequenta esta missão

Iniciativa da pastoral universitária

Ateu ou cristão, qualquer um frequenta esta missão novidade

Para entrar na Missão País, não é preciso ser-se católico praticante. Basta levar consigo a fé e o espírito de serviço. A iniciativa é desenvolvida em várias universidades e quer “inspirar gerações a viver a fé católica em missão”. Entre 11 e 18 de fevereiro, 59 jovens universitários viveram em Mogadouro, no distrito de Bragança, onde desenvolveram trabalho voluntário no lar de idosos e no centro infantil. O 7MONTES recolheu testemunhos de quem viveu esta experiência por “dentro” e de “fora”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Conselho Português de Igrejas Cristãs apela a voto que “salvaguarde conquistas” do 25 de Abril

Rejeitando "discursos políticos autoritários"

Conselho Português de Igrejas Cristãs apela a voto que “salvaguarde conquistas” do 25 de Abril novidade

O Conselho Português de Igrejas Cristãs (COPIC) apela ao voto “de todas e todos” os portugueses nas legislativas de março, e também nas eleições para o parlamento Europeu que irão acontecer em junho, “como forma de participação cívica e de salvaguarda das conquistas e desenvolvimentos alcançados ao longo de 50 anos de democracia”, aludindo assim ao aniversário do 25 de Abril que este ano se assinala.

Seis religiosos, um padre e um professor católicos raptados no Haiti

Igreja particularmente ameaçada

Seis religiosos, um padre e um professor católicos raptados no Haiti novidade

Um padre que acabava de celebrar missa na capela de N. Sra de Fátima, seis Irmãos do Sagrado Coração e um professor leigo que se dirigiam para a escola católica João XXIII, ambas no centro de Porto Príncipe (capital do Haiti), foram raptados na passada sexta-feira por um gangue que está neste momento a exigir à Igreja Católica do Haiti elevados resgates para libertá-los,

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This